Indy

Etapa do Texas sofre adiamento incomum, e Indy realiza prova no último fim de semana de agosto

Até deu para completar algumas voltas no Texas, mas a chuva veio com tudo e impediu qualquer tentativa de continuação da corrida. Sem muitas opções, a Indy optou por remarcar a corrida texana para o distante 27 de agosto
Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 A chuva, sempre ela, veio com tudo (Foto: Reprodução)

Ainda não foi neste domingo (12) que a Indy conseguiu realizar a etapa do Texas. Após o adiamento no sábado, a categoria se viu obrigada a novamente atrasar a conclusão da prova, após a tempestade reaparecer com apenas 71 voltas completadas, portanto, bem menos da metade. O atraso, todavia, será inusitado: a continuação está marcada para 27 de agosto, em mais de dois meses.
 
A largada, antes marcada para 15h15, só foi acontecer às 15h48 (em Brasília), já que a pista seguia apresentando pontos em que o asfalto estava molhado. No momento em que a chuva caiu, a prova estava em bandeira amarela, consequência do fortíssimo acidente entre Conor Daly e Josef Newgarden, que foi jogado no muro.
 
Com polêmica, James Hinchcliffe era quem aparecia na dianteira pela cronometragem oficial, mas Ryan Hunter-Reay reclamava - com razão - que havia deixado os boxes bem à frente do canadense. Mesmo assim, o americano era o segundo oficialmente.
 
O top-10 estava bastante misturado já que vários líderes foram aos boxes e alguns pilotos do fim do grid resolveram ficar na pista. Assim, atrás de Hunter-Reay apareciam: Mikhail Aleshin, Will Power, Ed Carpenter, Gabby Chaves, Helio Castroneves, Charlie Kimball, Carlos Muñoz e Juan Pablo Montoya. Tony Kanaan era 16º.
 
A direção de prova bem que esperou o fim da tempestade, mas, após alguns minutos de trégua, a chuva voltou com força, o que fez com que a Indy optasse por terminar a corrida apenas em agosto, já que a previsão do tempo é caótica para os próximos dias.
 
Com a nova data, a etapa do Texas vai ocupar a semana que seria de folga entre Pocono e Watkins Glen, virando a antepenúltima corrida de 2016. São 78 dias separando o sábado em que a prova teoricamente seria realizada e a noite de 27 de agosto.
Teoricamente, James Hinchcliffe lidera no Texas (Foto: IndyCar)
Confira como foi o início de corrida no Texas:

A largada para a etapa texana finalmente aconteceu às 15h48 (em Brasília), após adiamento de um dia e mais alguns minutos neste domingo. Carlos Muñoz segurou a ponta com Helio Castroneves em segundo e um brilhante Alexander Rossi em terceiro.
 
Tony Kanaan era o quinto, sendo pressionado por Ryan Hunter-Reay e apertando em cima de Josef Newgarden. Rossi queria mostrar que não tinha feito apenas uma boa largada, mas acabou se afobando e foi caindo no pelotão ao tentar tomar a ponta.

Com dez voltas completadas, Muñoz seguia firme e forte na ponta. Castroneves vinha em segundo, com Newgarden e Hunter-Reay totalmente lado a lado em terceiro. Kanaan era o quinto. O top-10 ainda tinha Scott Dixon, Rossi, Simon Pagenaud, Juan Pablo Montoya e James Hinchcliffe.

Com carros bastante desequilibrados, Rossi e Marco Andretti começaram a ficar lentos e foram superados por boa parte do grid. Lá na frente, Hunter-Reay se livrava de Newgarden e deixava o #21 para brigar com Kanaan.
Carlos Muñoz no Texas (Foto: IndyCar)

Quem começava a corrida de forma bem animadora era a modesta Dale Coyne. Com apenas 30 voltas, a dupla saiu do fim do pelotão para posições bem decentes. Conor Daly era décimo e Gabby Chaves vinha em 13º.

Na volta 33, Kanaan e Castroneves abriram a primeira rodada nos boxes. Rossi foi logo depois dos brasileiros, assim como Graham Rahal.

Um acidente assustador aconteceu logo após o 42º giro. Daly perdeu totalmente o controle do carro, patinou e foi direto em cima de Newgarden. O piloto da Carpenter teve o carro levantado e foi sendo arrastado pelo #18 até bater com força no muro, dando muita sorte por não ter batido com o capacete.

Daly saiu rapidamente do carro, sem maiores problemas. Newgarden demorou um pouco mais e, logo que deixou o bólido, desmaiou junto dos médicos da categoria. Apesar de grande preocupação e susto, Newgarden fez o sinal de positivo ao ser retirado de maca, sendo ovacionado pelo público texano.
Acidente assustador no Texas (Foto: Reprodução/TV)
O grave acidente era a chave para a segunda rodada de paradas nos boxes para boa parte do grid. Naquele momento, com cerca de 20% da prova concluída, assim estava o top-10: Hinchcliffe, Hunter-Reay, Mikhail Aleshin, Will Power, Ed Carpenter, Chaves, Castroneves, Muñoz, Kanaan e Pagenaud.

O estrago causado pelo carro de Newgarden no muro foi imenso, o que fez com que a organização tivesse uma bandeira amarela longuíssima. Na volta 61, nenhuma expectativa de retorno da bandeira verde. Assim, mais gente retornava aos boxes. Pagenaud e Kanaan foram os que mais demoraram, com problemas no bico do carro.

Enquanto isso, a Foyt fazia uma grande besteira e Jack Hawksworth deixava os boxes arrastando a mangueira. Com 70 voltas, a bandeira amarela continuava acionada no Texas. Newgarden, por sua vez, era transportado para o hospital com fortes dores no ombro e no pulso.
A chuva, sempre ela, veio com tudo (Foto: Reprodução)
Foi aí que aconteceu algo que ninguém queria, mas já que todo mundo esperava: a chuva apareceu. Na volta 72, a direção de prova finalmente substituiu a bandeira amarela, mas pela bandeira vermelha. Todo mundo estacionado nos boxes.

Enquanto a ação na pista não recomeçava, rolava a polêmica envolvendo a liderança. Ainda que Hinchcliffe fosse creditado como o ponteiro, Hunter-Reay claramente deixou os boxes na frente, reclamando bastante pelo rádio e também em entrevista, pedindo revisão.

Perto das 17h, o céu ficava assustadoramente coberto, com a chuva caindo com força e as previsões para a continuidade da prova sendo cada vez menos animadoras.

PADDOCK GP #32 DEBATE MotoGP, F1, INDY E STOCK CAR