A altitude do México vai ressaltar os carros que conseguirem gerar aderência em condições um tanto adversas

O GP do México é um dos maiores desafios de engenharia de pista na temporada da F1. A razão disso é a mais elevada altitude do calendário: 2200 metros acima do nível do mar na Cidade do México, gerando uma mistura de altíssimas velocidades com baixíssimos níveis de aderência.

Turbo, o motor do carro atual de F1 não perde potência no Autódromo Hermanos Rodríguez como ocorria com os aspirados tempos atrás. Por outro lado, o ar rarefeito diminui a pressão aerodinâmica e acaba por prejudicar também a aderência dos carros. Fora isso, o resfriamento de freios e motor é mais uma dificuldade.

E, ao falar dos freios, ainda é preciso lembrar que o circuito possui longas retas que terminam em curvas de baixa velocidade.

No ano passado, o retorno do México ao calendário não nos brindou com uma prova das mais empolgantes, mas ela também não foi das piores. A experiência obtida em 2015, contudo, será fundamental para o desempenho dos times neste ano. As características de cada carro até podem ajudar ou atrapalhar alguém, mas acredito que a operação no fim de semana é que fará mais a diferença.

Equipe por equipe, aqui vai o Power Ranking da F1 antes da 18ª etapa de 2016:

1. MERCEDES

Último ranking: 1º

Dobradinha no grid e na corrida em 2015, sempre com Nico Rosberg à frente — e depois que Lewis Hamilton selou o tricampeonato. O inglês jamais se pareceu confortável na pista no ano passado. Desta vez, é ele quem está fora da zona de conforto.
(Lewis Hamilton e Nico Rosberg (Foto: Pirelli))

2. RED BULL

Último ranking: 2º

Quão no chão é o chassi da Red Bull? Isso pode ser fundamental para o time no México. Se o RB12 conseguir “grudar” no chão mais que os carros ao seu redor, poderá manter essa condição de segunda força. Do contrário, compensar o motor menos potente pode ficar difícil.
(Daniel Ricciardo (Foto: Red Bull))

3. FERRARI

Último ranking: 3º

A Ferrari se classificou bem com Vettel no ano passado, deixando a Red Bull 0s6 atrás. É que o time italiano vem de uma de suas provas mais complicadas do ano, e também tem sofrido para aquecer os pneus em condições adversas. Uma incógnita.
(Kimi Räikkönen (Foto: Pirelli))

4. FORCE INDIA

Último ranking: 4º

Se é para apostar em uma surpresa, aposto na Force India. Sergio Pérez, que corre em casa neste fim de semana, saiu-se bem em circuitos de baixa aderência neste ano, como Mônaco e Baku. Ao mesmo tempo, tem às suas costas um motor Mercedes.
(Sergio Pérez (Foto: Force India))

5. WILLIAMS

Último ranking: 5º

A Williams aceitou sua condição de equipe intermediária neste fim de 2016. Quer buscar o quarto lugar, e perdeu uma boa oportunidade nos Estados Unidos com Valtteri Bottas ficando fora dos pontos. No México, a vida tende a ser mais difícil do que fácil.
(Felipe Massa (Foto: Williams))

6. MCLAREN

Último ranking: 7º (+1)

Está difícil de entender essa McLaren… Foi mal na classificação em Austin, mas levou seus dois pilotos aos pontos. Fernando Alonso deu um show. Segundo Éric Boullier, as curvas de alta estão sendo um problema. No Hermanos Rodríguez, predominam as curvas de baixa. Quem sabe isso ajuda.
(Jenson Button (Foto: Red Bull))

7. TORO ROSSO

Último ranking: 8º (+1)

A Toro Rosso voltou a andar bem, e Carlos Sainz repetiu o melhor resultado da temporada ao chegar em sexto. Daniil Kvyat poderia ter pontuado se não tivesse sido punido no início da prova. A lógica para um bom desempenho é semelhante ao que enfrentarão Red Bull e McLaren: “grudar” o carro no chão para compensar o motor mais fraco.
(Carlos Sainz (Foto: Red Bull))

8. HAAS

Último ranking: 6º (-2)

Os problemas mecânicos continuam se manifestando na Haas. Novamente, freios tiraram um de seus carros — Gutiérrez, em Austin. Mas embora tenham caído aqui no Power Ranking, os norte-americanos estão até que conseguindo brigar um pouco mais à frente nas últimas provas, cercando os pontos.
(Esteban Gutiérrez (Foto: Getty Images))

9. RENAULT

Último ranking: 9º 

Não consigo ver a Renault surpreendendo no México. É um carro que não supera ninguém nem pelo motor, nem pela aerodinâmica. Tem ou não tem a cara de que vou queimar a língua falando isso?
(Kevin Magnussen (Foto: Pirelli))

10. SAUBER

Último ranking: 10º

Não levo a sério a tal “sabotagem” a Nasr. Acredito, porém, que Marcus Ericsson possa receber mais atenção, assim como acredito que a equipe está sendo bem incompetente em sua operação. Triste ver um time com tanta história nesta situação.
(Felipe Nasr (Foto: Getty Images))

11. MANOR

Último ranking: 11º

A Manor parou nas últimas corridas. Na maior parte do ano, até ficou à frente da Sauber aqui no Power Ranking, mas já há algum tempo que Esteban Ocon e Pascal Wehrlein estão andando praticamente sozinhos no fim da fila. É a vida.
(Manor (Foto: Pirelli))

Na seção 'Por Fora dos Boxes', Renan do Couto publica às terças e sextas-feiras opiniões, análises, reportagens e outros conteúdos especiais a respeito do Mundial de F1 e das demais categorias do automobilismo mundial. Renan também é narrador dos canais ESPN e ganhou, em 2015, o Prêmio ACEESP de melhor reportagem de automobilismo com o Grande Prêmio.

Leia as colunas anteriores

Siga no Twitter

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

SÃO PAULO E-PRIX 2023:
SINTA A ENERGIA DA FÓRMULA E

25 de março de 2023 CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR O SITE OFICIAL DE VENDAS E ATIVAR O SEU BENEFÍCIO EXCLUSIVO COM O CÓDIGO SAOPAULOVIP. Comprar Ingresso com desconto

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar