“Minha expectativa é alta e não quero gastar tempo e dinheiro”, diz Allmendinger antes de retorno à Indy

AJ Allmendinger disputará o GP do Alabama pela equipe Penske no próximo domingo (7), sua primeira corrida nos monopostos desde 2006

A reestreia de AJ Allmendinger nos monopostos está próxima. Neste fim de semana, o norte-americano disputará o GP do Alabama, em Birmingham, no terceiro carro da equipe Penske. E ele espera corresponder à confiança depositada nele por Roger Penske, que o chamou de volta e o deu uma nova oportunidade depois de demiti-lo do time da Nascar por conta de uma suspensão por doping. Allmendinger afirmou que está se cobrando demais para a prova deste domingo (7), para mostrar a todos porque teve essa chance.

Allmendinger estava na Nascar desde 2007. Nos três anos anteriores, competiu na Champ Car, sempre com bons resultados: sexto colocado em 2004, quinto em 2005 e terceiro em 2006. Nessa última temporada, conquistou suas cinco vitórias na categoria e terminou oito das 13 provas disputadas no top-5.

AJ Allmendinger treinou em Barber no início de Barber (Foto: Getty Images)

“Minha expectativa é alta e eu não quero entrar na pista para gastar o tempo de ninguém, tampouco o dinheiro do Roger. Quero chegar lá e andar na frente desde o início”, cravou Anthony James, assim batizado em homenagem ao quatro vezes vencedor das 500 Milhas de Indianápolis AJ Foyt.

Ao mesmo tempo em que demonstra essa enorme autocobrança, Allmendinger disse que está realista: não vai para o circuito de Barber pensando em vitória, apenas em se apresentar bem. “Há uma linha tênue entre ter altas expectativas e expectativas realistas. Não vou para Barber pensando que vou vencer. É o que eu quero e espero fazer. Mas se trata de acertar as voltas e melhorar ao longo do fim de semana”, falou o piloto. “Se eu sentir que estou competitivo no fim do fim de semana, não importa onde eu esteja no resultado final, e sentir que estou bem melhor do que estava no início, estarei feliz”.

Só não dá para dizer que tudo será novidade para Allmendinger porque ele já teve a oportunidade de conhecer tanto o carro da Indy quanto a pista de Barber. Nas últimas sete semanas, ele treinou três vezes: no traçado que vai reencontrar na sexta-feira, em Sebring e no oval do Texas.

“Aprendi muito em Barber, mas sei que tenho muito trabalho para fazer. Quando voltarmos para lá, não será mais sobre aprender, será sobre andar pra valer. Felizmente, os carros são rápidos, tenho ótimos companheiros em Will [Power] e Helio [Castroneves] e pelo menos conheço a pista”, disse.

Depois de Barber, Allmendinger sabe que correrá apenas na quinta etapa da temporada, nas 500 Milhas de Indianápolis. Mas ele não descarta fazer mais provas: “Disse ao Roger que amaria fazer o maior número possível de corridas”. O piloto ocupa o lugar que, até o ano passado, era de Ryan Briscoe, dispensado pela Penske.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube