George fez proposta de R$ 60 milhões para reassumir controle da Indy, diz agência

De acordo com informações da ‘Associated Press’, Tony George pretendia arcar com os prejuízos da categoria

Cerca de R$ 10 milhões de entrada mais R$ 50 milhões quando todo o processo ser concluído: é com esses valores que Tony George e o grupo de investidores que reuniu tentaram seduzir a cúpula da Indy. As informações são da agência ‘AP’, que teve acesso à documentação da oferta feita por George para reassumir o controle da categoria que criou em 1996.

Após a entrada de R$ 10 mi, o pagamento seria concluído quando Randy Bernard e sua equipe fossem substituídos e o campeonato voltasse a operar no azul. Ou seja, os R$ 50 milhões seriam pagos a partir dos lucros da categoria. A proposta foi recusada pela cúpula da Indy.

Tony George liderou o racha que resultou na criação da Indy Racing League em 1996 (Foto: Reprodução)

Há dez dias, George renunciou ao cargo que ocupava no corpo diretivo da Hullman & Company, empresa proprietária da Indy, para trabalhar na reaquisição da categoria. Depois que deixou o comando, em 2008, o membro da família que é dona do Indianápolis Motor Speedway chegou a fazer uma oferta de retomada, em 2010, sem sucesso.

Bernard, por sua vez, foi demitido do posto de CEO da Indy no último domingo (28). Ele tinha contra si a oposição de algumas equipes do grid, principalmente a Andretti, campeã neste ano com Ryan Hunter-Reay. Desde agosto, a família Andretti, uma das mais poderosas do automobilismo norte-americano, fazia pressão para a saída de Randy, se mostrando favorável à chegada de Tony George. Interino no comando da categoria, Jeff Belskus fez questão de afirmar que a Indy não está à venda.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube