O fim da temporada sempre marca chegadas e partidas. No caso do GP de Abu Dhabi, vai ser uma corrida de despedidas e possivelmente da consagração de um novo campeão

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppTelegramPinterestEmail

A decisão da F1 está logo ali. No domingo, em Abu Dhabi, Nico Rosberg fará a corrida da vida, tentando chegar em terceiro lugar para garantir o seu primeiro título mundial. Para isso, terá em mãos o melhor carro do grid, e só algo fora da curva poderá impedi-lo de alcançar seu objetivo.

O GP de Abu Dhabi é o último da temporada, e a maior parte das brigas entre as equipes já está definida. A Mercedes é campeã há tempos, e a Red Bull tem o vice garantido. A Force India tem tudo para resistir à Williams que aparece 27 pontos atrás pela quarta posição. Toro Rosso e McLaren, e Sauber e Manor são outros times que ainda brigam por algo diferente.

Mas quem deve andar mais forte em Abu Dhabi, que não costuma ser uma pista de grandes surpresas? Segue o derradeiro Power Ranking da F1 2016.

1. MERCEDES

Último ranking: 1º

A Mercedes venceu em Abu Dhabi nos últimos dois anos, mas os problemas mecânicos de Nico Rosberg ficaram marcados. A equipe espera que algo do tipo não se repita e estrague a decisão do título. No treino classificatório em 2015, a vantagem para a Ferrari foi de 0s8.
(Mercedes (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio))

2. RED BULL

Último ranking: 2º

A Red Bull venceu em Abu Dhabi três vezes, sempre com Sebastian Vettel. Agora, terá dois pilotos determinados a fechar o ano com um grande resultado — o que significa possivelmente interferir na briga pelo título entre Rosberg e Hamilton.
(Max Verstappen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio))

3. FERRARI

Último ranking: 3º

Para fechar um ano em que foi terceira força, a Ferrari deve se ver nesta posição no GP de Abu Dhabi. Um ano complicado, de expectativas frustradas que enfim termina. O problema? Não há muitos motivos para ficar esperançosa para 2017.
(Divulgação/Ferrari)

4. FORCE INDIA

Último ranking: 4º

Ano passado, Pérez conseguiu se classificar em quarto e terminar em quinto. Foram os seus melhores resultados no circuito. São 27 pontos de vantagem para a Williams após o GP do Brasil. É segurar essa vantagem para obter o melhor resultado de sua história, o quarto lugar de Construtores.
(Sergio Pérez (Foto: Force India))

5. WILLIAMS

Último ranking: 5º

27 pontos equivalem a um terceiro e um quarto lugares. Alguém aposta que a Williams consegue isso? Eu não. Se brincar, até mesmo a ida ao Q3 pode correr risco. E vamos ver o que reserva a Felipe Massa sua última corrida na F1.
(Felipe Massa no GP do Brasil (Foto: Williams))

6. MCLAREN

Último ranking: 6º

 

A McLaren mantém a sexta posição, mas seus chefes acreditam que o carro se comporta bem em curvas de baixa. E isso é tudo o que há no circuito da Marina de Yas. Se isso compensar as duas longas retas, coisas boas podem acontecer para Alonso e Button. O inglês fará sua última prova antes do tal ano sabático, e eu duvido que volte em 2018.
(Fernando Alonso (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio))

7. TORO ROSSO

Último ranking: 7º

Carlos Sainz voltou a conseguir bons resultados na passagem da F1 pelas Américas. Foram mais dois sextos lugares, melhores marcas da carreira. Pode ser um bom sinal para essa festa de fim de ano. Rola tirar os 12 pontos de vantagem que a McLaren tem? Difícil. A maior pontuação do time de Faenza no ano foi na Espanha: 9.
(Carlos Sainz (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio))

8. HAAS

Último ranking: 8º

A Haas continua com sua bipolaridade. Foi melhor só que a Manor no México, teve Romain Grosjean em sétimo na classificação em Interlagos. Vai entender… Abu Dhabi, de certa forma, lembra os circuitos em que o time foi bem no início do ano.
(Romain Grosjean (Foto: Haas))

9. RENAULT

Último ranking: 9º 

A Renault pontuou na Rússia e na Malásia. Pistas com curvas de baixa, predominantemente, e longas retas. Ainda assim, o retrospecto indica que se trataram de exceções.
(Jolyon Palmer (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio))

10. SAUBER

Último ranking: 10º

Felipe Nasr deu o décimo lugar de Construtores à Sauber no Brasil, mas ainda deve correr pelo emprego no GP de Abu Dhabi — e pode ser que nem adiante. O time já confirmou Marcus Ericsson para 2017.
(Felipe Nasr (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio))

11. MANOR

Último ranking: 11º

Esteban Ocon vai para a Force India em 2017, e Pascal Wehrlein ainda não está confirmado. A tendência é que fique, mas fazer um bom fim de semana pode ajudar a sanar qualquer dúvida que possa existir.
(Pascal Wehrlein (Foto: Manor))

Na seção 'Por Fora dos Boxes', Renan do Couto publica às terças e sextas-feiras opiniões, análises, reportagens e outros conteúdos especiais a respeito do Mundial de F1 e das demais categorias do automobilismo mundial. Renan também é narrador dos canais ESPN e ganhou, em 2015, o Prêmio ACEESP de melhor reportagem de automobilismo com o Grande Prêmio.

Leia as colunas anteriores

Siga no Twitter

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n<e.length;n++)if(child=e[n],e[n].id.substr(0,t.length)==t)return e[n];for(var c=0,n=1;nc&&(c=e[n].offsetWidth);return c>80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar