Indy

Montoya dá show em relargadas e repete 2015 para vencer abertura da temporada em St. Pete. Castroneves é 4º

Juan Pablo Montoya superou Simon Pagenaud em uma relargada e Conor Daly em outra para assumir a liderança e vencer a abertura da temporada 2016 da Indy em São Petersburgo. Helio Castroneves fez uma prova correta e chegou na quarta colocação. Tony Kanaan ficou em nono

Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
A temporada 2016 da Indy começou da mesma forma que a de 2015: com Juan Pablo Montoya vencendo em São Petersburgo. Neste domingo (13), o colombiano passou Simon Pagenaud em uma relargada e Conor Daly na outra para assumir a dianteira e de lá não mais sair, controlando boa vantagem para o companheiro de Penske francês.

Na entrevista logo que saiu do carro, o colombiano contou que sua 13ª vitória na Indy veio com extrema dificuldade. Motivo? O braço de direção estava quebrado e o piloto sofreu nas voltas finais.

Ryan Hunter-Reay apareceu na antepenúltima volta para superar Helio Castroneves e furar a trinca da Penske, colocando a Andretti no pódio. O fraco rendimento dos pneus duros do brasileiro ainda quase custou a quarta colocação, mas Castroneves conseguiu segurar Mikhail Aleshin.

Takuma Sato ficou em sexto, seguido por Scott Dixon, Carlos Muñoz, Tony Kanaan e Charlie Kimball, que completou o grupo dos dez primeiros colocados mesmo sem conseguir completar a prova, já que era o último na volta do líder.
Montoya em St. Pete (Foto: Getty Images)
Confira como foi o GP de São Petersburgo:

A largada para o GP de São Petersburgo aconteceu às 13h52 (em Brasília). Os líderes mantiveram suas posições, com Marco Andretti se destacando e saltando de 14º para sétimo. Lá atrás, Takuma Sato passava reto logo na primeira curva, enquanto James Hinchcliffe parava ao contrário poucos metros mais para frente. Josef Newgarden foi outro que despencou e ajudou Tony Kanaan a ganhar terreno. No fim da primeira volta, o baiano era 16º.

O grupo dianteiro seguia intacto. Simon Pagenaud controlava boa distância para Helio Castroneves e Juan Pablo Montoya. Scott Dixon, Ryan Hunter-Reay e Graham Rahal seguiam no mesmo embalo.

Com dez voltas completadas, Pagenaud aparecia disparando na frente, com ritmo bem melhor que Castroneves e 3s de vantagem para o paulista. Montoya vinha 0s4 atrás do brasileiro e tinha 0s8 para Dixon e Hunter-Reay, que vinham juntos. Rahal, Andretti, Sébastien Bourdais, Charlie Kimball e Carlos Muñoz completavam o top-10. 
 
Kanaan, com rendimento fraco, demorou nove voltas para fazer sua parada, logo após ter sido superado pelo calouro Spencer Pigot. Mais atrás, Hinchcliffe já era o primeiro a tomar volta.

Os ataques de Montoya deram resultado na abertura da volta 11, com o colombiano saltando para segundo. No giro seguinte, Dixon também superou Castroneves, enquanto Andretti provava seu ótimo ritmo e tirava Rahal do caminho para ser sexto com uma linda ultrapassagem.

Os problemas seguiam para Castroneves. Pouco depois de ser ultrapassado por Dixon, o paulista perdeu lugar para Hunter-Reay e virou alvo de Andretti e Rahal.
 
As paradas continuavam acontecendo. Após a 15ª volta, Jack Hawksworth e Mikhail Aleshin foram trocar seus compostos. No grupo da frente, Castroneves escapava na curva e perdia o quinto posto para Andretti.

Na volta 20, Castroneves, em uma tacada só, perdia posições para Rahal, Bourdais e Kimball, o suficiente para decidir ir para os boxes, cortando perigosamente na frente do pelotão e quase sendo atingido. Newgarden fez sua parada junto.

Os líderes também faziam suas paradas e voltavam muito próximos do pelotão intermediário. Assim, Hunter-Reay saiu pouco na frente de Luca Filippi e foi acertado pelo italiano, com muitos detritos ficando na pista, ainda que ambos seguissem nos mesmos ritmos de antes do incidente.

Andretti foi o último dos ponteiros a ir para os boxes. Reposicionados, na volta 25, assim estavam: Pagenaud em primeiro, Montoya em segundo, seguido por Dixon, Hunter-Reay, Andretti, Castroneves, Rahal, Kimball, Hawksworth e Aleshin.

No fundo do pelotão, Kanaan seguia buscando ritmo e perdia a 15ª colocação para Oriol Servià.

E a primeira corrida da temporada seguia extremamente conturbada para Newgarden. Com menos de 30 voltas, o americano já tomava a terceira volta do líder, ficando muito tempo nos boxes.
 
Com os pneus duros, o ritmo de Montoya era bem melhor que o de Pagenaud, o que fazia a diferença cair drasticamente. Dixon vinha bem atrás, com os intrusos da Dale Coyne, em estratégias diferentes, Hunter-Reay, Andretti e Castroneves vindo na sequência.
 
Não era mesmo o dia de Kanaan. Na volta 34, em 20º e com problemas nos freios, o baiano já começava a sofrer pressão dos líderes Pagenaud e Montoya.

Na volta 40, Pagenaud tinha 0s9 de frente para Montoya, enquanto Dixon aparecia 4s atrás. Conor Daly, Filippi, Hunter-Reay, Andretti, Castroneves, Rahal e Kimball completavam o top-10.
 
Daly foi para a sua parada no 42º giro, voltando com os pneus vermelhos em 18º, logo atrás de Alexander Rossi.

Na volta 47, a primeira bandeira amarela da corrida. Andretti estragou sua espetacular corrida tentando forçar a barra contra Filippi, que tinha acabado de perder o quarto lugar para Hunter-Reay. O #27 bateu no italiano e rodou, sendo ultrapassado por todo pelotão e ainda perdendo volta.

Aproveitando a paralisação, praticamente todos foram para os boxes, com Pagenaud voltando pouco antes de Montoya. Na pista, entretanto, o francês era terceiro, já que Daly e Kanaan não pararam. 

Andretti e Hinchcliffe também seguiram na pista, com o objetivo de tirarem a volta de atraso para Daly e o resto do pelotão. No fim do giro, ambos foram aos boxes.

Ainda em bandeira amarela, o top-10 tinha: Daly, Kanaan, Pagenaud, Montoya, Dixon, Hunter-Reay, Castroneves, Rahal, Kimball e Muñoz.

A relargada viria no 53º giro, mas o carro de Andretti voltou a apagar e a direção de prova foi obrigada a prolongar a bandeira amarela. Pigot, que perdera sozinho um pedaço de sua asa dianteira, foi obrigado a trocá-la e caiu no pelotão.
 
Os carros relargaram na volta 57 e aí veio o caos na curva 4. Rahal foi acertado por Muñoz e atravessou na pista, causando uma batida ainda maior com Servià, Kimball, Bourdais, Hinchcliffe e Aleshin. Nova bandeira amarela e a pista lotada de detritos.
O acidente gigantesco causado por Carlos Muñoz (Foto: Reprodução)
Servià, Rahal, Kimball e Kanaan foram aos boxes, os primeiros para reparos, o brasileiro porque realmente estava na hora.

Poucos perceberam por causa do acidente, mas Montoya, na marra, tirou Pagenaud da frente, ficando atrás apenas de Daly para a relargada que se aproximava. O top-10 era formado por: Daly, Montoya, Pagenaud, Dixon, Castroneves, Hunter-Reay, Aleshin, Filippi, Pigot e Chilton.

A relargada veio na volta 64, com Montoya não tomando conhecimento de Daly e assumindo a ponta. No pelotão intermediário, ótima saída de Kanaan, que saltou para o oitavo lugar. Daly seguia segurando o ritmo de Pagenaud, Dixon e Castroneves.

Firme na briga pelo pódio, Castroneves superou Dixon na segunda volta com bandeira verde e já partiu para cima Pagenaud. Logo atrás, Hunter-Reay e Aleshin brigavam duro pelo sexto posto.

Dixon foi para os boxes na volta 71, em parada bastante demorada. Para o neozelandês, uma bandeira amarela seria fundamental para chegar ao fim da corrida sem parar novamente. Aliás, Dixon voltava em 14º, último na volta do líder Montoya.

Daly foi para os boxes em uma parada longa na volta 81. Castroneves fez sua troca no giro seguinte, assim como Kanaan. O paulista voltou com duros; o baiano, em parada eterna, de macios. Montoya e Pagenaud foram ao pit-stop na volta 83.

Montoya seguia à frente dos companheiros de Penske, mas Pagenaud conseguia cortar um pouco a distância.

Na volta 85, Dixon e Daly pararam mais uma vez com problemas. Montoya já aparecia na frente, 1s6 na frente de Pagenaud. Castroneves vinha 5s atrás, seguido por Hunter-Reay, Aleshin, Rossi, Sato, Muñoz, Kimball e Kanaan.

O ritmo do neozelandês, porém, estava ótimo. Não demorou para que Dixon passasse Kanaan e Rossi, subindo para nono.

No fim, Montoya segurou bem a distância para Pagenaud e a trinca da Penske parecia certa. Entretanto, Castroneves foi perdendo rendimento com os compostos duros e acabou superado por Hunter-Reay, chegando em quarto. Em ótima prova, Aleshin cruzou em quinto.

Indy, GP de São Petersburgo, classificação final:

1 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET 110 voltas  
2 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +2.331  
3 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +8.876  
4 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +9.324  
5 7 MIKHAIL ALESHIN RUS SCHMIDT PETERSON HONDA +9.717  
6 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +26.037  
7 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +40.706  
8 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +55.946  
9 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +59.120  
10 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +1 volta NC
11 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +1 volta  
12 98 ALEXANDER ROSSI EUA ANDRETTI HONDA +1 volta  
13 18 CONOR DALY EUA DALE COYNE HONDA +1 volta  
14 16 SPENCER PIGOT EUA RLL HONDA +1 volta  
15 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +1 volta  
16 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +1 volta  
17 8 MAX CHILTON ING GANASSI CHEVROLET +1 volta  
18 12 ORIOL SERVIÀ ESP PENSKE CHEVROLET +1 volta  
19 5 JAMES HINCHCLIFFE CAN SCHMIDT PETERSON HONDA +1 volta  
20 19 LUCA FILIPPI ITA DALE COYNE HONDA +2 voltas  
21 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET +23 voltas NC
22 21 JOSEF NEWGARDEN EUA CARPENTER CHEVROLET +63 voltas NC
 
VEJA A EDIÇÃO #19 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA STOCK CAR, F1, INDY E F-E