Indy

Daly bate Andretti no fim e puxa 1-2-3 da Honda na Fast Friday das 500 Milhas de Indianápolis. Alonso é 24º

A Honda deu uma boa resposta na Fast Friday e ficou com o top-3 todo do treino livre de antes do início da classificação da Indy 500 com Conor Daly puxando a fila. No entanto, os americanos vieram bem próximos na tabela de tempos. Fernando Alonso foi somente 24º em sessão marcada pelo acidente de Kyle Kaiser e uma paralisação por alerta de raios

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Depois de um início arrasador da Chevrolet, a Honda mostrou que está viva no jogo. Ainda que o equilíbrio entre as duas seja imenso na diferença de tempos, os japoneses tiveram um 1-2-3 na Fast Friday das 500 Milhas de Indianápolis. Nesta sexta-feira (17), Conor Daly apareceu já no finalzinho para bater o companheiro de equipe Marco Andretti e liderar com 38s843, 0s144 abaixo da marca de Andretti.

O dia foi marcado por voltas muito rápidas e também trabalho intenso em giros sem vácuo, ou seja, em simulação de condições de classificação. Sem apoio de nenhum carro na frente, destaque para Ed Jones, que teve 230.106 mph. Atrás vieram Ed Carpenter, Alexander Rossi, Will Power, Simon Pagenaud e Graham Rahal.

No geral, atrás de Daly e Andretti veio Takuma Sato, mostrando que a RLL está bem nas duas condições. Spencer Pigot, sempre muito veloz, foi quarto na frente de Ryan Hunter-Reay.

Carpenter também foi muito bem com vácuo e apareceu em sexto, seguido por Pagenaud, Charlie Kimball, Josef Newgarden e Jones. Tony Kanaan ficou em 12º, com Helio Castroneves em 18º e Matheus Leist em 27º.

Fernando Alonso teve um dia de reduzir o estrago dos anteriores e tentar ganhar tempo de pista. O espanhol ainda acertou uma volta boa no fim e foi 24º, com 77 giros completados com o chassi novo.

Além de praticamente todo mundo estabelecendo suas melhores voltas na semana, a Fast Friday foi marcada também por outros dois pontos importantes. O primeiro foi o alerta de raios que tirou quase 80 minutos do tempo de pista e até preocupa para o restante da etapa.

O segundo foi o acidente de Kyle Kaiser, que destruiu o carro da mais que capenga Juncos e fez o time ter de operar um milagre para ver se continua na Indy 500.
Conor Daly liderou a Fast Friday (Foto: Indycar)
Saiba como foi a Fast Friday

A Fast Friday começou pontualmente às 12h (em Brasília), com os pilotos aproveitando desde o início a pista após a chuva que atrapalhou a parte final da quinta-feira.

Entre eles já estava Fernando Alonso, que ao menos dava uma volta de instalação com sua McLaren recuperada de um acidente na terça-feira.
 
Pippa Mann foi quem abriu os trabalhos na frente, já virando rápido em 39s4. Marcus Ericsson também veio forte e cravou 0s1 abaixo da britânica, sendo batido na sequência por Jack Harvey, também 0s1 melhor.
 
Aí veio a Andretti, primeiro com Alexander Rossi e, depois, com Marco Andretti, novo ponteiro com 38s986. Chamava a atenção os acertos de classificação, com as velocidades sem vácuo muito superiores em relação aos outros dias.

Scott Dixon resolveu aparecer bem e levou a Ganassi ao segundo lugar com 39s172, estragando o que tinha virado um 1-2-3 com Zach Veach chegando em Andretti e Rossi. Tony Kanaan também virou rápido, subindo para 11º, logo atrás de JR Hildebrand e Charlie Kimball.


 
Foi aí que veio a primeira bandeira amarela do dia. E justamente com quem menos podia. Kyle Kaiser, com seu carro totalmente branco da Juncos, rodou e bateu forte na curva 3, de forma parecida com Pato O'Ward, decolando e voltando com tudo no solo, arrebentando o carro.

Ainda que Kaiser tenha saído inteiro do carro, o bólido ficou em péssimo estado e a Juncos não tem outro chassi e conta com poucas peças reservas. Assim, a chance do americano rodar no Bump Day aumentou drasticamente depois da pancada.

A batida de Kyle ainda danificou o asfalto e causou uma bandeira amarela bem longa, que só saiu, mais ou menos, 30 minutos depois. A segunda hora do Fast Friday foi, em boa parte, comprometida.

Foi a Chevrolet quem voltou com tudo quando a bandeira verde foi acionada novamente. Simon Pagenaud e Ed Carpenter partiram para o top-3, bem pouco mais lentos que o líder Andretti. Mas foram poucos minutos de ação, com a tradicional inspeção de pista acontecendo.
Alexander Rossi, sem vácuo, segue bem veloz (Foto: Indycar)
A bandeira verde voltou quase no final da segunda hora do Fast Friday, com a Andretti voltando a ter os dois primeiros colocados, mas agora com Conor Daly no segundo posto. Quem também melhorou foi Ericsson, passando para oitavo. O top-10, após duas horas, tinha: Andretti, Daly, Pagenaud, Carpenter, Dixon, Bourdais, Rossi, Ericsson, Veach e Harvey. 
 
Entre os brasileiros, Kanaan era 17º, Leist vinha em 25º e Castroneves em 33º. Enquanto isso, Alonso era o 24º, com apenas 18 voltas completadas.
 
Para variar, lá estava a Carpenter andando muito de novo. Com duas grandes voltas, Spencer Pigot chegou a superar até o próprio Ed Carpenter, pulando para quarto, 0s153 atrás de Andretti. 
 
Aí veio mais uma inspeção de pista que trouxe nova bandeira amarela, já com quase duas horas e meia de atividade superadas. O top-10 tinha seis Honda e quatro Chevrolet.
Spencer Pigot vem se destacando (Foto: IndyCar)
Enquanto isso, a Juncos já trabalhava atrás de um milagre. A equipe buscava transformar o carro de Austin em um bólido de oval e, além disso, recebia apoio de outros times, que ofereciam algumas peças.

Mesmo com a bandeira verde voltando, a pista passava por uns minutos de solidão, com muito pouco movimento. Alonso era um dos que lá estavam, chegando a suas 22 voltas no dia.
 
A movimentação reduzida na pista continuava, mas Pigot voltou a achar uma brecha para aparecer bem. O americano cravou 39s060, subindo mais um degrauzinho e alcançando a terceira colocação, entre Daly e Pagenaud, ou seja, o melhor da Chevrolet ali pela metade da Fast Friday.
 
Aí veio uma paralisação bem maior que as anteriores. Um alerta de raios parou tudo por mais de hora, com a região de Indianápolis ameaçada de novas chuvas. Foram precisamente 79 minutos sem que a bandeira verde voltasse a ser acionada, com a sessão recomeçando com pouco mais de duas horas pela frente.

Com a pista voltando aos poucos a receber carros, Santino Ferrucci se colocou na nona colocação, bem pouco mais lento que o companheiro de Dale Coyne Bourdais. Mas chamava mesmo a atenção o que fazia Jones. Sem vácuo, o piloto nascido em Dubai pulou para quinto, de longe a melhor marca sem ter um carro na frente, em 39s112.
 
Aí veio um momento no mínimo curioso. Se queixando no rádio que havia algo de estranho com o motor, Will Power fez nada menos que a sexta melhor marca, entre Jones e Carpenter, com Sato, Dixon e Bourdais também no top-10. Rahal, enquanto isso, dava um totozinho no muro.
 
Mesmo que poucos tempos mudassem no pelotão da frente, perto da hora do Happy Hour chamava a atenção o esforço que Alonso fazia para melhorar, mas basicamente não saía do lugar. O espanhol era 28º com quase 0s6 de desvantagem para Andretti e já pulava para praticamente 50 giros completados.
 
Depois de muito esforço, Alonso finalmente conseguiu melhorar um pouco, cravando 39s466 e assumindo a 26ª colocação. Ainda 0s48 separavam o espanhol do líder Andretti.
 
O Happy Hour chegava de vez e a prova disso era uma mudança bem significativa nas primeiras posições. Mostrando a força da RLL, Sato surgia em segundo, apenas 0s01 distante de Andretti. Faltando 50 minutos, Andretti, Sato, Daly, Pigot, Pagenaud, Jones, Power, Carpenter, Bourdais e Dixon estavam no top-10.

Rossi dava mais uma boa volta e ficava entre Carpenter e Bourdais, apenas 0s16 atrás de Andretti. Aí vinha mais uma daquelas amarelas rápidas para inspeção de pista e, no retorno das ações, Kanaan entrava no jogo com um excelente giro para pular para oitavo.

Os minutinhos finais chegaram e, mesmo com nova inspeção de pista, ainda deu tempo de Alonso pular para 24º e, principalmente, para Daly superar Andretti que, depois de tantas horas, deixou a liderança no finalzinho para o companheiro, que virou 38s843.

Indy 2019, Indy 500, Fast Friday:

1 C DALY Andretti Honda 38.843   57
2 M ANDRETTI Andretti Honda 38.986 +0.143 42
3 T SATO RLL Honda 39.002 +0.159 54
4 S PIGOT Carpenter Chevrolet 39.050 +0.207 25
5 R HUNTER-REAY Andretti Honda 39.051 +0.208 43
6 E CARPENTER Carpenter Chevrolet 39.070 +0.227 26
7 S PAGENAUD Penske Chevrolet 39.075 +0.232 15
8 C KIMBALL Carlin Chevrolet 39.081 +0.238 36
9 J NEWGARDEN Penske Chevrolet 39.083 +0.240 42
10 E JONES Scuderia Corsa Chevrolet 39.112 +0.269 17
11 W POWER Penske Chevrolet 39.120 +0.277 38
12 T KANAAN Foyt Chevrolet 39.129 +0.286 21
13 S KARAM DRR Chevrolet 39.142 +0.299 43
14 A ROSSI Andretti Honda 39.151 +0.308 46
15 S BOURDAIS Dale Coyne Honda 39.153 +0.310 50
16 S DIXON Ganassi Honda 39.156 +0.313 54
17 Z VEACH Andretti Honda 39.163 +0.320 48
18 H CASTRONEVES Penske Chevrolet 39.184 +0.341 49
19 S FERRUCCI Dale Coyne Honda 39.203 +0.360 30
20 M ERICSSON SPM Honda 39.214 +0.371 39
21 J HARVEY Meyer Shank Honda 39.222 +0.379 44
22 G RAHAL RLL Honda 39.224 +0.381 41
23 J DAVISON Dale Coyne Honda 39.238 +0.395 34
24 F ALONSO McLaren Chevrolet 39.245 +0.402 77
25 C HERTA Harding Honda 39.285 +0.442 26
26 J HILDEBRAND DRR Chevrolet 39.346 +0.503 29
27 M LEIST Foyt Chevrolet 39.359 +0.516 34
28 O SERVIÀ SPM Honda 39.374 +0.531 47
29 J HINCHCLIFFE SPM Honda 39.377 +0.534 51
30 F ROSENQVIST Ganassi Honda 39.393 +0.550 64
31 P MANN Clauson-Marshall Chevrolet 39.427 +0.584 38
32 J KING RLL Honda 39.466 +0.623 56
33 M CHILTON Carlin Chevrolet 39.547 +0.704 51
34 P O'WARD Carlin Chevrolet 39.558 +0.715 38
35 B HANLEY DragonSpeed Chevrolet 39.706 +0.863 81
36 K KAISER Juncos Chevrolet 1:09.321 +30.478 1
 

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.