Simpático australiano disse que só deixará Red Bull ao final deste ano para um carro mais rápido e no qual não seja segundo piloto. Incidente mal administrado pela equipe com Verstappen mostra que, no mínimo, não é o preferido dentro da atual garagem

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Perto do fim de seu contrato, Daniel Ricciardo deu neste fim de semana, no GP do Azerbaijão, pela primeira vez declarações de que só sairá da Red Bull para um carro mais rápido e que tenha iguais condições de lutar pelas vitórias com seu companheiro. A batida com Max Verstappen neste domingo (29), no entanto, deu claras evidências de que ele não tem essa condição nem mesmo dentro da atual equipe na F1.

Em uma corrida igualmente caótica em Baku, assim como no ano passado, Lewis Hamilton fez as pazes com a vitória, a primeira do ano. Mais do que isso, tomou a ponta do Mundial graças à afobação de Sebastian Vettel que trocou a liderança por uma ultrapassagem mal-sucedida. Acabou na quarta posição, com 66 pontos na tabela dos pilotos, quatro agora atrás do rival. Kimi Räikkönen, em uma corrida de recuperação, e o surpreendente Sergio Pérez completaram o pódio.

 

Ricciardo, de declarações muito sinceras e sorriso sempre estampado no rosto, procura algo que já não tem, tampouco encontrará na Ferrari de Vettel e na Mercedes de Hamilton. As equipes dos tetracampeões mundiais são possíveis alvos de um dos melhores pilotos do grid para os lugares de Kimi Räikkönen e Valtteri Bottas, que também vivem o fim de seus vínculos em suas respectivas equipes. Em tese, é como se não precisasse ser o preferido, como já não é na Red Bull, mas também não precisa ser o declaradamente o segundo piloto.

O incidente entre #3 e #33, se olhado isoladamente, foi coisa de corrida. Acontece que a tragédia já era anunciada desde pelos menos a volta 13. Ao permitir o primeiro encontrão dos dois (chegaram a tocar rodas), a direção da equipe não privilegiou Ricciardo – e talvez nem devesse mesmo já que eles não brigam pelo título. Para piorar, uma fechada de Verstappen aconteceu no giro 27. Ou seja, o australiano teme uma 'desigualdade de condições' que já passa muito perto da Red Bull. 

Bom que se diga que o jovem holandês não tem nada a ver com a situação do australiano. Quando não prejudica a corrida dos adversários, Verstappen está mais do que certo ao defender com afinco as suas posições. Ainda há um excesso de autoestima que proporcionam erros até grotescos em determinadas manobras. Não foi o caso da pequena mudança de direção na entrada da curva 1. Há algum tempo, o piloto não fecha mais a porta na frenagem do carro adversário.
(AFP)

Ricciardo teme ‘desigualdade de condições’ com Vettel ou Hamilton em eventual saída da Red Bull (AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Verstappen vendeu caro, foi ultrapassado na pista, mas também teve seus méritos ao recuperar a posição nos boxes. Não há dúvida de que cruzar a reta e dar de cara novamente com o companheiro de equipe mexeu com a cabeça de um sempre equilibrido Ricciardo. Parece não haver dúvidas de que ele é o melhor piloto ao negociar ultrapassagens.

O holandês é claramente o queridinho da Red Bull. Ainda que piloto de melhores resultados, o australiano não goza do mesmo prestígio nem sob o aspecto financeiro já que ganha menos e não tem seu vínculo preso até 2020. Evidentemente que a relação com os potenciais companheiros de equipe Vettel e Hamilton também não seria das mais amigáveis, mas poderia ser recompensada com um carro com mais condições de brigar por vitórias e, de certa forma, o aproximar de um eventual título mundial. 

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=’//embed.playbuzz.com/sdk.js’;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,’script’,’playbuzz-sdk’));

 

Oficialmente, a Red Bull tratou de escrever em suas redes sociais que foi coisa de corrida e ignorou a falta de percepção de Ricciardo ou as duas mudanças de traçado (ainda que a segunda, para a esquerda tenha sido um tanto mais discreta que outras).

“Não tem ordem de equipe aqui, mas você tem que mantê-los limpos. Nenhum dos dois pilotos teve culpa, ambos estavam competindo duro para vencer”, escreveu a equipe apesar dos comentários mais pesados do consultor da equipe Helmut Marko. “Não me importo de quem é a culpa. Os dois devem ter cérebro suficiente para evitar o acidente. Nós tomaremos medidas para evitar que isso se repita.”

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

SÃO PAULO E-PRIX 2023:
SINTA A ENERGIA DA FÓRMULA E

25 de março de 2023 CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR O SITE OFICIAL DE VENDAS E ATIVAR O SEU BENEFÍCIO EXCLUSIVO COM O CÓDIGO SAOPAULOVIP. Comprar Ingresso com desconto

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar