Hunter-Reay aproveita melhor rendimento nas voltas finais e vence no Alabama. Castroneves é terceiro

O piloto da Andretti se recuperou o início ruim de campeonato e conquistou a vitória na segunda prova da temporada. Terceiro colocado, Helio Castroneves assumiu a liderança do campeonato. Com 79 pontos, o brasileiro está à frente de Scott Dixon e do próprio Hunter-Reay

As imagens do domingo no Alabama estão na supergaleria do GP

Ryan Hunter-Reay não começou bem a temporada em São Petersburgo ao ficar bem longe da disputa pelas primeiras colocações. De olho em uma recuperação na tabela, o atual campeão cruzou a linha de chegada na primeira posição e venceu o GP do Alabama ao ter um rendimento melhor no terço final da corrida com o novo jogo de pneus. Piloto da Ganassi, Scott Dixon ainda tentou chegar em Hunter-Reay, mas acabou a prova logo atrás do vencedor.
 
Helio Castroneves fez uma corrida boa e chegou a liderar algumas voltas, mas acabou não conseguindo o melhor desempenho após sua última parada e cedeu posições para o piloto da Andretti e Dixon. Charlie Kimball fez uma prova muito boa e terminou em quarto, com Will Power fechando o grupo dos cinco melhores.
 
Simon Pagenaud, Marco Andretti, Justin Wilson, Josef Newgarden e Tristan Vautier encerraram a etapa entre os dez melhores. Sem o mesmo desempenho da estreia, Tony Kanaan finalizou a corrida em Barber apenas na 13ª colocação. Trabalhando para se adaptar ao novo carro, Bia Figueiredo não conseguiu completar a etapa e abandonou na volta 65.

Com os resultados em Barber, Castroneves assumiu a liderança do campeonato após duas provas disputadas. Com 79 pontos, ele tem nove de vantagem para Dixon, o segundo colocado. A vitória colocou Hunter-Reay em terceiro, com 66. Com 30 a menos que o líder, Kanaan ocupa a sétima posição.
 
A próxima corrida acontece em Long Beach, no dia 21 de abril.

Hunter-Reay venceu pela primeira vez na Indy após conquistar o título (Foto: Bret Kelley/IndyCar)

Confira como foi a corrida no Alabama
 
Pronto para a largada, os pilotos formaram as filas duplas e a bandeira verde foi acionada pela organização exatamente às 16h40 (horário de Brasília). Pole-position, Ryan Hunter-Reay conseguiu manter a primeira colocação. Quem fez um excelente início de prova foi Tristan Vautier, que assumiu o segundo posto ao fazer uma ultrapassagem. Marco Andretti pulou para terceiro – ele largou em sétimo.
 
Helio Castroneves não conseguiu fazer um bom começo e acabou caindo para décimo. Charlie Kimball, Justin Wilson, Scott Dixon, Sebastian Saavedra, Will Power e A.J Allmendinger completavam os dez melhores da corrida naquele momento. Tony Kanaan ganhou uma posição e era 18º, enquanto Bia Figueiredo avançou e estava em 24º.
 
Logo na segunda volta, Graham Rahal tocou em Oriol Servià e o espanhol bateu forte no muro. Por isso, a bandeira amarela foi acionada, mas isso não poupou James Hinchcliffe de bater e abandonar a corrida.

Confira a classificação da Indy após duas etapas

 
Três voltas depois, a corrida recomeçou e Hunter-Reay manteve a ponta e abriu mais de 0s7 de vantagem para Vautier. Castroneves não foi feliz na relargada e acabou perdendo uma posição, diferente de Allmendinger que deixou Power para trás. Líder da corrida, o atual campeão estava virando mais de 0s5 mais rápido que o francês. Um pouco mais atrás, Kimball estava abrindo vantagem para Marco Andretti, o quarto colocado.
 
O primeiro a fazer sua parada nos boxes para troca de pneus foi Oriol Servià. Três voltas depois foi a vez de Castroneves mudar, e assim a janela de paradas foi aberta. A corrida seguia pouco movimentada na volta 20, quando poucas ultrapassagens aconteciam naquele momento.
 
Tentando animar um pouco a prova, Kimball tentou ultrapassar Vautier, mas acabou não conseguindo e ainda perdeu contato com o único estreante da temporada. Graças a um erro bobo de Tristan, Charlie se reaproximou e tentou passar o concorrente, entretanto não teve sucesso. Mais pilotos fizeram suas paradas nos boxes, entre eles o líder Hunter-Reay. Helinho se deu bem e assumiu a terceira colocação, enquanto seu companheiro de equipe, o australiano Power, pulou para primeiro.
 
Com todos com suas paradas feitas, o atual campeão retomou a ponta, com Castroneves em segundo e Kimball em terceiro. Bem mais atrás dos primeiros colocados, Tony ainda sofria com sua KV e estava na modesta 20ª posição na volta 33 da segunda prova do ano.
 
Power, Franchitti e Pagenaud estavam separados por pouco mais de 0s5 e a disputa pela quinta colocação estava bem animada. À frente, Helinho antecipou sua parada para tentar vencer a corrida e manter o domínio da Penske na pista. De olho na vitória, a Andretti também chamou Hunter-Reay e o americano fez sua parada nos boxes. O brasileiro da Penske voltou atrás de Vautier, enquanto Ryan retornou em terceiro.
 
Segurando o ritmo do piloto da Andretti, Power acabou ajudando seu companheiro de equipe na disputa pela vitória, já que Castroneves se aproximou dos dois. E Hunter-Reay até tentou a ultrapassagem, mas sem sucesso. Helio foi para cima de Ryan, os dois se tocaram e o brasileiro levou a melhor para assumir o segundo posto.
 
E o momento de Helinho na corrida era muito bom, e ele aproveitou para fazer a ultrapassagem em Power, deixando o australiano segurando Hunter-Reay, o terceiro colocado. Em duas voltas, o brasileiro abriu uma larga vantagem para os dois. Mais uma vez, a corrida ficou sem grandes disputas perto de completar a segunda metade da prova. Takuma Sato tentou dar uma animada da prova ao ultrapassar Sebastian Saavedra.
 
Na volta 66, uma nova rodada de paradas nos boxes foi inaugurada, e Castroneves trocou seus pneus duas voltas depois. Em seguida, Hunter-Reay também fez sua parada e seguida marcando de perto o líder da prova, e o piloto da Andretti estava indo muito bem com o novo jogo de pneus e se aproximou do brasileiro.

Hunter-Reay, Dixon e Castroneves no pódio (Foto: Bret Kelley/IndyCar)

 
Até que Helinho não conseguiu segurar o ímpeto do concorrente e cedeu. No embalo, Dixon também se aproximou do agora segundo colocado e também deixou o piloto da Penske em terceiro. E parece que a troca de pneus da Penske não foi boa. Power também perdeu rendimento e acabou sendo ultrapassado por Kimball, e ainda enfrentou a pressão de Pagenaud.

Apesar de apresentar um ritmo melhor que Hunter-Reay, Dixon não conseguia uma boa aproximação, mas ensaiou uma reação ao tirar 0s4 na volta 85. Ainda assim, o dono do carro número 1 ficou com a vitória.
 
Indy, GP do Alabama, Final:

1 Ryan HUNTER-REAY EUA Andretti Chevrolet 1:52:04.545 90 voltas
2 Scott DIXON NZL Ganassi Honda  +0.636  
3 Helio CASTRONEVES BRA Penske Chevrolet +17.045  
4 Charlie KIMBALL EUA Ganassi Honda +20.616  
5 Will POWER AUS Penske Chevrolet +26.646  
6 Simon PAGENAUD FRA Sam Schmidt Honda +27.299  
7 Marco ANDRETTI EUA Andretti Chevrolet +27.717  
8 Justin WILSON ING Dale Coyne Honda +30.550  
9 Josef NEWGARDEN EUA Fisher Hartman Honda +41.102  
10 Tristan VAUTIER FRA Schmidt Peterson Honda +50.644  
11 Alex TAGLIANI CAN Bryan Herta Honda +58.045  
12 Ernesto VISO VEN Andretti Chevrolet +1:01.433  
13 Tony KANAAN BRA KV Chevrolet +1:01.683  
14 Takuma SATO JAP Foyt Honda +1:03.115  
15 Oriol SERVIÀ ESP DRR Chevrolet +1:03.149  
16 Sébastien BOURDAIS FRA Dragon Chevrolet +1:07.688  
17 JR HILDEBRAND EUA Panther Chevrolet +1:09.744  
18 Simona DE SILVESTRO SUI KV Chevrolet +1:09.913  
19 AJ ALLMENDINGER EUA Penske Chevrolet +1:11.055  
20 Sebastian SAAVEDRA COL Dragon Chevrolet +1:11.652  
21 Graham RAHAL EUA RLL Honda +1:14.038  
22 Ed CARPENTER EUA Carpenter Chevrolet +1 volta  
23 James JAKES ING RLL Honda +4 voltas  
24 Bia FIGUEIREDO BRA Dale Coyne Honda NC  
25 Dario FRANCHITTI ESC Ganassi Honda NC  
26 James HINCHCLIFFE CAN Andretti Chevrolet NC  

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube