FE

Vencedor em Sanya, Vergne recorda má fase e revela que “não dormiu bem” após resultados ruins

Jean-Éric Vergne, atual campeão da Fórmula E, ficou para trás na classificação ao passar três corridas seguidas sem pontuar. O francês recorda os resultados difíceis de engolir, mas agora com a felicidade de quem já tem um triunfo em 2018/19

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Berlim
O começo da temporada 2018/19 não correu de acordo com o planejado para Jean-Éric Vergne na Fórmula E. Antes da vitória neste sábado (23) em Sanya, o francês aguentou uma sequência de três corridas sem pontuar, algo que não acontecia desde 2016. A consagração veio na hora certa para um piloto que literalmente perdeu o sono nas últimas semanas.
 
“Sempre é difícil quando você está começando algo”, disse Vergne, fazendo referência ao começo da parceria entre Techeetah e DS, nova fornecedora de trem de força. “Depois de 20 corridas na zona de pontos, passar três sem pontuar é muito difícil. Falando por mim, não consegui dormir muito bem de Hong Kong para cá, mas seguir como uma equipe unida e trabalhar com o objetivo de ir em frente é algo que foi recompensado hoje. Não poderia estar mais feliz com o trabalho que fizemos”, continuou.
Jean-Éric Vergne aguentou semanas difíceis antes do triunfo na China (Foto: Techeetah)
A vitória de Vergne começou a ser construída na classificação, com o segundo lugar no grid. O pole, Oliver Rowland, sustentou a liderança na primeira metade da prova, mas formando uma fila de pilotos ansiosos para tentar uma ultrapassagem. Quem conseguiu concretizar a manobra foi o próprio Vergne, que fritou pneus para tomar a liderança das mãos do britânico e não mais perder.
 
"Ele [Rowland] é um cara difícil de ultrapassar”, analisou Vergne. “Ele estava mudando um pouco de trajetória, algumas vezes muito, mas corridas são assim e você joga de acordo com as regras. Eu vi que só havia uma curva para poder atacar. Tentei em muitas outras curvas, mas em todas as voltas eu tinha que tirar o pé muito cedo, então não conseguia ficar tão próximo. Teve uma hora até que o António [Félix da Costa] tentou me passar. Quando chegou a hora [de passar o Rowland], eu só fui, e acho até que o peguei de surpresa, porque ele estava vendo que eu sempre estava tirando o pé muito cedo”, recordou.
 
A vitória, primeira de Vergne no ano, traz um salto no Campeonato de Pilotos – antes 11º, o francês agora é terceiro. Com 54 pontos, o ex-F1 tem déficit de 8 para António Félix da Costa, que voltou a ser líder do certame elétrico.