Indy

Chilton vê estilo de tocada prejudicial para ovais, mas diz que está guiando “melhor do que nunca” na Indy

Max Chilton disputa sua terceira temporada na Indy, a primeira com a equipe novata Carlin. Apesar dos resultados medianos, o britânico acredita que está na melhor fase técnica da carreira, mesmo sofrendo nos ovais
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Max Chilton (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

A temporada de Max Chilton não é lá essas coisas olhando para os resultados, mas o britânico não parece totalmente infeliz. Em seu terceiro campeonato na Indy e primeiro com a novata Carlin, o piloto explicou que seu estilo de pilotagem tem se adaptado muito melhor aos circuitos mistos que aos ovais e, mesmo com pontuação bem abaixo da de 2017, por exemplo, quando esteve na Ganassi, entende que vive a melhor fase técnica.
 
Chilton comentou que tem levado vantagem sobre Charlie Kimball nas pistas de rua e nos circuitos mistos por causa de seu estilo de pilotagem somado ao nível de downforce.
 
"Meu estilo tem muito mais a ver com os circuitos mistos e de rua, por ter uma tocada mais suave, cautelosa. Acho que os carros novos tão possibilitando isso, que eu tenha vantagem em relação ao meu companheiro. Só que no oval é o contrário que acontece e, com menos downforce, eu tenho perdido a confiança", explicou ao site norte-americano 'Motorsport.com'.
Max Chilton está feliz com a performance nos mistos e nas ruas (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Para o inglês, a vantagem ampla em posições de largada em cima de Kimball prova que sua fase é muito boa.
 
"Eu sinto que estou, de longe, na minha melhor fase técnica na Indy. Nunca guiei tão bem quanto atualmente. Aprendi muito nos meus dois primeiros anos e já provei que é no terceiro ano que as coisas dão certo. Consigo atacar em todas as sessões. Eu bati Charlie em oito das dez classificações", resumiu.
 
Max acredita que a Carlin tem tido bom ritmo de corrida, mas precisa classificar melhor para ter alguns bons resultados. O inglês ainda pensa em ter seus primeiros top-10 com o time.
 
"A Indy é muito apertada e tudo pode mudar de uma hora para a outra, mas precisamos classificar melhor. Em Road America, por exemplo, larguei do fundo e isso me atrapalhou mesmo com voltas de top-5 ou top-6. Quero um ou dois top-10 antes do fim do campeonato", definiu.
 
Chilton ocupa o 20º lugar na temporada 2018 com 134 pontos e ainda nenhum top-10. Kimball vem em 17º com três top-10.
 
UMA DAS MELHORES CORRIDAS DO ANO

ABANDONO DE HAMILTON RECOLOCA VETTEL NO CAMINHO DO PENTA