F2

Haryanto acerta com Campos e garante lugar na GP2 em 2015. King corre pela Racing Engineering

A GP2 anunciou nesta semana os nomes de mais dois pilotos que vão competir na categoria na temporada 2015: Rio Haryanto e Jordan King, que defenderão as equipes Campos e Racing Engineering, respectivamente
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Rio Haryanto vai correr pela Campos em 2015 (Foto: Divulgação)
Chegou a 11 o número de pilotos confirmados para a temporada 2015 da GP2, que começa entre os dias 17 e 19 de abril no Bahrein. Os mais recentes nomes anunciados por equipes da categoria foram os de Rio Haryanto e Jordan King.
 
Haryanto defenderá a escuderia Campos, onde formará dupla com o francês Arthur Pic. O indonésio está na categoria desde 2012 e ainda busca a primeira vitória.
 
Antes de chegar à Campos, o piloto de 22 anos defendeu as escuderias Carlin, Addax e Caterham.
Jordan King será piloto da Racing Engineering (Foto: Divulgação)
“Estou muito feliz por estar de volta à GP2 neste ano e ansioso por trabalhar com a Campos. Sinto que esta é uma equipe forte e estamos muito comprometidos com o sucesso, e Adrian é um ótimo motivador”, afirmou o piloto.
 
Quem também está assegurado no grid é o britânico King, de 20 anos. Ele foi campeão da F3 Inglesa em 2013 e é filho de Justin King, empresário inglês ligado à possível compra da Manor/Marussia na F1.
 
King disse que a decisão de escolher uma equipe foi difícil, mas que a Racing Engineering preenche todos os requisitos que para ele são importantes. “Eles têm um conhecimento tremendo de como tirar o melhor de jovens pilotos, o que é o que eu preciso em um estágio tão crucial da minha carreira”, comentou.
 
“É uma equipe ultraprofissional cujo foco está somente na GP2, enquanto outros times competem em vários campeonatos diferentes. Ao meu ver, esta abordagem exclusiva só pode ser positiva. Claro que todos os times tendem a fazer um trabalho fantástico, mas a Racing Engineering vem sendo consistente ano após ano e acredito que vão me dar um bom carro em todos os finais de semana”, completou.
 
OS 10+ DA PRIMEIRA SEMANA

Por quatro dias, oito equipes marcaram presença no circuito de Jerez, na Espanha, para os primeiros testes da pré-temporada. Naturalmente, a curiosidade para se acompanhar as atividades na pista andaluz era grande, e também há diversos pontos a se destacar após essa primeira bateria de treinos coletivos. A liderança da Ferrari, o dia em que o brasileiro Felipe Nasr foi o mais rápido, os problemas da McLaren e a pintura da Red Bull foram alguns dos aspectos que chamaram a atenção. 

Leia a matéria completa no GRANDE PRÊMIO.
O SOM AO REDOR

Tempos mais baixos, menos problemas e mais barulho. Dá para resumir assim, do ponto de vista dos motores V6 turbo, a semana de testes da F1 em Jerez de la Frontera, abrindo a pré-temporada de 2015. Introduzidas em 2014, essas unidades de força que atrelam sistemas híbridos ao motor de combustão interna vêm recebendo muitas críticas desde o princípio desta nova era.
 
Há cabos eleitorais fortes que pedem a mudança do regulamento — a alternativa mais defendida neste momento é a adoção de propulsores com 1000 cavalos de potência. Mas é incontestável como, com o passar do tempo, nota-se uma evolução.

Leia a matéria especial do CONTA-GIRO desta semana no GRANDE PRÊMIO. 
FORA DE NOVO

O momento da Force India não é bom. Após perder a primeira bateria de testes em Jerez, o time indiano está fora da segunda sessão de treinos coletivos, que acontece em Barcelona e corre o risco de perder a terceira também. A confirmação veio nesta sexta-feira (6) por meio do chefe-adjunto do time Bob Fernley à BBC, que citou a falência de Marussia e Caterham e a demora para assinar contrato para ter o túnel de vento da Toyota como principais fatores para o atraso na produção do VJM08.
 
Fernley garantiu que não há a menor possibilidade do VJM08 estar pronto para a segunda bateria de testes, agora em Barcelona, mas explicou que a intenção do time é ter o novo carro pronto para a última sessão de testes. 

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.