Indy

Dixon elogia pilotagem de Rosenqvist em testes e crava: “Pode ter o mesmo sucesso de Wickens”

Scott Dixon ficou bem animado com o que viu do companheiro Felix Rosenqvist na pré-temporada em Austin. O neozelandês acredita que o sueco pode repetir o sucesso de Robert Wickens em seu ano de novato

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O sucesso de Robert Wickens em seu ano de estreia na Indy deixou a Ganassi ainda mais esperançosa com Felix Rosenqvist. Atual campeão, Scott Dixon depositou altas expectativas no companheiro de time, lembrando que o sueco chega ao grid em situação parecida com a do canadense e mostrou bastante talento no teste em Austin.
 
Wickens entrou na Indy aos 28 anos após bons anos de DTM, enquanto Rosenqvist tem 27 e se destacou na Fórmula E, principalmente. Dixon já teve boa surpresa ao ver o companheiro interagindo bem com o time no Circuito das Américas e, claro, virando muito rápido.
 
"Ele tem sido ótimo na parte de dar o feedback ao time, também tem mostrado um controle muito bom do carro, pilotagem muito boa. Ele é um novato na Indy, mas já guiou os mais diferentes tipos de carro, como sportscar, GT3, rali, fórmula... traz uma perspectiva bem nova", disse.
Felix Rosenqvist impressionou Scott Dixon no Circuito das Américas (Foto: IndyCar)
Para Dixon, as trajetórias se parecem e o resultado pode acabar sendo um ano tão bom do sueco quanto foi o do canadense em 2018.
 
"Tenho certeza que ele pode ter o mesmo sucesso que o Wickens teve em 2018. Felix e Robert tiveram trajetórias bem boas antes de chegarem aqui na Indy. Acho que ele pode ter o mesmo impacto em 2019, vai chegar em nível alto", completou.