O GP da Bélgica foi um dos piores e mais decepcionantes do ano. Sebastian Vettel e Lewis Hamilton, no entanto, se destacaram e voltaram ao topo do Ranking GP

Uma corrida em que basicamente todo o esperado aconteceu. O GP da Bélgica decepcionou muito pela extrema previsibilidade que teve no domingo, ainda mais após um sábado caótico por causa da chuva. Em uma das melhores pistas, uma das piores corridas de 2018.

As maiores notas da modorrenta corrida foram dos dois candidatos ao título, com Lewis Hamilton e Sebastian Vettel empatados. Max Verstappen e os dois pilotos da antiga Force India – hoje Racing Point – também receberam boas avaliações.

Na outra ponta, como raramente acontece, Nico Hülkenberg recebeu a pior nota, seguido por um Stoffel Vandoorne em queda livre e pelos cada vez piores Brendon Hartley e Lance Stroll, além de um Carlos Sainz Jr que não entrega nada faz tempo.

As notas do Ranking GP são calculadas através de avaliações de Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio, do GRANDE PREMIUM.

Sebastian Vettel venceu na Bélgica (Sebastian Vettel)

1º) Sebastian Vettel – 9.0 – Vettel era o favorito natural à vitória, mas o resultado acaba sendo ainda mais importante para deixar para trás as oportunidades recentes perdidas. O alemão parece ter mais carro que Hamilton e, se mantiver o foco e as boas atuações, tem total chance de ser pentacampeão.

2º) Lewis Hamilton – 9.0 – Olha, não dá para dizer que Hamilton deixou de fazer o que podia ter feito em Spa-Francorchamps. Arrumou a pole em mais um show na chuva e não teve como segurar Vettel em condições de pista seca. Manteve ainda boa margem de vantagem nos pontos.

3º) Max Verstappen – 8.0 – É até difícil encontrar grandes destaques numa corrida ruim assim, mas Verstappen merece elogios. O holandês realmente tem se transformado durante a temporada e apresenta clara evolução em relação a um começo de ano bem ruim. Não para de crescer aqui no Ranking GP e fez belas manobras na Bélgica.

Lewis Hamilton largou da pole, mas chegou em segundo (Lewis Hamilton)

4º) Valtteri Bottas – 6.0 – Uma corrida em que você é punido por toque em Sirotkin não pode ser uma boa corrida. Bottas largou do fundo do grid e demorou bastante para reagir. O quarto lugar foi o teto, mas dá para chamar sua atuação de opaca.

5º) Sergio Pérez – 8.0 – Quinto lugar na primeira corrida depois da morte da Force India e nascimento da Racing Point – que nome, hein? – é um baita resultado. O time, aliás, já colou na Sauber e pode muito bem passar a Toro Rosso até na próxima corrida. Com punição e tudo. E Pérez estará lá para ajudar.
 
6º) Esteban Ocon – 8.0 – Tudo bem que o garoto acabou atrás de Pérez – algo raro em 2018 -, mas foi tão bem na classificação e perdeu a posição para o companheiro de forma tão valente que merece elogios. Ocon tentou se enfiar em uma linha de três com nada menos que Vettel e Hamilton. Quase deu certo, quase liderou a corrida. Valeu a pena.

7º) Romain Grosjean" target="_blank">Romain Grosjean – 7.5 – Podemos dizer que Grosjean vive uma boa fase na temporada, né? Será que vai ser suficiente para garantir um emprego em 2018? Difícil saber, mas o franco-suíço encaixou mais uma boa corrida, com ótima classificação na chuva. Segue subindo na tabela de pontos. 

8º) Kevin Magnussen – 7.0 – Magnussen tomou bastante tempo de Grosjan na classificação conturbada, mas voltou a andar coladinho no companheiro na corrida. O dinamarquês faz ótima temporada e, inegavelmente, entrega o que dá para a Haas. Pode ser peça-chave para garantir a quarta colocação dos americanos – em fase bem melhor que a da Renault – em 2018.

9º) Pierre Gasly – 6.5 – Gasly continua sendo um dos melhores do ano no aspecto 'pontuar quando a chance aparece'. Dois tentos na Bélgica que vieram por uma grande classificação e uma corrida certinha, com direito a mais uma largada muito boa.

10º) Marcus Ericsson – 6.5 – No meio de forte pressão envolvendo seu nome e uma potencial saída da Sauber antes mesmo do final do ano, Ericsson deu boa resposta na Bélgica. Nada espetacular, mas o sueco pontuou, fez corrida segura e fechou na frente, por exemplo, de Sainz.

Max Verstappen fez o dever de casa e levou um pódio (Max Verstappen)

11º) Carlos Sainz Jr. – 4.5 – Hülkenberg foi o pior da corrida pelo acidente na largada, mas Sainz… Está difícil defender o espanhol que, mesmo saindo do fundo do grid, deveria ter feito mais. Bem mais. Está em péssima fase.

12º) Sergey Sirotkin – 5.5 – Sirotkin teve uma corrida bem mediana, principalmente para os padrões Williams. Bateu Stroll, isso é importante. Não fosse acertado por Bottas na largada, talvez até brigasse por ponto. Foi bem ok.

13º) Lance Stroll – 4.5 – O canadense parece contar os dias para se mudar para a nova equipe do pai, a Racing Point. Muito apagado em Spa, cumpriu tabela e perdeu para Sirotkin.

14º) Brendon Hartley – 4.0 – Poucos pilotos chegaram na segunda metade de sua primeira temporada mais demitidos que Hartley. Simplesmente não há a menor perspectiva de melhora e nem de permanência para o neozelandês.

15º) Stoffel Vandoorne – 3.0 – Lembra quando chegou a pausa de verão e achávamos que Vandoorne renasceria após mandar bem na Hungria? Bom, o belga teve um desempenho horrendo na corrida de casa. Não fez absolutamente nada e está cada vez mais ameaçado.

Fernando Alonso levantou voo em uma batida assustadora (Fernando Alonso)

NC) Daniel Ricciardo – 5.5 – Ricciardo poderia muito bem ter tido uma corrida como a de Verstappen, mas o toque em Räikkönen na largada acabou com tudo. Aquele tipo de chance que não dá para perder na fase atual.

NC) Kimi Räikkönen – 5.0 – Kimi merece críticas por, mais uma vez, ter errado quando não podia e ter dado um jeito de perder a pole, mas sua nota não pode ser tão baixa porque, na largada, tomou um toque de Ricciardo e ali deu adeus à corrida. 

NC) Charles Leclerc – 5.5 – Leclerc estava ali, na dele, quando Alonso subiu no seu Halo. Olha, quase um acidente horrível aconteceu. Dá para dizer, por isso, que o monegasco deu sorte, apesar do abandono sem culpa alguma.

NC) Fernando Alonso – 5.5 – Alonso foi vítima de Hülkenberg. Não teve culpa alguma na largada, mas dificilmente faria mesmo alguma coisa na Bélgica. Talvez roubasse o ponto de Ericsson?

NC) Nico Hülkenberg – 1.0 – Quem diria que Hülk pareceria um novato sem experiência na largada da Bélgica, hein? Não dá para explicar a pane mental que deu ali. 

GP da Bélgica – 3.0

A chuva que deu uma graça à classificação não apareceu na corrida e o GP da Bélgica foi dos piores. As críticas só aumentam porque se trata de um palco sempre muito aguardado no calendário. A Bélgica, sem muitas emoções e boas disputas, lembrou muito o GP do Canadá.

Melhor GP: 9.5 (Azerbaijão)

Pior GP: 3.0 (Canadá, Bélgica)

Média: 6.5

Nota média dos pilotos após o GP da Bélgica:

1º) Lewis Hamilton – 7.8
2º) Sebastian Vettel – 7.6
3º) Valtteri Bottas – 6.8
4º) Fernando Alonso – 6.7
4º) Kimi Räikkönen – 6.7
6º) Daniel Ricciardo – 6.6
7º) Kevin Magnussen – 6.5
8º) Nico Hülkenberg – 6.2
8º) Charles Leclerc – 6.2
8º) Sergio Pérez – 6.2
8º) Esteban Ocon – 6.2
8º) Pierre Gasly – 6.2
13º) Max Verstappen – 5.9
14º) Carlos Sainz Jr. – 5.7
14º) Romain Grosjean – 5.7
16º) Marcus Ericsson – 5.4
17º) Stoffel Vandoorne – 5.0
18º) Brendon Hartley – 4.5
19º) Lance Stroll – 4.1
20º) Sergey Sirotkin – 4.0

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

SÃO PAULO E-PRIX 2023:
SINTA A ENERGIA DA FÓRMULA E

25 de março de 2023 CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR O SITE OFICIAL DE VENDAS E ATIVAR O SEU BENEFÍCIO EXCLUSIVO COM O CÓDIGO SAOPAULOVIP. Comprar Ingresso com desconto

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar