Com alteração na injeção do combustível, Indy confirma mudanças nas regras dos motores de 2013

O diretor da Indy Trevor Knowles afirmou que as fornecedoras de motor poderão fazer modificações na injeção de combustível para 2013. O dirigente disse, ainda, que a Ilmor já solicitou homologação de novas peças

A Indy está muito próxima de fechar o regulamento dos motores para a temporada 2013. A principal modificação deve acontecer quanto à injeção do combustível, onde as fabricantes poderão fazer alterações para o próximo campeonato. O diretor da categoria Trevor Knowles confirmou as mudanças e disse que a Ilmor, parceira da Chevrolet, já pediu para que novos componentes sejam avaliados.

“As regras permitem que as fabricantes revisem os sistemas de combustível para 2013. Eu não sei ainda quanto elas pretendem mudar, mas a Ilmor já disse que quer homologar algumas partes para o próximo ano, então acho que teremos algumas mudanças”, declarou.

As fornecedoras poderão fazer mudanças nos motores para 2013(Foto: IndyCar/LAT USA)

O atual regimento da Indy permite que o combustível chegue ao motor de duas maneiras. A primeira é por injeção direta no topo do cilindro, enquanto a segunda é por um sistema de alta-pressão, por spray, na parte interna da peça. Em 2013, as fornecedoras podem usar esses dois sistemas ao mesmo tempo.

O chefe da Ilmor, Wayne Bennett, afirmou que pretende fazer uso de ambos os sistemas, mas apenas se houver ganho de desempenho. Para isso, o dirigente cobrou poder realizar mais testes antes do campeonato.

“Por podermos usar tanto a injeção direta quanto o outro sistema, nós vamos precisar testá-los. Em teoria, poder direcionar o fluxo de combustível pode nos dar ganho de desempenho com a injeção de alta pressão, entretanto, se não houver ganho, não faremos essas revisões”, disse.

Outra modificação nos motores diz respeito à pressão do turbo no push-to-pass, que deverá receber alterações em seu software.

A quilometragem mínima que cada motor deve alcançar para poder ser substituído, sem que as equipes sejam punidas, também deve ser diminuída. Em 2012, os times precisavam atingir 2 mil km para poder trocar os propulsores. Por isso, os pilotos acabam punidos frequentemente por trocas além do permitido. Por isso, para 2013, esse número deve cair para 1850 km.

Por fim, os cabos conectores também poderão ser redesenhados. A Indy ainda não decidiu se vai modificar os critérios para que as montadoras possam atualizar os motores com base no desempenho para a próxima temporada.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube