Palou fura fila de O’Ward com vitória e engrossa lista de ótima ‘Next Gen’ da Indy

Tudo indicava que Pato O'Ward finalmente triunfaria na Indy no Alabama, mas quem debutou na lista de vencedores da categoria foi Álex Palou, furando a fila do companheiro de 'Next Gen', a talentosíssima nova geração do campeonato

‘Next Gen’ é um termo cada vez mais popular nas mais diversas modalidades esportivas ao redor do mundo. Resumidamente, significa um grupo de jovens extremamente talentosos e promissores, que já chegaram próximos do topo de suas categorias, mas que ainda têm margem para evoluir, que possuem um longo prazo ainda melhor do que deve ser o curto.

No tênis, onde o termo é bastante utilizado, a ideia veio com força conforme nomes como Nick Kyrgios, Alexander Zverev, Daniil Medvedev e Stefanos Tsitsipas passaram a figurar frequentemente com destaque nos grandes torneios, derrubando os maiores nomes do esporte, mas se alastrou, por exemplo, ao futebol, em que cada vez mais se ouve falar, por exemplo, da Next Gen da seleção inglesa, que desde já é vista como uma favorita não apenas na Copa do Mundo de 2022, mas mais ainda pensando em 2026.

GUIA INDY 2021
+ Grid cheio, Penske e Ganassi em expansão: as equipes e pilotos da Indy
+ Enzo Fittipaldi troca Europa por Estados Unidos e mira título na Pro 2000
+ Porto mira estabilidade e luta “de igual para igual” por título da USF2000

+ Grosjean é cereja no bolo do intercâmbio recente de Fórmula 1 com Indy
+ Novatos ‘fakes’, Johnson e McLaughlin encaram realidades distintas
+ “Mais completo do que nunca”, Castroneves mira pódios com Meyer Shank

E a Indy é mais uma categoria que tem todo direito do mundo de ter orgulho de sua própria Next Gen. São pilotos que não são apenas promissores, mas que já se tornaram realidade e que, por mais que ainda não pareçam favoritos ao título, já sinalizam para uma espécie de passagem de bastão quando veteranos como Scott Dixon e Will Power deixarem as pistas.

Álex Palou é a Next Gen, Scott Dixon é a velha guarda (Foto: IndyCar)

É aí que chegamos em Álex Palou e no GP do Alabama deste domingo (18). Estreante na Ganassi, no segundo ano de Indy, o catalão brilhou intensamente. Em um carro #10 onde quase ninguém venceu depois de Dario Franchitti, o piloto de 24 anos não se intimidou e triunfou logo de cara, com pilotagem segura e imprimindo um ritmo muito forte desde os treinos livres.

“Sabia que era possível porque tínhamos o melhor time e o melhor carro. Era possível, e meu engenheiro disse para pegar todos eles (adversários), e conseguimos. Agradeço Chip e o time, o carro estava ótimo. Foi incrível, é uma honra estar no hall dos pilotos vencedores. Começamos fortes e vamos nos manter. Foi o time que me pediu no rádio, me incentivando a manter aquele ritmo, e eu mantive, foi fácil. É naqueles dias que tudo dá certo, conseguimos economizar bem o combustível, os pneus e andamos em bom ritmo. Foi uma grande corrida”, vibrou Palou.

Curiosamente, o grande rival de Álex na abertura do campeonato em Barber foi Pato O’Ward, um dos Next Gen mais badalados da atualidade na categoria. Aos 21 anos, o mexicano é talentoso, agressivo, constantemente citado como um nome que poderia estar na F1, mas o fato é que ainda não venceu na Indy. Sim, quase disputou o título de 2020, fez pole, pódios, mas nada de sair do zero nos triunfos. Palou chegou furando a fila.

Colton Herta foi coletado no ‘big-one’ da largada (Foto: IndyCar)

Em um primeiro olhar, isso pode não parecer grandes coisas, mas significa muito, especialmente para O’Ward. Estamos falando de alguém que já parece capaz de desafiar Dixon e Josef Newgarden, mas que simplesmente não consegue ainda vencer. Aí vem Palou, na primeira corrida com um carro realmente competitivo, e triunfa. É, no mínimo, um cenário bastante desconfortável para o mexicano. E bastante encorajador para o catalão, que desde já se posta como alguém capaz de correr por fora na luta pelo campeonato.

A Next Gen da Indy não é feita só dos dois. Outros nomes que merecem aparecer aí na relação são os de Colton Herta e Rinus VeeKay. O americano se envolveu no ‘big-one’ da largada causado por um erro esquisitíssimo de Newgarden, enquanto o holandês também quase foi coletado na batida, mas saiu só com arranhões e ainda conseguiu salvar um bom sétimo lugar.

É essa turma, a galera da Next Gen, quem vai tentando agarrar as chances que vão ser deixadas pela velha guarda da Indy. Por mais que ainda estejam bem, como mostraram hoje mesmo, em Barber, nomes como Dixon e Will Power já estão muito mais perto do fim do que do começo da carreira. A renovação está aí, garantida e em andamento.

GUIA INDY 2021
+ Dixon e Newgarden chegam favoritos em duelo que pode marcar geração
+ Pós-pandemia, Indy mantém regulamento e atrasa nova geração de carros
Pietro Fittipaldi retorna à Indy depois de três anos e consolidação é objetivo
+ Ganassi muda tudo, mas ainda precisa apostar fichas em Dixon na Indy

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube