Indy

Dixon lamenta problema com mangueira nos boxes em Long Beach, mas admite: “Rossi foi fantástico”

Scott Dixon falou do problema que teve nos boxes e dos segundos que ali perdeu, mas reconheceu que o GP de Long Beach era mesmo do “fantástico” Alexander Rossi

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Scott Dixon teve uma corrida de altos e baixos em Long Beach. Com bom ritmo, o neozelandês deixou a disputa pela segunda posição quando a mangueira de combustível ficou presa em seu carro, mas reagiu até chegar em terceiro após uma punição dada a Graham Rahal na última volta por bloqueio. O atual campeão da Indy lamentou o problema nos boxes, mas admitiu que não teria como superar Alexander Rossi.
 
Dixon elogiou o ritmo imposto com a Ganassi na perna final da prova e lembrou que poderia ter subido um degrauzinho do pódio.
 
"O último stint foi bem forte. É uma pena que a gente tenha tido o problema no pit-stop com a mangueira de combustível ficando presa, acho que dava para ter ficado em segundo na corrida", comentou.
Scott Dixon queria mais que o terceiro lugar de Long Beach (Foto: IndyCar)
O veterano citou uma escolha equivocada de estratégia de pneus e reconheceu a superioridade imensa que Rossi teve na prova, fechando, inclusive, 20s2 na frente de Newgarden e 25s5 na frente de Dixon.
 
"Parabéns ao Rossi, ele foi fantástico. Nós acabamos ficando no meio da confusão ali na largada com os pneus macios, talvez não tenha sido a escolha correta", completou.
 
O pódio foi fundamental para Dixon seguir próximo do líder Newgarden e colado no vice Rossi. O neozelandês tem 133 pontos, 33 a menos que Josef.