Vandoorne lava alma na FE, mas dupla da Jaguar é quem sai de Roma por cima

Stoffel Vandoorne ganhou as manchetes ao vencer a corrida 2 em Roma, mas Sam Bird e Mitch Evans merecem tanto destaque quanto. A Jaguar agora controla o Campeonato de Pilotos e dá sinais de alcançar novo patamar na Fórmula E

Lucas Di Grassi se envolve em acidente e abandona segundo eP de Roma (Vídeo: FE)

Listar candidatos ao título da Fórmula E é sempre uma tarefa inglória. São diversas equipes com velocidade para dar e vencer, criando uma série de pilotos com oportunidades. Isso ficou bem claro no fim de semana em Roma, que rendeu uma série de altos e baixos. Ao fim do domingo (11), três caras parecem ter motivos para sorrir um pouco mais: Stoffel Vandoorne, vencedor da corrida 2, e a dupla Sam Bird e Mitch Evans, agora líder e vice-líder do certame.

Comecemos pelo belga. Vandoorne vinha de um começo de ano truncado, com poucos pontos em Diriyah e uma primeira corrida em Roma muito infeliz, largando da pole apenas para ser abalroado por André Lotterer e depois bater com o companheiro Nyck de Vries. No melhor ano da Mercedes na FE, o ex-F1 parecia estar desperdiçando oportunidades que custarão caro lá na frente. A segunda corrida, entretanto, foi próxima da perfeição: Stoffel abriu 3s5 de vantagem sobre a concorrência – uma eternidade no certame elétrico. Nem mesmo um safety-car tardio foi capaz de deixar a vitória em outras mãos.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Stoffel Vandoorne venceu a primeira em 2021 (Foto: FIA Fórmula E)

Em uma categoria em que todo mundo consegue vencer, Vandoorne ainda não se destaca muito. É quinto no Campeonato de Pilotos e seria exagerado dizer que o belga é o piloto a ser batido ou algo assim. Só que Stoffel fez o mais importante: fincou pé no pelotão dianteiro, algo que Lucas Di Grassi não consegue fazer, por exemplo. Com mais experiência do que o companheiro De Vries e um carro que talvez seja o mais rápido do grid no momento, o ex-McLaren está vivíssimo. Não seria possível dizer isso se, por algum motivo qualquer, outro piloto tivesse ido ao alto do pódio algumas horas atrás.

Tudo isso é muito bonito. Acontece que, como o título desta análise bem indica, Vandoorne não é o piloto melhor posicionado na FE neste momento. Este ainda é Sam Bird: mesmo abandonando em um auê iniciado por De Vries, o britânico aproveitou a inconstância da categoria elétrica para seguir líder. É evidente que o britânico não está feliz, sabendo que poderia muito bem ter pontuado bem na corrida 2, mas sua equipe está. É a Jaguar, que tem Bird em primeiro e Mitch Evans em segundo.

Para explicar a importância desse momento, precisamos voltar alguns meses. Menos de um ano atrás, na série de corridas em Berlim, a Jaguar tinha Evans para lá de inconstante e James Calado se arrastando no fundão. Resultado final: Jaguar em sétimo no Campeonato de Equipes, incapaz de traduzir o apoio de uma montadora em evolução nas pistas. Evans ganhou um novo companheiro, um Bird que também precisava de uma guinada após um 2020 frustrante na Virgin.

Só que é Sam Bird quem ainda lidera o Campeonato de Pilotos (Foto: FIA Fórmula E)

Quase como em um passe de mágica, tudo parece ter se encaixado. A Jaguar tem um carro bom, capaz de ser até o melhor do grid, e dois pilotos bastante talentosos. Já são quatro pódios e 17 pontos de vantagem no Campeonato de Equipes. É assim que se ganha protagonismo na FE, um protagonismo com o qual os britânicos apenas flertavam até aqui.

Isso significa que Bird ou Evans será campeão? Evidente que não. Esse texto começou já falando que não dá para apontar um só favorito na FE, pelo menos não após quatro corridas. Ainda assim, a Jaguar parece estar um novo patamar. É uma equipe capaz de incomodar a Techeetah e a Mercedes, que já pode ignorar a Mahindra e a Porsche. Pilotos que agora podem pressionar António Félix da Costa e Stoffel Vandoorne, que já não se importam muito com brigas com Alex Lynn ou André Lotterer.

Evans e Bird recebem essa mudança de patamar de muito bom grado. Os dois venceram corridas aqui e ali nos últimos tempos, mas tiveram uma irregularidade tremenda nos últimos tempos. Corrigindo essa última parte, os dois viram coringas no campeonato desse ano. E isso já parece estar acontecendo.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube