Hinchcliffe conta com erro de Dixon na tática, segura Bourdais e vence em Long Beach. Pole, Castroneves é só 9º

Scott Dixon e a Ganassi cometeram um raro erro de estratégia de paradas nos boxes e entregaram uma vitória que parecia provável em Long Beach. Na tática certa, James Hinchcliffe superou Ryan Hunter-Reay, segurou Sébastien Bourdais e Josef Newgarden no fim e venceu a corrida, encerrando um jejum de quase dois anos na Indy

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

James Hinchcliffe reencontrou o caminho das vitórias na Indy. Quase dois anos após vencer uma corrida bizarra em Nova Orleans, o canadense contou com um erro crasso de Ganassi e Scott Dixon na estratégia de paradas para voltar ao lugar mais alto do pódio no GP de Long Beach deste domingo (9).

A vitória do canadense veio pelo erro de Dixon, mas também por sua qualidade, já que superou Ryan Hunter-Reay e Alexander Rossi em disputa na pista. O neozelandês, que teve de fazer uma parada a mais, ainda chegou em quarto.

A segunda posição ficou com o inacreditável Sébastien Bourdais, que levou a nanica Dale Coyne a mais um resultado espetacular após a vitória em St. Pete, se mantendo na liderança do campeonato.

Josef Newgarden fez sua primeira grande apresentação pela Penske. Também errando na estratégia, o americano compensou com uma série de ultrapassagens e foi ao pódio na terceira posição, não conseguindo superar Bourdais na relargada final, mas segurando Dixon.

Simon Pagenaud foi outro dos nomes da corrida. Largando em último, o francês escalou o pelotão e chegou em quinto, dando pinta de que poderia ter feito ainda mais se estivesse na tática de Hinchcliffe e Bourdais.

O calouro Ed Jones conseguiu seu segundo top-10 em duas provas e aumentou ainda mais a boa fase da Dale Coyne, chegando na sexta colocação. Carlos Muñoz foi o sétimo com a Foyt, que busca se recuperar de um 2016 tenebroso.

Spencer Pigot acertou na estratégia de paradas e foi o oitavo após largar também do fundo do grid. Pole, Helio Castroneves teve muitos problemas desde uma largada ruim até uma punição por excesso de velocidade nos boxes, mas ainda cruzou em nono, alguns segundos na frente de Graham Rahal.

Também em um dia muito conturbado, Tony Kanaan não passou do 15º lugar, se envolvendo mais uma vez em um enrosco com o russo Mikhail Aleshin, 11º colocado.

James Hinchcliffe venceu em Long Beach (Foto: IndyCar)

Confira como foi o GP de Long Beach:

A largada do GP de Long Beach aconteceu às 17h37 (em Brasília). Pole, Helio Castroneves saiu muito mal, despencando para a sexta posição ainda na primeira curva. Quem se deu bem foi Scott Dixon, que tomou a dianteira e segurou as investidas de James Hinchcliffe.

 
Ryan Hunter-Reay, Graham Rahal e Alexander Rossi também se aproveitaram da péssima largada de Castroneves e entraram no top-5, enquanto Josef Newgarden, em sétimo, Tony Kanaan, Marco Andretti e Sébastien Bourdais fechavam o grupo dos dez primeiros.
 
Lá atrás, Conor Daly rodava de forma patética, mas a primeira bandeira amarela viria alguns metros para frente, com Charlie Kimball fechando Will Power e um choque forte entre os dois, que foram parar no muro. Os dois carros ficaram bem danificados e a pista com muitos detritos.

Com o carro destruído, Kimball acabou recolhendo na sequência, enquanto Daly, Power, Kanaan e Bourdais iam para os boxes. O problema do francês parecia ser o mais sério e serviu para promover o companheiro Ed Jones e Carlos Muñoz ao top-10.

Sébastien Bourdais ficou em segundo (Foto: IndyCar)

A relargada veio na volta 5, com Dixon saindo muito bem e Hinchcliffe e Hunter-Reay brigando duro pelo segundo posto. Apesar da primeira volta muito conturbada, 20 pilotos seguiam no mesmo giro, tendo apenas Kimball abandonado. 

Com muita categoria, Hunter-Reay se aproveitou do ritmo mediano de Dixon e abocanhou o segundo lugar de Hinchcliffe. Enquanto isso, Simon Pagenaud vinha escalando o pelotão e saía de último no grid para já virar 13º em seis voltas.

No grupo da frente, quem começava a se destacar era Newgarden. Sem perder muito tempo, o americano da Penske foi agressivo para superar o companheiro Castroneves e, algumas curvas depois, o compatriota Rahal, virando quinto colocado.

Com dez voltas completadas, Dixon liderava com 0s6 de vantagem para Hunter-Reay. Hinch, Rossi e Newgarden vinham próximos na briga pelo terceiro lugar, enquanto Rahal, Andretti, Castroneves, Jones e Muñoz fechavam o top-10. Pagenaud, muito rápido, superava Mikhail Aleshin e virava 11º.

A primeira rodada de paradas era aberta já na volta 12 com Andretti e Aleshin. Logo depois, Kanaan, JR Hildebrand e Power já faziam a mesma coisa, antecipando a janela.

Pagenaud, Castroneves e Muñoz também iam para os boxes enquanto Andretti, que dava pinta de que brigaria nas primeiras posições, sofria com problemas em seu carro e despencava no pelotão.

O fim da linha para Andretti veio na volta 17, depois de alguns giros apenas se arrastando para ver se o motor voltava a pegar. Enquanto isso, Dixon e Newgarden iam juntos para os boxes, com o americano sendo superado pelo incrível Pagenaud.

Josef Newgarden chegou em terceiro (Foto: IndyCar)

Os seis primeiros eram Hunter-Reay, Hinchcliffe, Rossi, Rahal, Spencer Pigot e Bourdais, que pareciam prontos para uma estratégia de duas paradas. Dixon, Pagenaud, Newgarden e Castroneves vinham logo atrás, já com o primeiro pit-stop feito.

A briga pela ponta começava a esquentar muito na volta 24. Já no fim do stint, Hunter-Reay via sua vantagem para Hinchcliffe despencar para 0s5, com Rossi aparecendo apenas 0s8 atrás do canadense e entrando no páreo. Rahal e Bourdais brigavam pelo quarto lugar, enquanto Pigot andava sozinho em sexto, 5s atrás de Bourdais e 5s na frente de Dixon.

Hinchcliffe e Rossi foram juntos aos boxes na volta 28, enquanto Hunter-Reay, Rahal e Pigot pararam no giro seguinte e Bourdais, na volta 31. Assim, Dixon reassumiu a dianteira da prova, mas tinha apenas 5s8 de vantagem para Hunter-Reay e em estratégia diferente.

Hinchcliffe aparecia em terceiro, colado no piloto da Andretti e segurando as investidas de Pagenaud. Newgarden era o quinto, seguido por Castroneves, que superou Rossi. Aleshin, Muñoz e Kanaan completavam o grupo dos dez primeiros.

A janela para aqueles que estavam na estratégia de três paradas se abriu na volta 32 com Pagenaud, Power, Newgarden e Hildebrand já indo aos boxes. O francês voltava em 17º e tinha um longo pelotão para superar mais uma vez.

Os demais que estavam na mesma estratégia de Pagenaud foram parando na sequência e, como tradicionalmente acontece, Dixon foi quem mais conseguiu alongar o stint, indo aos boxes apenas na volta 41. O neozelandês, por sinal, voltou em quinto, exatamente na frente de Rahal e Pigot, que estavam na estratégia das duas paradas.

Assim, a corrida chegava na metade com duas situações: a divisão do grid em duas estratégias diferentes e a briga ferrenha de Hunter-Reay e Hinchcliffe pela primeira colocação. Rossi, 2s8 atrás, continuava correndo por fora e torcendo por um enrosco dos dois.

Na quarta posição vinha Bourdais, com bons 9s3 de frente para Dixon. Rahal era o sexto, com Newgarden despontando como segunda força na estratégia de Dixon em sétimo. Pigot, Pagenaud e Castroneves completavam o top-10, com Kanaan em 13º.

O terceiro stint de Dixon era muito forte. O neozelandês começava a encaixar volta rápida atrás de volta rápida, forçando Bourdais a também tirar bastante de seu carro. Na volta 50, Hunter-Reay liderava com 0s7 para Hinch, enquanto Rossi se aproximava bem da briga e cortava para 1s4 a desvantagem para o líder.

Scott Dixon vacilou na estratégia e terminou em quarto (Foto: IndyCar)

Bourdais também começava a cortar a diferença para o #28 da Andretti e aparecia 11s1 atrás, segurando 6s1 de frente para Dixon, 9s5 para Newgarden, 14s3 para Rahal e 17s1 para Pigot.

Com a presença de retardatários e a nova queda no ritmo de Hunter-Reay, a briga pelo primeiro lugar começou a pegar fogo. O #28, Hinchcliffe e Rossi já apareciam colados, enquanto Bourdais seguia soberano em quarto e Dixon vinha 15s1, em quinto.

Na volta 56, Rossi finalmente superou Hinchcliffe e, logo depois, acompanhou Hunter-Reay na segunda parada nos boxes. Hinch ficou na pista para mais um giro, tentando dar o pulo do gato.

E a estratégia da Schmidt Peterson deu certo, com Hinchcliffe voltando poucos décimos na frente de Hunter-Reay e Rossi. Aliás, a dupla da Andretti trocou de posições na volta 59, com Rossi mergulhando por fora e fazendo uma linda ultrapassagem pelo quinto lugar de momento, mas segundo na projeção de fim de prova.

Dentre aqueles que pareciam ter errado na estratégia, a briga pelo primeiro lugar ficava bem quente entre Dixon e Newgarden, mas não durou muito, já que o americano fez sua parada final na volta 61, voltando em sexto, na cola de Bourdais. Castroneves retornava dos boxes em nono, atrás de Rahal, para logo depois receber um drive-through por excesso de velocidade.

O final de semana brilhante de Rossi chegava ao fim na volta 63. Um estouro de seu motor Honda aconteceu e o americano parou por ali mesmo, puxando uma nova bandeira amarela que embaralhou as coisas.

Sob bandeira amarela, o pelotão se apresentava com 15 carros na mesma volta. Hinchcliffe era o líder, seguido por Hunter-Reay, Bourdais, Newgarden, Dixon, Rahal, Pagenaud, Pigot, Castroneves, Ed Jones, Muñoz, Aleshin, Kanaan, Sato e Hildebrand. Os retardatários eram Power, Chilton e Daly.

A relargada veio na volta 69 com um monte de retardatário entre Hunter-Reay e Bourdais. Assim, os dois primeiros já foram fugindo na frente, enquanto Bourdais precisava segurar Newgarden e Dixon.

James Hinchcliffe venceu com estilo (Foto: IndyCar)

O ritmo de Hinchcliffe continuava sendo muito bom. O canadense não demorou nada para começar a abrir vantagem para Hunter-Reay, enquanto Bourdais seguia sofrendo com Newgarden e Dixon, já sem Daly como escudeiro-retardatário.

A corrida de Kanaan, que já não era tranquila, ficou ainda pior com um toque em Aleshin. O brasileiro teve um pneu furado e precisou ir aos boxes, perdendo as chances de top-10.

Na sequência, o pesadelo da Andretti ficou completo. Após ter problemas com Marco e Rossi, o time perdeu numa tacada só Sato e Hunter-Reay com aparentes quebras de motor. A bandeira amarela voltava e Hinchcliffe, por mais que não tivesse sofrendo pressão de Hunter-Reay, agora teria de se preocupar com Bourdais, Newgarden e Dixon.

E a relargada do canadense foi perfeita. Hinchcliffe rapidamente sumiu na frente e já provou que venceria a corrida, deixando Bourdais para uma interessante batalha com Newgarden e Dixon.

O francês da Dale Coyne, que segue líder do campeonato, se deu bem nessa e levou para casa um grande segundo lugar, enquanto Newgarden abocanhou seu primeiro pódio de Penske. Castroneves ainda deu uma leve recuperada e foi para nono.

Indy, GP de Long Beach, Classificação Final:

1 5 JAMES HINCHCLIFFE CAN SCHMIDT PETERSON HONDA 85 voltas  
2 18 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA DALE COYNE HONDA +1.494  
3 2 JOSEF NEWGARDEN EUA PENSKE CHEVROLET +2.316  
4 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI HONDA +2.783  
5 1 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +3.393  
6 19 ED JONES ING DALE COYNE HONDA +5.795  
7 14 CARLOS MUÑOZ COL FOYT CHEVROLET +6.939  
8 20 SPENCER PIGOT EUA CARPENTER CHEVROLET +9.057  
9 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +9.340  
10 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +17.863  
11 21 JR HILDEBRAND EUA CARPENTER CHEVROLET +1 volta  
12 7 MIKHAIL ALESHIN RUS SCHMIDT PETERSON HONDA +34.109  
13 12 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET +1 volta  
14 8 MAX CHILTON ING GANASSI HONDA +1 volta  
15 10 TONY KANAAN BRA GANASSI HONDA +1 volta  
16 4 CONOR DALY EUA FOYT CHEVROLET +1 volta  
17 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +6 voltas NC
18 26 TAKUMA SATO JAP ANDRETTI HONDA +7 voltas NC
19 98 ALEXANDER ROSSI EUA ANDRETTI HONDA +23 voltas NC
20 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +71 voltas NC
21 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI HONDA +84 voltas NC
PADDOCK GP #72 TRAZ ÁTILA ABREU E DISCUTE ETAPAS DA STOCK CAR, F1, INDY E MOTOGP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube