Coluna Pisando Fundo, por Renan do Couto: 11 dias, muitas recordações

Impressões dos Estados Unidos: um lugar legal, mas, ao menos pelo o que vi, não morri de amores pelo país. Mesmo assim, espero voltar mais vezes para repetir o trajeto que fiz, e para conhecer outros também

As informações do GP de São Petersburgo em tempo real
As imagens do GP de São Petersburgo deste domingo

Termina hoje a minha viagem aos Estados Unidos. Foi a primeira vez que visitei esse país e a primeira vez que fiz uma cobertura internacional. Claro que não vai dar para esquecer essa incursão pela Flórida e pelos circuitos de Sebring e São Petersburgo. Tive a oportunidade de conhecer um automobilismo completamente diferente e extremamente em Sebring e de ver de perto como é o mundo da Indy


E essa viagem deixa recordações legais no aspecto esportivo da coisa. A última vitória da Audi nas 12 Horas, a primeira com um carro híbrido, o fim de uma fase na mais tradicional corrida de longa duração dos EUA. Um canadense voltando a vencer na Indy após seis anos, a primeira vitória da carreira de James Hinchcliffe. Fosse uma vitória de Will Power ou Dario Franchitti, seria apenas mais uma, mas eu tive a oportunidade de presenciar momentos especiais em St. Pete. E, de certa forma, emocionantes, afinal, Hinch venceu com o carro que deveria ser de Dan Wheldon na cidade onde o inglês morava e foi muito homenageado durante a semana.

Só que mais sobre essa viagem vou contar em breve, num Diário de Viagem, falando sobre o roteiro, as mudanças de planos e o que pude notar aqui dos EUA. Um lugar legal, mas, ao menos pelo o que vi, não morri de amores pelo país. Mesmo assim, espero voltar mais vezes para repetir o trajeto que fiz, e para conhecer outros também.
Foi legal ter visto a vitória de James Hinchcliffe em St. Pete (Foto: Chris Jones/Indycar)

Hoje a coluna vai falar de quê?

Já que estava em São Petersburgo até ontem, vou dar alguns pitacos sobre o que aconteceu por lá mesmo.

Começando por Hinchcliffe

Excelente vitória do canadense, que soube administrar muito bem os ataques de Helio Castroneves no fim da corrida. O brasileiro buscava sua quarta vitória em St. Pete, ou seja, não foi fácil para Hinch, em busca de sua primeira vitória na carreira, manter aquela situação. Mas ele conseguiu. Depois, citou uma lista de pilotos canadenses que chegaram até a Indy, “todos vencedores”. Mostrou-se aliviado por finalmente honrar a tradição de seu país.

Está forte, a Andretti

Confiança é o que não falta para a Andretti defender o título que conquistou no ano passado. O time, aliás, volta ainda mais forte, como pudemos notar ontem: não foi Hunter-Reay quem andou na frente; subiram ao pódio Hinchcliffe e Marco Andretti. Ou seja, pelo menos três pilotos devem andar bem neste ano.

Os brasileiros

Helio Castroneves vem para brigar por título. O segundo lugar nesse fim de semana foi bom pelos problemas que ele enfrentou, mas ruim porque dava para vencer a corrida. Só que, dos que imaginamos como os candidatos mais fortes ao título, ele foi o melhor, diante dos problemas de Will Power, Hunter-Reay e das Ganassi. Tony Kanaan vem para brigar por vitórias com uma KV que está muito melhor que a de 2012. Uma “nova KV”, falou ele. Essa matéria vai ao ar amanhã aqui no site. Por fim, Bia vai precisar se afirmar. Sua equipe não começou bem, Justin Wilson também enfrentou dificuldades em St. Pete. A princípio, a próxima oportunidade que a pilota terá para andar é em São Paulo.
'Motorista' do GP em St. Pete, Castroneves vai brigar pelo título da Indy em 2013 (Foto: Américo Teixeira Jr.)

Chega de falar de Indy

Que amanhã o nosso setorista de Indy do GP, o Fagner Morais, traz a coluna dele.

E a Nascar, hein?

Final de corrida espetacular ontem em Fontana, talvez a melhor da história da corrida, e Joey Logano tentou a todo custo se manter em primeiro. Bateu roda com Tony Stewart, com Denny Hamlin, mandou o ex-companheiro de equipe para o muro e levou umas porradas do gordinho depois. Não vence há 27 corridas. A parte da pista, show, muito boa mesmo. Fora da pista, só serviu para completar o dia que começou com toda aquela polêmica da F1.

O quarteto do BMW Team Brazil na Europa

Foi confirmado na semana passada que Ricardo Zonta e Sérgio Jimenez formarão dupla no BMW Team Brazil, de Antonio Hermann, no GT Series. Zonta e Jimenez já foram companheiros por duas corridas, em 2011, as duas primeiras do paulista na Stock Car. Eles se juntam a Cacá Bueno e Allam Khodair. Valdeno Brito, que pilotou para Hermann até o ano passado, deixou o time. Preferiu focar na Stock Car em vez de fazer uma série de viagens à Europa. O campeonato começa semana que vem, na França, com corrida em uma… segunda-feira?? Sim. O evento terá início no sábado (30) e terminará na segunda-feira (1º). Não entendi essa.

No WTCC

Saiu a Chevrolet, mas a Chevrolet continuou ganhando. A equipe RML continuou colocando carros da marca na pista e venceu as duas corridas deste fim de semana, em Monza, com Yvan Muller. Na segunda corrida, Gabriele Tarquini, de Honda, ficou em terceiro lugar na segunda corrida. Tomara que a marca japonesa consiga cresça no decorrer do ano, porque se carros Chevrolet continuarem dominando mesmo sem o apoio oficial da fábrica, estará mais do que provado que o campeonato tem um nível técnico bem fraco. E Muller será campeão.

Definido o quarteto da Honda no Brasileiro de Marcas

A montadora japonesa terá, no campeonato que começa dia 7 de abril, em Interlagos, os pilotos Ricardo Maurício, Vicente Orige, Felipe Gama e Alceu Feldmann, divididos entre as equipes JLM e Full Time. Maurício foi campeão em 2012 sem vencer nenhuma corrida.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube