F2
23/05/2014 11:00

Como manda tradição, GP2 em Mônaco tem confusão e fica parada por 40 minutos. Palmer vence e Nasr consegue pódio

Na confusa e tumultuada corrida longa da GP2 em Mônaco, a vitória terminou nas mãos de Jolyon Palmer, que precisou fazer uma bela ultrapassagem sobre Mitch Evans na Saint Dévote para assumir a liderança. Estratégia e sorte ajudaram Felipe Nasr a levar para casa mais um troféu
Warm Up, de Monte Carlo / RENAN DO COUTO, de Monte Carlo
 Palmer comemora vitória na primeira corrida em Mônaco (Foto: GP2)
Que corrida, povo, que corrida. Já é tradição a GP2 em Mônaco propiciar momentos divertidos, e não foi diferente nesta sexta-feira (23) na primeira corrida desta rodada dupla. Após René Binder rodar o companheiro de equipe André Negrão – manobra que lhe rendeu um stop-and-go de dez segundos – na curva mais lenta do circuito e fechar o caminho para a passagem de quem vinha atrás, a prova precisou ser interrompida por 40 minutos. O problema não foi nem tirar os carros da Loews, mas montar o grid para o reinício do grid. Uma comédia que deixou até mesmo o sempre preciso diretor de prova Charlie Whiting confuso.

Em meio a tudo isso, a vitória de Jolyon Palmer acabou sendo um acontecimento secundário. Depois de perder a ponta para Mitch Evans na largada, perseguiu o neozelandês na primeira parte da corrida até conseguir, no início da volta 11, uma boa ultrapassagem na curva Saint Dévote.

Bem mais rápido que o adversário, imprimiu ritmo forte e abriu 2s1 na volta em que teve pista limpa – antes da bandeira vermelha interromper a disputa. Garantiu, assim, o terceiro pódio consecutivo e o direito de largar em sexto na corrida 2 do fim de semana no Principado.

Neste momento, Felipe Nasr era apenas o 15º colocado, mas com uma carta na manga: fizera seu pit-stop na volta 7 e era o primeiro entre os que já haviam trocado os pneus.

Depois da relargada, o piloto da Carlin se manteve na pista e foi ganhando posições com as paradas dos adversários até que se viu em terceiro, atrás de Palmer e Evans.

Sergio Canamasas e Arthur Pic, que adotaram tática semelhante, chegaram em quinto e sexto, respectivamente, atrás do venezuelano Johnny Cecotto Jr.

O top-10 ainda teve Rio Haryanto, Stéphane Richelmi, Adrian Quaife-Hobbs e Tio Ellinas.
Pódio da corrida longa em Mônaco (Foto: GP2)
Richelmi, o oitavo colocado, levou um baita susto no momento em que a disputa foi interrompida: seu carro entrou em modo de segurança no momento em que precisou estacionar na pista. Os fiscais tentaram fazê-lo pegar no tranco, mas não foi possível, e ele ficou parado no túnel até que seu motor pudesse ser religado adequadamente. Por sorte, foi reposicionado na mesma terceira colocação para a relargada.

Os muitos incidentes da prova ainda envolveram vários outros pilotos: Alexander Rossi, Facundo Regalia, Daniel Abt, Julián Leal, Stefano Coletti, Simon Trummer, Takuya Izawa e Artem Markelov.

GP2, Etapa de Mônaco, Monte Carlo, corrida 1, Final:

1 JOLYON PALMER ING DAMS 1:38:31.193
2 MITCH EVANS NZL RUSSIAN TIME +0.427
3 FELIPE NASR BRA CARLIN +0.653
4 JOHNNY CECOTTO JR. VEN TRIDENT +2.175
5 SERGIO CANAMASAS ESP TRIDENT +2.884
6 ARTHUR PIC FRA CAMPOS +6.187
7 RIO HARYANTO INA CATERHAM +8.718
8 STÉPHANE RICHELMI MCO DAMS +9.594
9 ADRIAN QUAIFE-HOBBS ING RAPAX +9.785
10 TIO ELLINAS CHI MP +10.187
11 DANIËL DE JONG HOL MP +10.689
12 RAFFAELE MARCIELLO ITA RACING ENGINEERING +11.727
13 CONOR DALY EUA LAZARUS +12.291
14 STOFFEL VANDOORNE BEL ART +12.705
15 KIMIYA SATO JAP CAMPOS +26.761
16 ALEXANDER ROSSI EUA CATERHAM +29.166
17 NATHANAËL BERTHON FRA LAZARUS +56.107
18 ARTEM MARKELOV RUS RUSSIAN TIME  
19 RENÉ BINDER AUT ARDEN  
20 SIMON TRUMMER SUI RAPAX  
21 STEFANO COLETTI MCO RACING ENGINEERING  
22 TAKUYA IZAWA JAP ART  
23 JULIÁN LEAL COL CARLIN  
24 ANDRÉ NEGRÃO BRA ARDEN  
25 DANIEL ABT ALE HILMER  
26 FACU REGALIA ARG HILMER