O GP da Espanha de 2022 foi mais movimentado do que costuma acontecer e terminou com uma vitória que caiu nas mãos de Max Verstappen

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppTelegramPinterestEmail
FÓRMULA 1 2022: VERSTAPPEN VENCE NA ESPANHA E ASSUME LIDERANÇA. FERRARI EM APUROS? | Paddock GP #288

A temporada 2022 da Fórmula 1 segue sambando entre as mãos de apenas dois pilotos. Embora seja verdade que Max Verstappen, ao sair vencedor do GP da Espanha, emendou a terceira vitória seguida, também é justo apontar que a corrida estava as mãos de Charles Leclerc até que o motor Ferrari falhou e obrigou o monegasco a abandonar. No meio disso, uma corrida que foi até melhor que a encomenda.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
Confira todas as edições do Ranking GP aqui

Leclerc largou na frente, sempre se defendeu bem para o que vinha e, quanto Verstappen fica preso atrás de George Russell, esticou o primeiro stint e se preparou para, na pior das hipóteses, passar o restante da prova na liderança e de pneus mais novos que os rivais da Red Bull. Aí, porque as corridas acontecem, o carro falhou com ele.

Verstappen aproveitou a chance e o tapinha nas costas da Red Bull, que mandou Sergio Pérez – que fazia corrida melhor que o holandês – abrir caminho. Max, assim, saiu da Espanha como o novo líder do Campeonato Mundial.

Max Verstappen recebe a bandeirada no GP da Espanha (Foto: Red Bull Content Pool)

Confira as notas

1) Max Verstappen – 8.0 – Não, não foi uma aula de Verstappen. Aliás, talvez tenha sido a atuação menos boa do holandês em 2022. Ainda assim, uma boa performance. Cometeu um erro pesado, escapou, por pouco não parou na brita, mas se recuperou. E aí contou com a ordem de equipe da Red Bull e uma tremenda estratégia para superar Pérez e Russell. E, olha só, é líder do campeonato de novo!

2) Sergio Pérez – 8.0 – Ficou vendido ali tendo de trocar posição com Max, mas teve um roteiro daqueles clássicos de Pérez na Red Bull: mal na classificação, muito bem na corrida. Ótima recuperação mesmo. Agora é voltar a tentar classificar melhor, já teve momentos assim em 2022.

3) George Russell – 9.0 – Mas que leão, hein? O que brigou pela posição com Verstappen foi uma enormidade, se defendeu como gente grande, merecia sorte melhor. Ainda faltou um pouquinho de carro, mas já mostrou que, quando tiver tudo nos cascos, vai mesmo para a disputa acirrada. Muito talentoso.

George Russell fez ótima corrida em Barcelona (Foto: LAT Images/Mercedes)
Paddockast #148: O que esteve em jogo no GP da Espanha mais pesado dos últimos tempos

4) Carlos Sainz – 5.5 – O quarto lugar em si nem é uma tragédia, mas a verdade é que o espanhol deu sorte. Deu sorte que Leclerc quebrou, que Hamilton teve problemas no fim. Mais uma vez, errou, escapou e quase abandonou. Parece tentar ir além do limite para achar algo que não existe. Poderia ter vencido a corrida não fosse o erro.

5) Lewis Hamilton – 9.0 – Por incrível que pareça, era outro que poderia ter vencido. Mas, no caso de Lewis, culpa de Magnussen, que o acertou. O inglês fez uma corrida daquelas, caindo para penúltimo e remando até o top-5. Pontos suados e merecidos para alguém que cogitou abandonar no rádio, mas foi impedido pela equipe. Melhor para ele.

6) Valtteri Bottas – 7.5 – Olha, foi mais uma classificação incrível e o ritmo de corrida foi excelente. Bottas vai carregando a Alfa Romeo nas costas, tudo isso é verdade. Mas só fica aqui o registro para a passividade exagerada de Valtteri em todas as disputas de pista. Incomoda um pouco.

7) Esteban Ocon – 8.0 – Corridaça aça aça de Ocon. Classificou onde dava, em 12º, na frente de Alonso. Na corrida, teve ótima performance: largou bem, ritmo forte e consistente e pegou pontos cruciais para o campeonato. É um cara que vai se destacando mesmo na ‘F1 B’.

8) Lando Norris – 8.0 – Um herói. Tomou calor de Ricciardo na classificação e terminou na frente – bem na frente – do companheiro na corrida. Tudo isso passando mal, sofrendo bastante com a amigdalite. Tomara que se recupere para Mônaco, ótimo resultado.

9) Fernando Alonso – 8.0 – A classificação foi terrível? Foi terrível, mas a corrida… Olha, Fernando e a Alpine resolveram largar de últimos, aproveitando a posição ruim no grid e já trocando os componentes logo. E aí o espanhol foi para cima desde a largada. E foi aos pontos!

10) Yuki Tsunoda – 7.0 – Nada mal, viu? Quem diria que Tsunoda carregaria a AlphaTauri em pontos até aqui? O japonês melhorou muito, isso é indiscutível e vai tendo resultados decentes com um carro bastante ruim.

Lando Norris correu com amidalite e ainda garantiu (Foto: McLaren)

11) Sebastian Vettel – 6.0 – Quase pontuou, mas, em geral, foi apenas um fim de semana regular para Seb, que se queixou bastante do carro que tem nas mãos. A Aston Martin prometia como Red Bull verde. Talvez seja a AlphaTauri verde, no fim das contas.

12) Daniel Ricciardo – 4.0 – Carro ruim, carro quebrando, alguém te acertando, enfim, geralmente os pilotos do fundo do grid têm boas desculpas para estarem lá. Mas o que raios Ricciardo continua fazendo nesse bololô? Não dá para acreditar.

13) Pierre Gasly – 5.0 – Falando em desculpas, hein? Gasly continua numa maré de azar de dar gosto nos mais zicados. Na Espanha, quase nem classificou, foi para a definição do grid com o carro em frangalhos e, na corrida, ainda teve uma quebra na asa para completar.

14) Mick Schumacher – 4.5 – Silêncio: larga Mick Schumacher! Mas, por favor, alguém fala alguma coisa depois da largada porque o menino dormiu.

15) Lance Stroll – 4.5 – Levou azar ao ser tocado por Gasly, mas, sejamos sinceros? Não pontuaria mesmo assim. Precisa melhorar, bem como a Aston Martin toda.

Charles Leclerc não é mais o líder do Mundial após o abandono em Barcelona (Foto: AFP)

16) Nicholas Latifi – 5.0 – Ficou na frente de Albon e de Magnussen! Sem mais elogios porque não podemos exagerar, mas conseguiu esse feito.

17) Kevin Magnussen – 2.5 – Quase arruinou a corrida de Hamilton, arruinou a própria corrida. Vinha de ótima classificação, não pode perder chances assim.

18) Alexander Albon – 4.5 – Uma raríssima corrida apagada de Albon. Longe de todo mundo, ficou atrás até de Latifi. Passou mais tempo nos boxes do que na pista, quase.

19) Guanyu Zhou – 4.0 – Eu tenho a leve sensação de que já perguntei isso, mas: alguém viu Guanyu Zhou durante o fim de semana?

20) Charles Leclerc – 8.5 – A nota só não é maior porque a política do Ranking GP exige tirar pontos de quem não completa a corrida, mesmo que não tenha culpa alguma no abandono. Então, acho que dá para considerar isso uma nota máxima para alguém que liderou todos os treinos livres, fez uma baita pole, dominava a corrida e: quebrou, assim, de repente.

Largada do GP da Espanha de 2022 (Foto: Red Bull Content Pool)

GP da Espanha – 7.5 – O começo de temporada está esquisito, né? Tanto está que o GP da Espanha, que raramente agrada, levantou a média das provas em 2022. Nada fabuloso, fantástico, mas uma boa corrida, sim. Talvez o novo regulamento tenha permitido uma disputa mais pegada? A ver…

Melhor GP – GP do Bahrein – 8.5
Pior GP – GP da Austrália – 4.5
Média: 6.8

MÉDIA DA TEMPORADA:

1- Max Verstappen – 8,8
2- Charles Leclerc – 8,4
3- George Russell – 8,0
4- Sergio Pérez – 7,8
5- Valtteri Bottas – 7,7
6- Lando Norris – 7,2
7- Esteban Ocon – 6,9
8- Alexander Albon – 6,8
9- Lewis Hamilton – 6,3
9- Pierre Gasly – 6,3
11- Fernando Alonso – 6,1
12- Kevin Magnussen – 5,8
12- Yuki Tsunoda – 5,8
14- Carlos Sainz – 5,7
15- Sebastian Vettel – 5,1
16- Lance Stroll – 5,0
17- Nico Hülkenberg – 4,8
18- Guanyu Zhou – 4,6
19- Daniel Ricciardo – 4,4
20- Mick Schumacher – 3,6
21- Nicholas Latifi – 3,3

POR QUE A FÓRMULA 1 2022 COMEÇA AGORA PARA A MERCEDES?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar