Indy

Briscoe aproveita bandeira amarela, supera Power e vence em Sonoma. Barrichello é quarto

Ryan Briscoe se aproveitou de uma bandeira amarela nas voltas finais, superou Will Power e ficou com a vitória na etapa de Sonoma, realizada neste domingo (26)
Warm Up / FAGNER MORAIS, de São Paulo

Dizem que o ser humano tira forças de onde não tem para provar que é bom. Com Will Power liderando o campeonato e Hélio Castroneves brigando pelo título, o futuro de Ryan Briscoe era especulado e ele é, ou era, cotado para deixar a equipe ao final da temporada. Na etapa de Sonoma, que aconteceu neste domingo (26), o piloto largou na segunda colocação e via, de longe, Power dominar a prova e caminhar tranquilamente para vencer a prova. Mas o destino foi cruel com o primeiro colocado.

Ele acabou tendo um problema nos boxes e perdeu a posição para Briscoe durante a bandeira amarela, acionada após o acidente entre Josef Newgarden e Sebastien Bourdais. E mesmo pressionado por Power por dez voltas, o também australiano garantiu sua primeira vitória na temporada ao cruzar a linha de chegada em primeiro.

Discreto, Dario Franchitti deixou para mostrar a que veio na corrida e terminou na terceira colocação. Rubens Barrichello prometeu que iria lutar pelo top-5, conseguiu, acabou a prova na quarta colocação e conquistou seu melhor resultado na Indy até aqui. Graham Rahal, Hélio Castroneves, Simon Pagenaud, JR Hildebrand, Alex Tagliani e Tony Kanaan completaram os dez melhores da etapa.

Confira como foi a etapa de Sonoma

A largada não trouxe grandes novidades e Will Power manteve a primeira colocação com certa facilidade, que abriu e deixou Ryan Briscoe quase 1s5 atrás logo na primeira volta. Quem não teve um bom começou foi Hélio Castroneves, que caiu para quinta colocação e ainda se envolveu em um toque com Scott Dixon.

Com futuro indefinido na Penske, Ryan Briscoe conquistou sua primeira vitória na temporada (Foto: IndyCar/LAT USA)

Rubens Barrichello começou a prova muito bem e subiu de 11º para oitava colocação nas primeiras duas voltas. Outro que também ganhou posições foi Tony Kanaan, que saiu de 16º para 12º. Enquanto isso, Power seguia liderando tranquilamente.

Punido pelo toque em Dixon, Castroneves caiu para a 14ª colocação e via sua prova ser comprometida, pelo menos nas primeiras voltas. Quase que no mesmo instante, Takuma Sato saiu da pista e caiu para última colocação – o que não configura nenhuma novidade.

Kanaan seguia fazendo uma boa prova e ocupava a décima colocação ao fazer uma bonita ultrapassagem em Marco Andretti. Como esperado, Power abriu quase 2s de vantagem para Briscoe e mais de 5s para Sebastien Bourdais, o terceiro colocado. Quem vinha muito bem era Dario Franchitti, que saiu de sexto para quarto e seguia na tentativa de um lugar no pódio.

Mostrando poder de recuperação, Kanaan pressionava James Hinchcliffe pela nona colocação, enquanto Castroneves seguia fazendo uma prova de recuperação e já era o 21º.

A corrida perdeu ritmo quando ultrapassou a décima volta e as posições não mudaram nas voltas seguintes. O que não mudou foi o ritmo de corrida de Power, que seguia abrindo vantagem na primeira colocação e estava mais de 4s à frente de Briscoe.

Dixon inaugurou a primeira rodada dos boxes e caiu para 26ª colocação. Outro que também fez sua parada foi Castroneves, que parou e perdeu cinco posições. Apenas os pilotos do bloco intermediário estavam indo aos boxes no começou da janela dos pits, mas não demorou mais pilotos fizessem o reabastecimento.

Power fez sua parada na volta 17 e caiu para sexto e Briscoe assumiu a liderança da corrida, mas ele também foi aos boxes na sequência, assim como Franchitti e Kanaan, e Alex Tagliani pulou para o primeiro posto. Quatro voltas depois, as paradas se intensificaram e quase todos os ponteiros fizeram o reabastecimento. Ao final de todas as paradas, Power retomou a primeira colocação, com mais de 4s de vantagem Briscoe.

Rubens Barrichello foi o quarto colocado e conquistou seu melhor resultado na Indy (Foto: IndyCar/LAT USA)

Brigando pela oitava colocação, Dixon fez uma bela ultrapassagem em Barrichello e assumiu o posto, deixando o piloto da KV na nona posição. Mais à frente Franchitti tentava ultrapassar Bourdais, mas o francês segurou o atual campeão e ainda conseguiu abrir uma pequena vantagem para o piloto da Ganassi.

Liderando um bloco com Pagenaud, Graham Rahal e Marco Andretti, Kanaan segurava os três pilotos. Porém o francês da Sam Schmidt conseguiu a ultrapassagem e agora o brasileiro era pressionado por Rahal, que trouxe com ele, além de Andretti, EJ Viso e Mike Conway.

Mas quem não estava conseguindo ter o rendimento esperado era Castroneves, que foi até ultrapassado por Sebastian Saavedra e caiu para 20ª colocação na volta 29. Com isso, a luta pelo campeonato estava ficando cada vez mais comprometida. Brigando por posições, Hinchcliffe rodou após levar um toque de Oriol Servà, acabou rodando e perdendo posições, incluindo para o brasileiro da Penske.

Enquanto Barrichello devolvia a ultrapassagem em Dixon e agora buscava Tagliani, o sexto colocado, Power seguia absoluto na liderança da prova e tinha quase 6s de vantagem para Briscoe.

Os pilotos iniciaram a nova rodada de boxes na volta 40, entre os primeiros que pararam foi Power, que caiu para quarto, mas logo ele reassumiu a primeira colocação com a parada dos outros pilotos. Uma briga por posição espetacular foi entre Dixon e Bourdais, quando o francês levou a melhor e ainda foi ajudado por Hunter-Reay, que voltou à frente do piloto da Penske.

Dixon pressionou Hunter-Reay pela quarta colocação e quase fez a ultrapassagem. Quase. Ele acabou indo para fora da pista e, além de seguir atrás do piloto da Andretti, perdeu a posição para Franchitti. Sem saber de nada disso, Power controlava a corrida tranquilamente e havia garantido mais dois pontos na tabela, fora o ponto conquistado pela pole-position, por ter liderado o maior número de voltas.

Will Power liderou boa parte da prova, mas acabou ficando em segundo (Foto: IndyCar/LAT USA)

Mais uma vez, a prova ficou sem emoções, mas Power nem estava ligando para uma prova emocionante ou não. Liderando com folga, o piloto da Penske não dava espaço para Briscoe, seu companheiro de equipe.

Após um período abaixo do normal, Castroneves vinha se recuperando e ocupava a 13ª colocação na volta 55, uma atrás de Kanaan. Barrichello seguia entre os dez primeiros, na oitava colocação.

O atual vice-campeão quase foi atrapalhado por Saavedra e viu a vantagem para Briscoe diminuir para pouco mais de 5s. Barrichello fez nova ultrapassagem em Dixon e pulou para sétimo – o piloto da Ganassi acabou sendo punido por uma irregularidade nos boxes, tomou um drive-through e caiu para 21ª colocação.

A nova rodada de parada nos boxes começou com Bourdais, que estava na terceira colocação. Enquanto isso, uma boa briga pela terceira colocação era entre Hunter-Reay e Franchitti, e o vice-líder do campeonato levou a melhor e manteve a posição.

Bourdais perdeu o controle de sua Dragon, foi para fora da pista e Josef Newgarden acabou acertando o carro do francês. Os dois saíram andando, mas o acidente causou a primeira bandeira amarela da prova. Isso acabou favorecendo Briscoe, que assumiu a liderança da corrida, deixando Power em segundo. E o líder do campeonato ainda teve um problema em sua parada nos boxes.

Briscoe comemorou muito o triunfo (Foto: IndyCar/LAT USA)

Após quase 20 minutos de paralisação, a corrida foi reiniciada com a relargada em fila dupla. Briscoe manteve a primeira colocação, deixando Power em segundo. Mas Hunter-Reay foi atingido por Tagliani, ficou parado no meio da pista e uma nova bandeira amarela foi acionada pela direção de prova mais uma vez. Quem se deu bem foi Barrichello, que pulou para quarta colocação, e Castroneves, oitavo colocado faltando dez voltas para o final.

Na segunda relargada, os quatro primeiros mantiveram as posições, diferente de Castroneves e Kanaan, que ganharam posições e eram sexto e décimo, respectivamente.

Os três primeiros colocados abriram vantagem para Barrichello, que via a aproximação de Rahal, o quinto colocado. Enquanto Briscoe abria vantagem, Power e Franchitti disputavam a segunda colocação, mas o australiano acabou mantendo 0s5 de vantagem.

Briscoe usava o botão do push to pass nas voltas finais para se afastar de Power, porém não foi o suficiente para deixar o rival longe e os dois estavam colados faltando três voltas para o final da corrida. Mas não deu para o líder e ele viu seu companheiro de equipe conquistar a primeira vitória no ano.

Indy, GP de Sonoma, Corrida, Final: