Indy
12/04/2017 14:47

Diretor-executivo da McLaren revela que plano para Alonso disputar Indy 500 começou como piada

Zak Brown contou que a participação de Fernando Alonso na Indy 500 deste ano só foi possível por causa de uma piada. O dirigente explicou a história, mas admitiu que sempre teve segunda intenções e que de cara esperava uma resposta positiva do bicampeão
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Fernando Alonso e a cúpula da McLaren no anúncio mais surpreendente de 2017 (Foto: McLaren)
 

O anúncio de Fernando Alonso no grid das 500 Milhas de Indianápolis de 2017 parecia piada. E, por incrível que pareça, a história toda começou desta forma. O bicampeão do mundo e Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, contaram que as primeiras conversas entre os dois tiveram um tom jocoso e, só depois de um bom amadurecimento da ideia, o sonho se transformou em algo factível.
 
Apesar de revelar que seus planos começaram como uma piada, Brown admitiu que, desde a primeira vez que falou sobre o tema com Alonso, já sonhava em tornar isso real.
 
"Foi uma daquelas brincadeiras com uma segunda intenção lá no fundo de ser verdade. Falei para o Fernando antes da corrida na Austrália que a gente deveria tentar disputar juntos a Indy 500. Joguei ali para ver que tipo de reação eu teria dele e ele me respondeu com outra piada, então imaginei que tinha fracassado na tentativa", disse.
 
O dirigente explicou que os planos começaram a ganhar forma em uma conversa mais geral com Eric Boullier e a cúpula da Honda. Ali mesmo, Alonso fez sua parte, elogiando os japoneses e contando os planos de buscar a Tríplice Coroa, ganhando as 24 Horas de Le Mans e a Indy 500.
 
"Aí, quando eu e o Fernando estávamos em uma conversa com o Boullier e a Honda na Austrália, esse tema acabou virando sério. Fernando elogiou a história da Honda nos ovais e falou do sonho dele de conquistar a Tríplice Coroa, lembrando que sempre quis fazer Le Mans e dizendo que seria uma honra estar com a Honda na Indy 500", seguiu.
Zak Brown começou a sonhar com a Indy 500 ao fazer uma piada com Alonso (Foto: McLaren)
O espanhol afirmou que começou a se animar quando recebeu uma ligação de Brown nas últimas semanas, mas ressaltou que sequer imaginava disputar a prova desse ano.
 
"Recebi uma ligação do Zak sobre outros assuntos, mas em um certo momento o tema Indy 500 voltou à tona. Naquele momento eu já estava feliz pelo fato da McLaren estar considerando disputar a prova, recuperar a tradição antiga. Eu estava feliz com a chegada do Zak, mas mais ainda quando ouvi os planos dele. De qualquer jeito, estava sonhando com 2018, já que a Indy 500 2017 estava já bem próxima", contou.
 
Segundo Alonso, porém, foi logo depois dos treinos livres de sexta-feira, em Xangai, que a conversa começou a ficar séria. O espanhol recebeu a proposta e pediu a noite para pensar. No sábado, na melhor linha do "se é para o bem de todos e para a felicidade geral", Fernando topou.
Fernando Alonso topou quase que na hora o convite pra Indy 500 (Foto: McLaren)
"Nós fomos falar verdadeiramente sério sobre isso na sexta-feira na China. As coisas começaram a se acertar e eu fiquei de dar a resposta no sábado. Aí, no dia seguinte, comuniquei a todos eles que eu topava, era uma situação em que eu sairia ganhando de qualquer jeito, que era boa para a F1, para os fãs, para todos", continuou.
 
Daí para frente, sobrou para Brown acertar os últimos detalhes. Aliás, mais do que isso, garantir que Honda e Andretti pudessem participar do sonho de Alonso e McLaren.
 
"Quando o Fernando me disse que topava tudo isso, aí eu comecei a verdadeiramente me mexer. A Indy ajudou muito, Michael Andretti foi fantástico e a Honda fez isso acontecer de fato", completou.
 
PADDOCK GP #73 DISCUTE F1, MOTOGP E INDY E FAZ PRÉVIA DO GP DO BAHREIN