A apresentação próxima da perfeição de Lewis Hamilton na Itália rendeu uma nota 10, a primeira dada a um piloto na temporada. Assim, o piloto empata com Sebastian Vettel na liderança do Ranking GP

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;
//pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js

O GP da Itália deste final de semana não foi uma prova inesquecível. Morna em sua maior parte e sem a tão esperada presença da chuva que embaralhou o grid no sábado, a corrida basicamente foi sustentada por aqueles que tiveram de partir da parte final do pelotão e foram enfileirando ultrapassagens, como foi o caso de Daniel Ricciardo.

Como não poderia deixar de ser, o australiano foi um dos grandes destaques da prova e, obviamente, ficou com uma das melhores notas, levando um 9.5. Acima dele apenas Lewis Hamilton, que dominou completamente as ações, manteve a grande forma que apresentou na Bélgica e deu um golpe pesado na casa da Ferrari para tomar a liderança do campeonato de Sebastian Vettel. O inglês ficou com a nota máxima.

Na outra ponta da tabela de avaliações italiana aparece Romain Grosjean. É impressionante como o francês segue sem encontrar um meio do caminho entre ótimas e péssimas atuações. Além dele, Jolyon Palmer e Marcus Ericsson, para variar, ficaram com médias bem baixas.

As notas do Ranking GP são calculadas através de avaliações de Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum e Vitor Fazio, do GRANDE PREMIUM.

Lewis Hamilton foi impecável na Itália (Lewis Hamilton em Monza)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;
//pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js

1º) Lewis Hamilton – 10 – Está difícil descontar algum ponto da nota de Lewis Hamilton. Uma classificação perfeita, uma largada mais do que correta e um ritmo de corrida que não deu a menor margem para qualquer tipo de surpresa. De quebra, vence a corrida na casa da equipe rival e ainda fica com a liderança do campeonato. Em suma, foi um final de semana impecável do britânico.

2º) Valtteri Bottas- 8.5 – Depois de um sábado um tanto quanto desastroso em que classificou atrás de carros bem piores como a Williams de Lance Stroll e a Force India de Esteban Ocon, Valtteri Bottas fez uma bela recuperação no domingo. O finlandês já foi para cima do compatriota Kimi Räikkönen na largada e não demorou muito para tirar os demais do caminho. O segundo lugar acabou ajudando e muito o companheiro Hamilton na disputa pelo título.

3º) Sebastian Vettel – 7.5 – A Ferrari foi uma decepção sem tamanho na corrida de casa em Monza, mas até que o estrago não foi colossal para Sebastian Vettel. Em uma pista em que o alemão dificilmente conseguiria bater as Mercedes, ao menos salvou um lugar no pódio e ficou em boa posição para retomar a liderança no Mundial de Pilotos em Singapura, circuito em que a Ferrari leva grande favoritismo e até a Red Bull pode surpreender a Mercedes.

Sebastian Vettel e Lewis Hamilton, rivais na luta pelo título da F1 (Lewis Hamilton e Sebastian Vettel na Bélgica (Foto: Mercedes))

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;
//pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js

4º) Daniel Ricciardo – 9.5 – Que fase fenomenal vive Daniel Ricciardo. O australiano continua operando milagres com a Red Bull. Neste final de semana, partiu do 17º lugar para uma grande arrancada, ignorando a falta de potência do motor Renault e tudo. De quebra, ainda deu um passão belíssimo em Räikkönen para abrir mais um pouco para o rival na classificação do campeonato.

5º) Kimi Räikkönen – 6.5 – Parece incrível, mas Kimi Räikkönen está ainda mais longe de Ricciardo na classificação do campeonato. Em Monza, mais uma vez deu passagem para Vettel, mas ao menos se recuperou de um fiasco completo ao conseguir deixar Stroll e Ocon para trás.

6º) Esteban Ocon – 7.5 – Depois de uma classificação fantástica e de uma largada de gente grande, Ocon acabou ficando para trás com a Force India na pista seca. É bom que se diga que o carro rosa parecia mais lento que a Williams em Monza, então Esteban basicamente fez o que deu, além de ter aguentado um bom número de voltas na frente de carros mais velozes.

7º) Lance Stroll – 7.5 – Stroll não está acostumado a largar na primeira fila e isso ficou evidenciado neste domingo quando o garoto ficou sem ação ao ver Hamilton fechar a porta, mas isso não apaga de jeito nenhum o belo fim de semana que Lance fez em Monza. Brilhante na chuva, colocou a Williams no segundo lugar do grid e, na corrida, fez o que pode para se defender. Sai com seis pontos no campeonato e vários no conceito dos fãs da F1.

8º) Felipe Massa – 6.5 – Felipe Massa esteve bem longe de ter o protagonismo do companheiro de equipe na definição do grid, mas fez uma corrida muito segura e, sem cometer erros, chegou logo atrás de Stroll, garantindo bons pontos para o time de Grove.

9º) Sergio Pérez – 6.0 – Não foi o maior final de semana da história da Force India, mas o time conseguiu mais uma vez pontuar com os dois pilotos. O nono lugar de Pérez pareceu bem coerente pelo que a equipe apresentou, já que o mexicano não conseguiu tirar a dupla da Williams do caminho.

10º) Max Verstappen – 4.5 – Max Verstappen vive uma fase… Tudo bem que Red Bull e Renault andam deixando o garoto na mão, mas ele também não se ajuda. Neste domingo, se atracou com Massa e quase abandonou na hora. Depois, fechou Kevin Magnussen e quase causou nova colisão. Salvou um ponto pelo bom carro em comparação aos rivais.

Esteban Ocon e Lance Stroll comandaram o meio do pelotão (Esteban Ocon e Lance Stroll)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;
//pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js

11º) Kevin Magnussen – 5.0 – Pela segunda corrida seguida, Magnussen perde a chance de pontuar no finalzinho. Dessa vez, coitado, não teve culpa. Verstappen tinha mais carro e passou o dinamarquês, ainda quase causando uma batida. Pela limitação da Haas em Monza, dá para se dizer que K-Mag foi bem decente.

12º) Daniil Kvyat – 5.0 – A avaliação da corrida de Daniil Kvyat é parecida com a de Magnussen. A Toro Rosso, porém, estava ainda pior que a Haas na pista italiana. O russo não se envolveu em confusões e ainda chegou na frente de Carlos Sainz Jr., algo raro na temporada. Também fica na média.

13º) Nico Hülkenberg – 4.5 – Não dá para dizer que o 13º lugar foi bom para Nico Hülkenberg, mas estava bem complicado fazer alguma coisa melhor com a Renault. O alemão foi no limite na classificação e ainda teve de enfrentar uma punição no grid. Na corrida, ficou novamente clara a limitação do motor Renault. Perde uns pontos por, já sem pneu, ter sido superado por Kvyat, mas não dá para reclamar muito dele.

14º) Carlos Sainz Jr. – 4.0 – Um carro ruim e uma posição de largada atrapalhada por punição. Não dava para esperar nada muito diferente de Sainz em Monza. Foi uma rara oportunidade em que ficou atrás de Kvyat.

15º) Romain Grosjean" target="_blank">Romain Grosjean – 2.5 – As condições da pista no início da classificação no sábado estavam péssimas, mas lá foi de novo Grosjean servir de cobaia. O franco-suíço se arrebentou, ficou acima dos 107% e ainda perdeu a chance de largar em uma boa posição com tantas punições dos rivais. Na corrida, fez o que deu: ficou na frente das Sauber.

16º) Pascal Wehrlein – 3.5 – A Sauber está numa fase meio Manor, meio Caterham. É impressionante como a escuderia suíça andou para trás e, especialmente em circuitos de retas grandes, não tem a menor condição de competir com as rivais. Pascal Wehrlein brigou com Marcus Ericsson e levou o carro ao final. Só.

Kevin Magnussen tentou, mas não se sustentou na zona de pontos (Daniel Ricciardo ataca Kevin Magnussen)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;
//pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js

NC) Fernando Alonso – 3.5 – É triste ver a situação da McLaren. Sem perspectiva de melhora, o time de Woking segue abrindo mão de etapas em que suas chances são remotas. Em Monza, basicamente cumpriu tabela para ver se arranja algo em Singapura. Alonso, coitado, abandonou de novo.

NC) Marcus Ericsson – 3.0 – Ericsson não fez nada na corrida a não ser brigar por posição com o companheiro Wehrlein e tomar voltas dos líderes. Sua nota, assim, nada mais é que comparativa com Pascal. O sueco foi um pouco pior.

NC) Stoffel Vandoorne – 5.0 – A corrida de Stoffel Vandoorne foi bem digna, no geral. O belga saiu lá do fim do grid, fez boa largada e conseguiu ser competitivo mesmo com o deficiente motor da Honda. Quando tentava subir mais um pouco no pelotão intermediário, já na frente de Alonso, teve de abandonar mais uma vez.

NC) Jolyon Palmer – 3.0 – A participação mais relevante de Palmer na Itália – talvez da temporada – foi batendo em Alonso e gerando uma discussão sobre carma. De resto, foi aquela coisa de sempre, longe dos pontos e, invariavelmente, abandonando.

Os dois carros da McLaren abandonaram em Monza (Stoffel Vandoorne e Fernando Alonso)
GP da Itália – 4.0

O GP da Itália foi ruim. Poderia ter chovido, poderia ter a Red Bull largando na frente… Enfim, decepcionou, teve poucas brigas acirradas e foi salvo por algumas boas ultrapassagens. Fica na parte final do ranking das provas de 2017 até aqui.

 

Média: 6.2

Melhor GP: GP do Azerbaijão (10.0)

Pior GP: GP da Rússia (2.5)
(GP da Itália)

Média da temporada

1º) Lewis Hamilton – 8.0
1º) Sebastian Vettel – 8.0
3º) Daniel Ricciardo – 7.5
4º) Valtteri Bottas – 7.4
5º) Esteban Ocon – 6.9
6º) Sergio Pérez – 6.4
6º) Max Verstappen – 6.4
8º) Kimi Raïkkönen – 6.3
8º) Nico Hülkenberg – 6.3
10º) Fernando Alonso – 6.2
11º) Felipe Massa – 6.1
12º) Paul Di Resta – 6.0
13º) Carlos Sainz Jr. – 5.8
14º) Romain Grosjean – 5.7
15º) Stoffel Vandoorne – 5.3
16º) Kevin Magnussen – 5.2
17º) Daniil Kvyat – 5.0
17º) Lance Stroll – 5.0
19º) Pascal Wehrlein – 4.8
20º) Marcus Ericsson – 4.5
21º) Antonio Giovinazzi – 4.0
22º) Jolyon Palmer – 3.7
23º) Jenson Button – 2.5
(O sorriso de quem manda em casa (Foto: Mercedes))

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

SÃO PAULO E-PRIX 2023:
SINTA A ENERGIA DA FÓRMULA E

25 de março de 2023 CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR O SITE OFICIAL DE VENDAS E ATIVAR O SEU BENEFÍCIO EXCLUSIVO COM O CÓDIGO SAOPAULOVIP. Comprar Ingresso com desconto

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar