Indy

"Mais feliz e realizado", Power coloca expectativas altas na temporada 2019 e se vê na melhor fase da carreira

Will Power está no melhor momento da vida e também na pilotagem. O australiano, inclusive, acredita que tem totais condições de ser campeão novamente
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Will Power vive a melhor fase da vida e da carreira aos 37 anos. Um dos mais veteranos do grid da Indy, o australiano não esconde de ninguém o alívio que sentiu ao vencer a Indy 500 em 2018, a força que ganhou para seguir buscando vitórias e títulos e garante que vai em busca do bicampeonato em 2019.
 
O australiano, que foi terceiro em 2018, começou dizendo que o tempo lhe fez bem tecnicamente e que a briga pelo caneco em 2019 é uma realidade.
 
"Acho que eu nunca diminuí meu ritmo, eu só fui ficando mais rápido, agora tenho um mundo de experiência nas costas. Estou guiando na melhor fase da minha vida, então não vejo o menor motivo para não brigar pelo título até o fim", disse.
Will Power está otimista para 2019 na melhor fase da carreira (Foto: IndyCar)
Para Power, 2018 mesmo foi um ano em que o bicampeonato poderia ter saído, mas diversos pequenos detalhes o afastaram da disputa, muito mais do que qualquer problema na Penske.
 
"Quando eu penso no ano passado... se eu não tivesse aquaplanado em Barber, se não tivesse tido uma quebra de motor em Road America, estaria na briga. E aí tiveram também meus erros na curva 1 em São Petersburgo e Phoenix, o problema no rádio no Texas, enfim, saímos da briga assim", seguiu.
 
Will é um dos caras que mais abertamente fala sobre o lado psicológico. Assim como em maio, antes mesmo de vencer a Indy 500, falou sobre como está mais maduro e, agora, plenamente satisfeito com o que tem.
 
"Tive muitas frustrações, a vitória na Indy 500 foi meio que uma virada, tirar um peso das costas. Cheguei em maio muito desapontado com a minha carreira mesmo, era um começo de ano tenebroso. Já estava esquecendo de tudo que conquistei, não fazia mais diferença. Mas agora estou com mais energia, mais focado. Nem digo que foi só a Indy 500, mas estou mais maduro e feliz e realizado com a minha vida em todos os aspectos", completou.