O GP do Canadá valeu a pena. Foi a primeira corrida realmente incontestável da F1 2024, com possibilidades, disputas, ultrapassagens, luta tripla de equipes por vitória, chuva e sol. Um caos maravilhoso

Max Verstappen venceu uma excelente edição do GP do Canadá. A corrida do último domingo (9) foi a primeira incontestável da temporada 2024 da F1 e teve de tudo, das boas brigas no pelotão a uma disputa real por vitória. E que envolveu três equipes diferentes. Tudo isso com uma ajudinha providencial climática, claro.

Lando Norris e George Russell completaram o pódio e tiveram, ambos, chances reais de vitória. No caso de Lando, falha maior da McLaren, que bobeou na estratégia e no momento de executar o pit-stop, enquanto George esteve atabalhoado e não conseguiu aproveitar a enorme pole cravada no sábado.

Lewis Hamilton, Oscar Piastri, Fernando Alonso, Lance Stroll, Daniel Ricciardo, Pierre Gasly e Esteban Ocon completaram a zona de pontos. As Ferrari viveram um verdadeiro calvário, bem como Sergio Pérez: os três nem completaram a corrida no Canadá.

O Ranking GP parte para mais uma distribuição de notas, do vencedor Verstappen a Carlos Sainz, Alexander Albon, Pérez, Charles Leclerc e Logan Sargeant, que abandonaram.

As notas do Ranking GP são distribuídas por Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum.

Pódio de um excelente GP do Canadá (Foto: Red Bull Content Pool)

1º) Max Verstappen – 9.5 – Não foi a atuação mais brilhante de Max, até cometeu um erro ou outro, mas deu o jeito dele de vencer a corrida. E são provas assim, em que a Red Bull claramente não consegue dominar, mas Verstappen ganha, que tornam o neerlandês tão favorito a mais um título.

2º) Lando Norris – 9.0 – Uma atuação muito forte de Norris. A pole escapou no detalhe e o ritmo na corrida, especialmente no final do primeiro stint de pneus intermediários, foi assombroso. A grande verdade é que perdeu a corrida porque a McLaren não o chamou para os boxes quando o safety-car foi acionado. Fez linda ultrapassagem em Verstappen e cometeu alguns errinhos naturais para a pista molhada.

3º) George Russell – 7.5 – Uma espetacular pole e uma corrida muito sólida até o caos começar para valer. Quando perdeu a ponta, parece que descontrolou e aí foi empilhando ações estabanadas. O pódio ainda saiu como lucro, errou bastante na reta final e saiu bem decepcionado com o próprio rendimento.

Fernando Alonso lutou bastante no Canadá (Foto: Aston Martin)

4º) Lewis Hamilton – 7.0 – Mais um que saiu decepcionado consigo mesmo. Hamilton falou em “uma das piores atuações”. Exagero, não foi para tanto, mas dava para ter feito mais. A classificação foi bem ruim e aquele tempo todo atrás de Alonso no primeiro stint também foi pesado.

5º) Oscar Piastri – 6.5 – Até teve bom ritmo em parte da corrida, mas caiu bastante no fim e teve aquele momento complicadíssimo no rádio ao basicamente recusar virar segundo e aceitar chegar em quinto, já que a McLaren simplesmente ofereceu a ele a chance de ter Norris como escudeiro. Difícil de entender.

6º) Fernando Alonso – 8.0 – Ficou totalmente no limite na corrida. A Aston Martin não tinha a menor condição de fazer mais que isso, o espanhol ainda classificou-se bem e segurou Hamilton por um bom tempo. Foi o que deu para fazer.

7º) Lance Stroll – 7.5 – Atrás de Alonso, beleza, mas também fez o máximo possível ali. Bom resultado, performance bastante sólida, poucos erros cometidos. Stroll merece elogios aqui, sim.

8º) Daniel Ricciardo – 7.5 – Apesar da largada tenebrosa — e queimada, diga-se, o australiano somou um resultado importante para a equipe. E recebe uma nota alta principalmente pela classificação, ali Daniel brilhou.

9º) Pierre Gasly – 8.0 – Fez uma ótima atuação e teve a coragem de puxar a fila dos pneus de pista seca quando o traçado foi melhorando. Premiado com os pontinhos.

10º) Esteban Ocon – 8.0 – Ótima atuação também. Ocon pulou a primeira parada nos boxes e foi sobrevivendo com pneus muito desgastados. No final, era mais lento que Gasly, mas só terminou atrás do companheiro sem defender a posição porque a equipe mandou. Sem motivos, convenhamos.

Esteban Ocon se enfureceu com a ordem da Alpine no Canadá (Foto: Alpine)

11º) Nico Hülkenberg – 7.5 – Brilhou nas primeiras voltas com a escolha ousada da Haas de colocar pneus de chuva extrema, foi enfileirando ultrapassagens. Pesou a classificação muito ruim e, principalmente, o fato da equipe ter esquecido ele na pista com os pneus errados quando o traçado já estava bem mais seco. Mas brigou bastante.

12º) Kevin Magnussen – 7.5 – Conseguiu destaque ainda maior que o de Hülk nas primeiras voltas justamente porque se classificou melhor. Foi vítima de um pit-stop horrível da Haas e acabou indo lá para trás. Cometeu uns errinhos depois.

13º) Valtteri Bottas – 5.5 – Foi corajoso ao pular a primeira janela de pit-stops, brigou bastante, mas acabou de novo lá atrás.

14º) Yuki Tsunoda 5.0 – Vinha para um belo resultado e uma nota alta, brigou bastante, foi outro a arriscar os pneus velhos, defesas boas de posição. Aí errou, foi para a grama e saiu de lado. Colocou tudo a perder.

15º) Guanyu Zhou – 2.5 – Terrível exibição coroada por acidentes, no plural, durante os treinos livres. Que fase.

Charles Leclerc teve fim de semana para esquecer no Canadá (Foto: Ferrari)

NC) Carlos Sainz – 2.5 – Sofreu com uma Ferrari muito da limitada no Canadá, mas não se ajudou. Ficou no Q2 da classificação e rodou sozinho quando finalmente entrava na zona de pontos. Não é um dos grandes pilotos do grid em pista molhada.

NC) Alexander Albon – 8.0 – Fez provavelmente a ultrapassagem mais linda da temporada, ao superar dois carros em uma reta e uma entrada de curva. Drible fantástico, mergulho perfeito. Sofreu com o ritmo da Williams, mas ainda levou o carro ao Q3. Merecia pontos, foi acertado por Sainz.

NC) Sergio Pérez – 0 – A gente quase nunca, quase nunca mesmo, dá zero para alguém, mas Pérez conquistou. Ficou no Q1 na classificação, largou mal, bateu em Gasly, depois andou mal de novo e acabou arrebentando o carro no muro. Uma tragédia.

NC) Charles Leclerc – 3.0 – É quase um sem nota aqui porque foi mais vítima da Ferrari do que qualquer coisa. O problema no motor matou qualquer possibilidade, aliás. Que balde de água fria enorme em quem já mirava o título.

NC) Logan Sargeant – 1.5 – Uma boa classificação e aí, na corrida, aquela coisa, né? Muro.

Logan Sargeant ainda é o lanterna do Ranking GP 2024 (Foto: Williams)

GP do Canadá – 9.0 – Depois daquele horror apresentado em Mônaco, a F1 lavou a alma no Canadá. A melhor corrida do ano até aqui, com condições mistas climáticas aparecendo na hora certa e ótimas brigas e ultrapassagens. Verstappen foi desafiado e venceu mesmo assim, um corridão.

Melhores GPs – GP do Canadá – 9.0
Pior GP – GP de Mônaco – 3.0
Média: 6.1

MÉDIA DA TEMPORADA:

1º) Max Verstappen – 8.6
2º) Oliver Bearman – 8.0*
3º) Lando Norris – 7.8
4º) Nico Hülkenberg – 7.4
5º) Charles Leclerc – 7.3
6º) Carlos Sainz – 6.9
7º) Oscar Piastri – 6.9
8º) Fernando Alonso – 6.6
9º) George Russell – 6.6
10º) Yuki Tsunoda – 6.4
11º) Pierre Gasly – 6.1
12º) Alexander Albon – 5.8
13º) Lewis Hamilton – 5.7
14º) Esteban Ocon – 5.6
15º) Kevin Magnussen – 5.2
16º) Sergio Pérez – 4.7
17º) Lance Stroll – 4.7
18º) Daniel Ricciardo – 4.7
19º) Valtteri Bottas – 4.6
20º) Guanyu Zhou – 4.1
21º) Logan Sargeant – 3.2

*Oliver Bearman atuou em apenas 1 corrida, substituindo Carlos Sainz na Ferrari.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!
Confira as edições anteriores do Ranking GP

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

SÃO PAULO E-PRIX 2023:
SINTA A ENERGIA DA FÓRMULA E

25 de março de 2023 CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR O SITE OFICIAL DE VENDAS E ATIVAR O SEU BENEFÍCIO EXCLUSIVO COM O CÓDIGO SAOPAULOVIP. Comprar Ingresso com desconto

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar