Indy

Acidente de 118 G a mais de 360 km/h em Indianápolis tira Bourdais das 500 Milhas e do resto da temporada

Sébastien Bourdais teve uma noite de cirurgia no Hospital Metodista de Indianápolis após o acidente que sofreu durante a classificação das 500 Milhas de Indianápolis neste sábado. Apesar do sucesso da intervenção, o francês vai ficar de fora das pistas até o final de 2017. Os números de impacto e velocidade da batida no muro da curva 2 impressionam
Warm Up / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 Sébastien Bourdais (Foto: IndyCar)
 
Depois do forte acidente no treino classificatório das 500 Milhas de Indianápolis, Sébastien Bourdais recebeu péssimas notícias. O piloto da Dale Coyne, com fraturas na bacia e no quadril, vai ficar de fora das 500 Milhas de Indianápolis. E mais: o francês vai perder o resto da temporada 2017 da Indy.
 
A decisão foi tomada após uma noite de cirurgia no Hospital Metodista de Indianápolis. A intervenção foi bem sucedida, mas, mesmo assim, a cautela prevaleceu.
 
"A boa notícia é que tudo correu bem com a cirurgia dele, esperava-se que seriam duas cirurgias diferentes, mas deu para corrigir tudo junto, não demorou mais de 20 minutos depois da operação para que o cirurgião dele me dissesse que tudo estava bem. Ele é um cara forte, saudável, isso ajudou. A Indy trouxe também a esposa dele, isso foi bom também”, disse Dale Coyne, chefe de Bourdais.
Sébastien Bourdais sofre fortíssimo acidente em Indianápolis (Foto: IndyCar)
"Infelizmente, fomos informados que ele vai ficar de seis a oito semanas usando muletas e, depois, começa um processo de recuperação. Então, acabou a temporada dele. É triste para o Sébastien, ele chegou muito bem ao time", completou.
 
Junto da notícia de que Bourdais vai perder o resto da temporada, vieram dados impressionantes sobre a batida. Sébastien andava a 316 km/h na hora da batida, frontal, o que resultou em um impacto de 118 G – número que impressiona, mas que não é recorde: o acidente brutal de Kenny Brack no Texas em 2003 gerou 214 G. O piloto sofreu fraturas múltiplas pelo corpo, incluindo o esterno, o fêmur, os tornozelos e uma lesão em uma vértebra. Foram 18 meses de recuperação até ele poder voltar para fazer sua última prova na Indy nas 500 Milhas de Indianápolis em 2005.

 
O afastamento vem no pior momento possível para Bourdais. Não que exista bom momento para se machucar, mas o francês vivia um ótimo começo de temporada: Sébastien venceu o GP de São Petersburgo e foi segundo colocado em Long Beach. Depois de duas corridas, o veterano liderava o campeonato com a pequena Dale Coyne. O piloto também teve sucesso em 2016: na classe GTE Pro, venceu as 24 Horas de Le Mans pela Ganassi ao lado de Dirk Müller e Joey Hand. Bourdais estava escalado para o time da Ford em Le Mans novamente na edição deste ano.

A Dale Coyne vai precisar de um substituto para o carro #18, mas ainda não aponta nomes nem para a disputa das 500 Milhas de Indianápolis. Um novo anúncio deve ser feito em breve.
 
MENINO THOMAS MOSTRA LADO HUMANO DA F1 E AQUECE ATÉ CORAÇÃO DO ‘HOMEM DE GELO’ RÄIKKÖNEN