F2

Negrão deixa World Series e assina com Arden para disputar temporada 2014 da GP2

André Negrão assinou com a equipe britânica Arden e vai disputar a GP2 no ano de 2014
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 André Negrão somou 36 pontos em 2012 na World Series (Foto: Paolo Pellegrini/MF2)

 André Negrão assinou com a Arden e vai disputar a temporada 2014 da GP2. Negrão deve ser o único brasileiro na principal categoria de acesso à F1.

A Arden é uma equipe com importante participação brasileira em sua história. Bruno Senna, em 2007 e Luiz Razia, em 2012, tiveram boas passagens pela equipe fundada por Christian Horner. Negrão revelou que se encontrou com Senna e, que tal conversa o ajudou a ter certeza sobre qual seria o melhor destino para sua carreira.

“Ele me disse que a equipe era muito boa, estruturada e que em nada ficava devendo para a Carlin”, disse Negrão sobre a decisão de correr na Arden e não na Carlin.

Além disso, Negrão destacou o fato de a Carlin ter perdido algumas peças importantes, fazendo o brasileiro preferir a Arden.

"A Carlin parecia a alternativa mais interessante, mas o engenheiro com quem trabalhei nos testes, e com quem havia me entrosado bem, aceitou uma proposta da Russian Time. E o telemetrista foi para a Arden. Com isso, a Arden saiu de segunda para primeira opção”, explicou Negrão. 
André Negrão assinou com a Arden e vai disputar a temporada 2014 da GP2 (Foto: Divulgação)
O brasileiro viaja para a Inglaterra no dia 27, para ser oficialmente apresentado para a equipe e fazer o molde do banco e ajuste dos pedais. A temporada se inicia em Sakhir, no Bahrein, mas os trabalhos nas pistas se iniciam em Abu Dhabi, com três dias de treino. Para Negrão, tais testes são importantíssimos para a adaptação à nova categoria.

"Os pneus são extremamente difíceis de lidar. São iguais aos da F1, mas nesta você pode compensar com uma série de ajustes aerodinâmicos e mecânicos”, lembrou o brasileiro.

Apesar de ser estreante, Negrão aposta em experiência na World Series e em treinos realizados no final de 2013.

"Andei três anos na World Series, que em ocasiões chega a ser mais rápida que a GP2. Espero ser competitivo desde o começo do campeonato, porque os meus treinos no final de 2013 foram bons. Das seis sessões, fiquei entre os 10 em cinco. Além disso, conheço todas as pistas, menos a do Bahrein, onde passaremos antes da abertura do calendário, e a de Sochi, na Rússia, que estreará na categoria”, explicou Negrão.