Rossi analisa aproximação de F1 com EUA e cobra melhor marketing da Indy

Alexander Rossi mostrou empolgação com o crescimento da Fórmula 1 nos Estados Unidos, mas quer Indy ciente da concorrência para continuar melhorando seu produto

Acidente de Alexander Rossi (Vídeo: Indycar)

A Fórmula 1 realiza neste domingo (8) a primeira edição do GP de Miami, a primeira de duas corridas nos Estados Unidos em 2022. Além disso, a categoria também anunciou o GP de Las Vegas, terceira prova no país, a partir de 2023. O crescimento da F1 empolga Alexander Rossi, piloto da Andretti na Indy, que vê com bons olhos o crescimento do interese do público pelo automobilismo.

“Estou animado pela Fórmula 1 e pelos Estados Unidos, honestamente. Fazia muito tempo que não havia mais de uma corrida nos EUA. É um país grande. Não há razão para não ter três. Obviamente, a partir do próximo ano, em teoria, teremos três. Isso é uma coisa incrível”, celebrou o americano durante o GP do Alabama da Indy.

“Acho que agora o automobilismo está oferecendo mais do que apenas carros, é uma entidade de entretenimento, as pessoas estão sendo atraídas de volta e percebendo que é um esporte incrível. Acho que todas as formas do automobilismo estão em alta agora. Acho que tudo coincide um com o outro, e é bem empolgante fazer parte disso”, afirmou Rossi.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Alexander Rossi quer que Indy se planeje para crescimento da F1 nos EUA (Foto: Indycar)

LEIA TAMBÉM: Show no Alabama comprova: O’Ward tem de ser da Indy e de mais ninguém

Mas o campeão das 500 Milhas de Indianápolis em 2016, e que foi piloto da Marussia na Fórmula 1 em 2015, também vê a Fórmula 1 como uma grande concorrente da Indy. Alexander adverte que sua categoria precisa se preocupar com a divisão do mercado nos Estados Unidos, e precisa achar formas criativas de continuar impulsionando seu produto.

“Claro que é, especialmente quando você olha para a divisão de mercado nos EUA. Com três corridas, é algo que precisamos estar cientes, certamente continuar nosso desenvolvimento e planejamento em termos do que estamos fazendo com a série, com as personalidades dos pilotos, as equipes, e a representação que temos lá fora. São mudanças que temos que lidar”, disse o piloto da Andretti.

“Acho que a Fórmula 1 tem esse tipo de apelo sexual. Eles fizeram um bom trabalho de marketing empurrando e exibindo isso. Acho que a Indy, até certo ponto, precisa trabalhar nisso, mas também precisamos continuar a impulsionar o produto que temos de maneiras criativas. Acho que o que temos é muito especial, mas precisamos ser criativos e continuar quebrando barreiras para mostrar isso às pessoas”, concluiu o americano.

A Indy retorna no dia 14 de maio, para o GP de Indianápolis 1, no circuito misto do Brickyard.

INDY 2022: O QUE MUDA NA CLASSIFICAÇÃO DAS 500 MILHAS DE INDIANÁPOLIS DE 2022?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar