carregando
FE

Wehrlein domina eP virtual em Mônaco marcado por 'big-one das big-ones'

Após partir na pole-position da etapa deste sábado (9) da Fórmula E Race at Home Challenge, Pascal Wehrlein saiu para uma vitória tranquila. Atrás dele, o caos: uma das batidas mais duradouras de que se tem notícia

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
E não é que alguém bateu Maximilian Günther? Pascal Wehrlein dominou a etapa de Mônaco da Fórmula E Race at Home Challenge, a competição virtual estabelecida pela categoria dos bólidos elétricos para arrecadar fundos junto à Unicef. Wehrlein largou na dianteira com a Mahindra e manteve o controle ao longo das 14 voltas para vencer a primeira dele.
 
O grande rival de Wehrlein não foi Günther, mas Stoffel Vandoorne, que fora o pole nas duas etapas iniciais. Desta vez, entretanto, teve de se contentar em alinhar na primeira fila, mas no segundo posto. O belga, que deixou a briga por vitória nas outras provas ao bater na largada, novamente tocou, agora numa colisão causada por Edoardo Mortara na saída da Ste. Dévote. 
Vandoorne evitou uma batida mais forte, mas o incidente causou confusão atrás dele e outros pilotos foram se arrastando na barreira de proteção e os carros se amontoaram uns em cima dos outros até o contorno do primeiro hairpin - duas curvas e uma reta inteira de batidas. Foi uma big-one em grande estilo, daquelas que só um simulador pode oferecer. A big-one das big-ones.
 
Mas Wehrlein, na frente, seguiu inalcançável. Abriu distância e partiu para uma vitória sem maiores incômodos. 
 
"A largada foi muito importante. Não sei o que aconteceu atrás de mim, mas vi que teve batida. Depois disso, consegui abrir uma pequena vantagem e mantive o ritmo. Ainda estava mais rápido no fim, foi uma corrida sem grandes altos e baixos. É legal vencer para a Mahindra em Mônaco e marcar todos os pontos do dia", afirmou.
 
Vandoorne foi segundo colocado embora 3s atrás, ao passo que Günther, depois de largar em sexto, conseguiu garantir um lugar no pódio com a terceira colocação. 
Pascal Wehrlein com seu simpático mascote (Foto: Reprodução)
Neel Jani fez uma corrida de recuperação das que ainda não conseguiu nas pistas reais e levou a Porsche ao quarto lugar. Robin Frijns, Oliver Rowland, André Lotterer, Nico Müller, Ma Qing Hua e Mortara fecharam o top-10. 
 
Agora, após três etapas, Günther tem 65 pontos e lidera o campeonato contra Wehrlein, com 45, Frijns e Vandoorne, ambos com 40. No Grid dos Desafiantes, formado apenas por convidados, a vitória ficou com Kevin Siggy. 
 
Paddockast #60
OS PIORES PILOTOS DA HISTÓRIA DA F1


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.