Bourdais aproveita estratégia brilhante da KV e vence GP de Milwaukee. Castroneves vai de último a segundo

Sébastien Bourdais contou com uma estratégia certeira da KV e um grande desempenho do seu carro para vencer com muita autoridade em Milwaukee. Helio Castroneves fez excelente prova e saiu de último para o segundo lugar. Tony Kanaan foi sexto

Sébastien Bourdais e a KV deram um verdadeiro show em Milwaukee. Com uma estratégia perfeita da equipe e uma ótima pilotagem, o francês venceu a sua segunda prova na temporada neste domingo (12). Outro que acertou na estratégia, Helio Castroneves saltou de último para uma ótima segunda colocação, mantendo-se vivo no campeonato. 

Graham Rahal manteve o grande momento na temporada e fechou em terceiro. Líder do campeonato, Juan Pablo Montoya ainda arrumou um quarto lugar em uma problemática prova. Pole e dono do final de semana até boa parte da disputa, Josef Newgarden fechou em quinto.

Tony Kanaan andou no pelotão dianteiro durante toda a corrida. O brasileiro fechou logo atrás de Newgarden e à frente de Scott Dixon e Marco Andretti, cruzando a linha de chegada em sexto.

Simon Pagenaud conseguiu uma corrida regular de recuperação e chegou em nono. Ed Carpenter, que em momento nenhum teve bom ritmo, apareceu para cruzar a linha final em décimo.

Sébastien Bourdais tirou proveito de grande estratégia para vencer em Milwaukee (Foto: Indycar)

Confira como foi o GP de Milwaukee:

A largada para o GP de Milwaukee aconteceu às 18h33 (em Brasília). Sage Karam veio cheio de ação e quase superou Josef Newgarden por dentro. O piloto americano da CFH, contudo, conseguiu manter a dianteira.

 
Ryan Briscoe caiu para quarto na volta inicial, mas rapidamente superou Karam para ser terceiro. Quem aparecia em segundo era Tony Kanaan. O brasileiro ficou longe dos problemas e superou Briscoe e Karam.
 
O ritmo de Newgarden era excelente. Na volta 12, o americano já vinha com 3s7 para Kanaan, 3s9 para Briscoe e 5s para Karam. Pippa Mann já tomava a primeira volta e Newgarden mergulhava no bolo de retardatários.
 
O carro de Tony começava a demonstrar certo desgaste, o suficiente para que Briscoe recuperasse o segundo lugar.
 
Na volta 22, Briscoe colou em Newgarden, que começava a perder ritmo e sequer conseguia superar o retardatário, companheiro de equipe e patrão, Carpenter.
Newgarden seguia encaixotado entre Carpenter e Briscoe e o australiano forçava atrás da liderança. Melhor para Kanaan, Karam, Graham Rahal, Sébastien Bourdais, Juan Pablo Montoya, Gabby Chaves e Scott Dixon, que se aproximavam.
 
Quando finalmente deixou o companheiro de equipe e chefe da CFH para trás, Newgarden não conseguiu sossego com Briscoe. O australiano não tomou o menor conhecimento de Carpenter e a perseguição continuava.

Pippa Mann era a primeira a abandonar a prova. Desta forma, com um pouco menos de um quinto de prova, restavam 23 carros, 22 na mesma volta.

Helio Castroneves, que vinha apenas em 17º, abriu a rodada de paradas na volta 49. James Jakes parou na 51, junto com Dixon e Marco Andretti.
 

Os três primeiros colocados foram para os boxes, e o único que se deu bem foi Newgarden. Pit-stop tranquilo para o americano, enquanto Kanaan perdeu alguns segundos e Briscoe perdeu um caminhão de segundos com o carro que não levantava na troca de pneus.
Montoya ficou a milímetros de passar por cima do tornozelo do mecânico que trocava pneu de Kanaan (Foto: Reprodução/Twitter)
Reposicionados os carros após as paradas, Newgarden seguia na frente. Surpreendia, contudo, o segundo lugar de Dixon em ótimo pit-stop da Ganassi. Montoya já era o terceiro, seguido por Bourdais, Kanaan, Andretti, Jakes, Karam, Chaves e Ryan Hunter-Reay. Rahal foi mais um a perder muito tempo no boxe e voltou em 12º.
 
Com um carro muito bem acertado, Briscoe começava a tentar escalar o pelotão. O australiano, que voltara em 17º, já aparecia em 14º, passando Carlos Muñoz.
 
Rahal seguia o mesmo caminho de Briscoe, mas um pouco mais na frente. O piloto da RLL já aparecia em oitavo na volta 75.

Impressionava o ritmo que imprimia Newgarden. Na volta 83, apenas 18 pilotos vinham no mesmo giro. Lá atrás, Jack Hawksworth ia para os boxes com problemas no carro e seis voltas de atraso.
 

Pagenaud e Castroneves começavam a segunda rodada de paradas na volta 98. Power vinha na sequência. Montoya foi o primeiro dos líderes na 100, seguido por Dixon, Chaves e Andretti.
 
Newgarden fez sua parada na 101, com Bourdais parando na 102. Paradas medianas tanto da CFH, quanto da KV. Enquanto isto, a direção de prova anunciava um drive-through para Montoya, por exceder o limite de velocidade.
 
Dixon apareceu na ponta após as paradas. Newgarden vinha pouco atrás, Bourdais era o terceiro, Kanaan era quarto, Andretti vinha em quinto e Rahal era o sexto.
 
Muito rápido, Briscoe mais uma vez era prejudicado pela SPM. A equipe errou em outra parada e o australiano até chegou a tomar volta de Dixon, conseguindo, entretanto, tirar na sequência.
 
E foi um carro da SPM que causou a primeira bandeira amarela na prova. No giro 115, o motor de Jakes estourou e o britânico parou no meio da pista.

Os pilotos, em sua maioria, escolheram ir aos boxes. Um dos poucos que resolveram ficar foi Bourdais, assim tomando a dianteira.

Metade das voltas foi superada ainda sob bandeira amarela. O top-10 tinha Bourdais, Hunter-Reay, Pagenaud, Wilson, Briscoe, Dixon, Andretti, Power, Kanaan e Rahal. Newgarden era 11º.

A relargada veio na volta 130. Mas a bandeira verde não durou quase nada. Enquanto os pilotos com pneus velhos iam ficando, Briscoe rodou completamente sozinho e acertou em cheio Power em um forte acidente. Nova paralisação no oval de Milwaukee.
Ryan Briscoe acertou Will Power em Milwaukee (Foto: Reprodução/TV)
A relargada aconteceu na volta 142. Bourdais se aproveitou dos retardatários que vinham entre ele e Hunter-Reay e foi escapando. Newgarden fez espetacular relargada e voou para o segundo lugar, com Kanaan em terceiro. 
 
Dixon vinha em quarto, seguido por Pagenaud, Hunter-Reay, Karam, Rahal, Andretti e Wilson. Castroneves vinha em 14º e 16 seguiam na mesma volta.
Bourdais surpreendia com um bom ritmo mesmo com os pneus velhos e abria impressionantes 11s para Newgarden, que vinha segurando o pelotão.
 
O piloto da KV então começou a tirar um pouco o pé, ainda assim, chegando a colocar uma volta em Montoya, que vinha em 12º.
 
Enquanto isso, Coletti se tornava o quinto piloto a abandonar o GP de Milwaukee. Newgarden finalmente parou na volta 172.
 
Newgarden retomava a dianteira, seguido bem de perto pela dupla da Ganassi Kanaan e Dixon. Andretti vinha em quarto, Rahal era o quinto.
 
O carro de Bourdais voltava com excelente ritmo. O francês voltou em 12º, mas rapidamente já vinha em oitavo, deixando Montoya, Kimball e Chaves pelo caminho. Karam também foi superado, na volta 179.
 
No giro seguinte, as vítimas foram Muñoz e Rahal. Na 181, Dixon ficava para trás. Restava apenas Andretti, Kanaan e Newgarden.
 
Com problemas no carro, Karam foi para os boxes na volta 184. Newgarden puxou a fila de líderes nos boxes. Kanaan ficou na pista e foi rapidamente superado por Bourdais.
 
Como Bourdais, Newgarden voltou muito rápido e foi recuperando posições. As estratégias se misturavam, mas com 200 voltas realizadas, assim estava a classificação da prova: Bourdais, Hunter-Reay – únicos na mesma volta – Wilson, Castroneves, Newgarden, Kanaan, Rahal, Dixon, Andretti e Sato.
Hunter-Reay foi para os boxes para realizar a sua última parada. Assim, ninguém estava na mesma volta de Bourdais.
 
Foi aí que surgiu o problema com Wilson. O inglês vinha fazendo ótima recuperação, era segundo, mas foi aos boxes com problemas em seu carro e perdeu duas voltas.
 
Com 37 voltas para o final, Bourdais fez a sua última parada e, incrivelmente, voltou na primeira colocação.

Wilson tentou voltar à pista, mas seguia com problemas em seu carro e sequer chegou aos boxes, causando mais uma paralisação com bandeira amarela. Vários pilotos optaram por mais uma parada.
 

Antes da relargada, assim estava a classificação: Bourdais, Montoya, Carpenter, surgindo do nada, Castroneves, Rahal, Dixon, Kanaan, Newgarden, Andretti e Pagenaud.
Bourdais manteve a dianteira, enquanto Castroneves foi para cima de Montoya e tomou a segunda colocação. Rahal também veio rápido e foi para terceiro.
 
Castroneves deu uma pequena escapada de traseira e foi o suficiente para que Rahal colasse. O piloto da RLL entrou nas dez voltas finais pertinho do brasileiro.
 

Bourdais segurou bem a vantagem e venceu de forma merecidíssima a corrida. Castroneves segurou Rahal e chegou na segunda posição. Montoya ainda se garantiu em quarto, com Newgarden em quinto e Kanaan em sexto. 

Indy, GP de Milwaukee, classificação final:

1 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET 250 voltas  
2 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +2.237  
3 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +2.879  
4 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET +10.003  
5 67 JOSEF NEWGARDEN EUA CFH CHEVROLET +11.548  
6 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +12.400  
7 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +12.998  
8 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +13.063  
9 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +13.695  
10 20 ED CARPENTER EUA CFH CHEVROLET +15.436  
11 98 GABBY CHAVES COL BRYAN HERTA HONDA +16.602  
12 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +17.420  
13 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +17.943  
14 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +18.318  
15 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +18.905  
16 19 TRISTAN VAUTIER FRA DALE COYNE HONDA +2 voltas  
17 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +29 voltas  
18 25 JUSTIN WILSON ING ANDRETTI HONDA +31 voltas NC
19 8 SAGE KARAM EUA GANASSI CHEVROLET +67 voltas NC
20 4 STEFANO COLETTI MCO KV CHEVROLET +94 voltas NC
21 5 RYAN BRISCOE AUS SCHMIDT PETERSON HONDA +120 voltas NC
22 1 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET +120 voltas NC
23 7 JAMES JAKES ING SCHMIDT PETERSON HONDA +137 voltas NC
24 18 PIPPA MANN ING DALE COYNE HONDA +223 voltas NC
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube