Leist fala em bandeira amarela na hora errada em Austin e lamenta: “Poderia ter ficado no top-10”

Matheus Leist teve um ritmo bem decente de corrida em Austin, mas estava no grupo de pilotos que não tinham parado quando uma bandeira amarela surgiu. O gaúcho, então, caiu para 17º e perdeu a chance de buscar o primeiro top-10 na Indy

Matheus Leist teve um final de corrida complicado neste domingo (24) em Austin. Após conseguir classificar em 12º, o brasileiro conseguiu um ritmo melhor na prova e até poderia chegar ao primeiro top-10 da carreira, mas ficou na mesma estratégia de Will Power e Alexander Rossi e, assim, foi jogado para o fundo do pelotão com a bandeira amarela causada por James Hinchcliffe e Felix Rosenqvist.
 
O brasileiro começou lamentando a entrada da bandeira amarela na pior hora possível e falou dos altos e baixos que teve na corrida em relação ao ritmo da Foyt.
 
“Definitivamente, não foi a maneira que queríamos terminar a corrida no Circuito das Américas. Tivemos bom ritmo em parte da prova, em outra sofremos um pouco, mas no geral acabamos sendo prejudicados pela entrada da bandeira amarela no pior momento para nossa estratégia, que era igual a dos líderes", disse.
Matheus Leist teve um GP de Austin complicado (Foto: IndyCar)

Segundo Leist, a entrada do safety-car minou mesmo qualquer possibilidade de reação. Após o último pit-stop, ainda sob bandeira amarela, Matheus foi para o fundo do pelotão, na frente apenas dos retardatários.

 
"Poderíamos terminar no top-10, mas não havia nada que pudéssemos fazer com o safety-car. Agora vamos ver se melhoramos o carro para ser mais rápidos para a próxima corrida”, completou Leist.

Ainda em busca do primeiro top-10 na Indy, Matheus vem em 23º no campeonato com 21 pontos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar