Indy

Após três anos na KV, Bourdais confirma expectativas e assina com Dale Coyne para temporada 2017

O veteraníssimo Sébastien Bourdais parte para mais um ano de Indy, mas agora em casa nova. Após três anos e quatro vitórias na KV, o francês assinou com a Dale Coyne, onde já correu em 2011
Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
 Sébastien Bourdais em St. Pete (Foto: IndyCar)
Não houve surpresa na decisão do futuro de Sébastien Bourdais: o francês, tetracampeão da CART, confirmou nesta quarta-feira (12) o acordo com a equipe Dale Coyne para a temporada 2017 da Indy. A transferência vem após três anos de altos e baixos com a mediana KV, onde venceu quatro corridas entre 2014 e 2016.
 
A Dale Coyne também não chega a ser uma novidade para Bourdais. A equipe abriu as portas para o francês na Indy em 2011. Os resultados não foram particularmente brilhantes, mas a aliança certamente ajudou nas negociações para 2017.
 
“Lá em 2011, Dale foi quem me deu a chance de voltar a correr na Indy, e estou ansioso por minha segunda passagem pela equipe”, disse Bourdais. “Agradeço ao comprometimento do Dale com a Indy, nós conseguimos reunir um grande grupo de pessoas, incluindo Olivier Boisson, meu engenheiro nos últimos três anos”, seguiu.
Sébastien Bourdais abandona a KV após três anos (Foto: IndyCar)
Para a equipe Dale Coyne, trata-se de uma ótima notícia. A escuderia está se reconstruindo para a temporada 2017, e Bourdais é mais uma contratação importante.
 
“Sébastien estava nos nossos radares desde que ele foi correr de F1 na Europa”, comentou Dale Coyne, chefe da equipe que carrega seu nome. “Agora conseguimos reunir um grande grupo de pessoas e, com as adições ao nosso departamento de engenharia para 2017, estamos certamente entrando em sintonia. Nem preciso dizer que estamos ansiosos para 2017”, concluiu.
 
Bourdais é veteraníssimo. Aos 37 anos, o francês tem uma carreira de sucesso. Além dos quatro títulos e 31 vitórias na CART, Sébastien também competiu na F1 com a Toro Rosso e no Endurance, como piloto de LMP1 da Peugeot. Na Indy, os números são mais discretos: quatro vitórias em seis anos.