Castroneves culpa pneus frios por erro na última relargada e lamenta: “Tinha um carro vencedor”

Segundo colocado no GP de São Petersburgo, Helio Castroneves destacou a recuperação de sua equipe ao longo deste fim de semana e parabenizou James Hinchcliffe por sua primeira vitória na Indy

Helio Castroneves foi o piloto que mais voltas liderou no GP de São Petersburgo, o primeiro da temporada 2013 da Indy. Mas um erro cometido na última relargada, a 26 voltas do fim, acabou custando a vitória ao piloto da Penske. Lado a lado com James Hinchcliffe, Helinho embarrigou a curva 1 e abriu a porta para o canadense passar e conquistar sua primeira vitória na Indy. Depois, admitiu que não aqueceu os pneus da maneira ideal durante o período de bandeira amarela.

“Eu estava freando no mesmo lugar. Talvez não tenha esquentado os pneus da maneira que tinha que esquentar, o carro estava de tanque cheio também, e eu peguei um bump, o que acabou travando a roda traseira. Para não rodar, tem que segurar o volante reto e abrir um pouco a curva. Acabei passando reto e o Hinch aproveitou a oportunidade”, narrou Castroneves ao Grande Prêmio pouco após o fim da corrida. Na entrevista coletiva, Marco Andretti entregou o jogo e disse que Micaela, a filha de Helio, ficou brava com o pai pelo deslize cometido.

Helio Castroneves brigou pela vitória até o fim, mas não conseguiu dar o troco em James Hinchcliffe (Foto: Chris Owens/Indycar)

Nas voltas que se seguiram, a corrida virou uma caçada de Helio ao adversário, que tentava se segurar para conquistar sua primeira vitória na categoria. O brasileiro tinha os pneus vermelhos, mais rápidos, porém, com um desgaste maior.

“No final, ele estava muito rápido e os pneus estavam se desgastando um pouquinho mais. Eu estava forçando para ver se ele cometia um erro. Ele cometeu alguns, mas não foi o suficiente para eu tentar chegar junto e ultrapassar”, falou. Restou parabenizar o jovem da Andretti pelo triunfo inédito: “Hinch não vai dormir hoje. A primeira vitória você nunca esquece. Ano passado ele chegou perto e bom para ele. Tenho certeza que ele vai ter sucesso na carreira dele”.

Castroneves destacou ainda sua recuperação ao longo do fim de semana. “Você é testemunha disso. Se você me perguntasse, sexta-feira, se o segundo lugar estava bom, eu ia falar ‘vai ser ótimo’”, relembrou. Ele passou os dois primeiros dias de atividades brigando com problemas nos freios de seu DW12. “Hoje eu não estou contente, porque tinha um carro vencedor. Dava para passar todo mundo que eu queria. Infelizmente, na hora que eu precisava mais, não consegui”, completou.

Todavia, “o segundo lugar é melhor que nada”, e “começar forte ajuda no campeonato, espero que esse seja o caso e esse segundo lugar pese bastante no fim do ano”, concluiu.

O Grande Prêmio acompanha ‘in loco’ a abertura da temporada 2013 da Indy, em São Petersburgo, com o repórter Renan do Couto

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube