Indy

Hinchcliffe admite pessimismo após batida e revela que avisou SPM que “não ia dar para voltar” no domingo

James Hinchcliffe conseguiu a vaga para as 500 Milhas de Indianápolis na bacia das almas. Nem ele próprio acho que fosse possível entrar no grid após o acidente sério que sofreu durante as voltas lançadas do sábado no IMS

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
James Hinchcliffe conseguiu. O piloto canadense, pole-position da edição #100 das 500 Milhas de Indianápolis, em 2016, vai voltar ao grid da Indy 500 após a ausência causada pela eliminação do Bump Day em 2018. Mas foi com muito drama que Hinchcliffe conquistou a vaga: uma batida no sábado fez o piloto avisar para a SPM que as chances haviam escapado pelo ralo novamente.
 
Piloto de uma equipe importante como a Schmidt Peterson, Hinchcliffe não era cotado para sofrer no Bump Day de 2019 como aconteceu em 2018 - eliminado de forma totalmente surpreendente enquanto o companheiro e novato Robert Wickens entrou com tranquilidade. O pesadelo, entretanto, ofereceu-se de novo quando ele foi à pista para a primeira série de voltas lançadas. Um erro na curva dois jogou o carro para o muro e interrompeu a sessão.
James Hinchcliffe (Foto: IndyCar)
"Quando eu saí do centro médico, avisei a todos que não tinha jeito da gente voltar à pista no dia seguinte. Mostra o quanto eu entendo", brincou. "Todo mundo na Schmidt Peterson arregaçou as mangas e foi para o trabalho. Colocamos o carro reserva na pista duas horas e meia depois, o que é incrível", falou.
 
Com o companheiro Marcus Ericsson seguro no grid, a SPM voltou as atenções para seu piloto mais antigo. Hinchcliffe ainda deu algumas voltas com o carro T, o reserva, no sábado, mas ficou com o 32º tempo e precisou voltar no domingo para o Bump Day. Desta vez, abriu o pelotão andando forte e garantiu a entrada na corrida. Vai largar na mesma 32ª colocação.

 
"Poder ir à pista com tempo o bastante disponível para fazer três tentativas deu muita informação que pudemos analisar durante a noite e passar longas horas mexendo no carro para tentar nos certificar de que tivéssemos a velocidade necessária" seguiu.
 
"E, cara, é uma sensação que destrói os nervos saber que você só tem uma chance de conseguir, o clima está mudando a cada momento e eu sou o primeiro na pista. Foi a mesma coisa que aconteceu ano passado, algo que certamente não foi esquecido por ninguém na garagem", finalizou.

Enquanto Hinchcliffe sai lá atrás, Simon Pagenaud é o pole e vai ter Ed Carpenter e Spencer Pigot ao lado na primeira fila. O companheiro Ericsson é o 13º colocado. A corrida está marcada para as 13h40 (de Brasília) do próximo domingo.



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.