Honda volta a sobrar em oval, domina classificação no Texas e liga alerta vermelho na Chevrolet para corrida

A Honda dominou completamente a definição do grid de largada para a etapa do Texas e mostrou, mais uma vez, que está na frente da Chevrolet nos ovais. Com os oito primeiros na classificação sendo da montadora japonesa, os americanos vão ter de se virar para evitar um fiasco completo na prova deste sábado

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O domínio da Honda nas 500 Milhas de Indianápolis apareceu ainda mais atenuado nesta sexta-feira (9) no Texas. Com um desempenho assustadoramente melhor que o da Chevrolet, os japoneses garantiram as oito primeiras colocações no grid de largada, pondo pilotos de quatro equipes diferentes na frente de Will Power, o melhor da fabricante americana no dia.

O resultado da classificação liga um alerta vermelho na Chevrolet. Se na Indy 500 ficou claro que Helio Castroneves não conseguiu segurar Takuma Sato por ter menos equipamento, a tendência é que a situação fique ainda pior no Texas, que já viu algumas provas desequilibradas nos últimos anos e parece ter a Honda ainda mais passos na frente que no Indianapolis Motor Speedway.

Um problema que tem assolado a Honda em basicamente todas as etapas do calendário é a falta de confiabilidade no motor. Se as unidades de potência estão absurdas em termos de performance, a resistência claramente não é um forte dos japoneses em 2017. Sendo assim, a grande esperança da Chevrolet para buscar bons resultados no sábado talvez esteja aí e, claro, no ritmo de corrida que os americanos costumam ter.

Charlie Kimball cravou a pole no Texas (Foto: IndyCar)

Dentro da Honda também já parece haver uma divisão de forças para o final de semana. Respondendo o que aconteceu em Indianápolis, a Ganassi parece estar um pouco melhor do que a Andretti que, por sua vez, tem também uma vantagem para a Schmidt Peterson, a RLL e a incrível Dale Coyne.

"Estou muito animado por ser o pole. Os caras do time realmente merecem isso. Todos da Ganassi têm trabalhado duro e os garotos estiveram comigo durante todo o ano no bom, no ruim e no feio. É muito bom ter a possibilidade de compensá-los com a pole-position aqui no Texas. O carro estava muito bom e Todd fez alguns ajustes que o fizeram melhorar ainda mais durante o treino livre. Durante o treino classificatório nós simplesmente tomamos um balanço, saímos e fizemos o trabalho", disse Charlie Kimball, que sai da pole pela primeira vez na Indy.

Tony Kanaan (Foto: IndyCar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Na briga interna da Ganassi, Kimball e Scott Dixon começaram a etapa com mais sucesso que os companheiros Tony Kanaan e Max Chilton, que também obtiveram bons resultados.
"Obviamente, o clima é muito diferente de quando a gente testou e pode ser que esteja mais quente amanhã, mas nós aprendemos algumas coisas e foi uma boa sessão de treinos nesta manhã para o carro e a equipe. Realmente não importa onde você se classifique por aqui, mas eu acho que temos uma configuração decente para conseguir algo a mais amanhã. Parabéns ao Charlie e a equipe dele pela primeira pole. Excelente esforço da equipe hoje e ansioso para amanhã", comentou Dixon.

O neozelandês liderou o TL1 e ficou em segundo na definição do grid, enquanto o americano inverteu os papéis e, de segundo na primeira atividade foi para a pole na seguinte. Aliás, a desta sexta-feira foi a primeira pole da carreira de Kimball, que venceu apenas uma corrida em Mid-Ohio na temporada 2013.

"Sinto que conseguimos realmente fazer uma boa volta e eu estou feliz onde estamos em termos de velocidade com os dados do carro. Nós ainda temos um pouco de trabalho a fazer. Meus colegas de equipe têm bons carros também, então serão ótimos dados para dar uma olhada durante a noite. A pista realmente melhorou quando fomos pra valer. Mas tenho que tirar o chapéu para o Charlie em sua primeira pole. Ele conseguiu grandes duas voltas", avaliou Tony.

Alexander Rossi (Foto: IndyCar)

Já na Andretti, decepcionaram o piloto da família e Ryan Hunter-Reay, que de certa forma foram prejudicados pela ordem de tentativa na classificação, enquanto Takuma Sato e, principalmente, Alexander Rossi, andaram em um ótimo ritmo.

"O carro estava bom desde quando nós tiramos ele do caminhão hoje. Eu sabia que quando chegássemos nos treinos classificatórios nós não teríamos nada para a pole com o quanto os carros da Ganassi estavam aparados. Mas o terceiro é bom, como vimos no ano passado, muita coisa pode acontecer nesta corrida e eu também me sinto muito bem no carro, a confiança está alta no momento", explicou Rossi.

A Schmidt Peterson com um inspirado Mikhail Aleshin, a Dale Coyne com um 'quase-estreante' atrevido Tristan Vautier e a RLL com Graham Rahal, outro dos prejudicados pelo sorteio, devem incomodar bastante na corrida. Aliás, todos os três times já conseguiram vencer corridas nesta temporada.

Tristan Vautier surpreendeu (Foto: IndyCar)

"Eu estava um pouco nervoso, para ser sincero, só para saber como iria sentir, na primeira rodada. Em um circuito misto, talvez não, mas aqui é um oval, é um lugar difícil. Eu estava apenas um pouco ansioso para entrar no carro e ver como seria, mas depois de três ou quatro voltas, foi tudo bem. Obviamente, tudo vai um pouco mais rápido quando você faz isso por toda a temporada, mas eu voltei muito rápido. A equipe tornou isso mais fácil porque o carro estava muito bom desde o começo. É muito legal trabalhar com esses caras, Craig (Hampson, engenheiro), Olivier (Boisson, engenheiro) e obviamente com o restante da equipe. O carro estava muito agradável desde o início e realmente me ajudou. O treino classificatório foi bom, eu acho que eles criaram um downforce perfeito. Obviamente a corrida será um pouco mais difícil para mim. Eu fiquei por muito tempo fora", disse Vautier, que substitui o lesionado Sébastien Bourdais.

Na Chevrolet, em uma jornada bem pouco inspirada da Carpenter na classificação e mais uma exibição grotesca da Foyt, andando atrás até da novatíssima Harding, a Penske foi quem menos passou vergonha. Com Will Power em nono e Helio Castroneves em décimo, o principal time do grid ao menos teve dois lugares no top-10, mas parece azarão na briga pela corrida da noite de sábado.

Simon Pagenaud, Josef Newgarden e Will Power devem penar na corrida (Foto: IndyCar)

"Tivemos uma boa apresentação na classificação, mas nós precisávamos de um pouco mais. Vamos começar em nono, o que não é tão terrível, mas não é o ideal. A equipe e eu temos algumas ideias que estamos prontos para testar. Nossos carros foram bons nas corridas durante toda a temporada e não há razão para acreditar que isso irá mudar", contou Power.

O consolo veio no fim do dia, mais precisamente na segunda sessão de treinos livres, em que a Chevrolet saiu com a liderança via Ed Carpenter, também com a Penske rendendo bem em uma atividade que mais se assemelhava à corrida.

"Nós vamos começar em décimo na corrida de amanhã aqui no Texas. Não é o que eu esperava, mas a equipe e eu temos algumas coisas que queremos trabalhar. A única coisa sobre a pista é que você nunca sabe o que vai acontecer. Sempre tem uma surpresa ou duas", lembrou Castroneves.

A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube