Indy

Montoya garante vitória com fechada sobre companheiro Power e Kanaan vai ao pódio em St. Pete

A Penske provou ser a equipe a ser batida neste ano, e viu Juan Pablo Montoya garantir a vitória da primeira etapa da temporada, seguido por Will Power. Tony Kanaan foi o terceiro colocado, com Helio Castroneves em quarto

Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
O ano de Juan Pablo Montoya começou da melhor maneira possível. Na etapa de abertura da temporada 2015, que aconteceu neste domingo (28), em São Petersburgo, o piloto conquistou a primeira vitória do ano após largar da quinta colocação do grid.

Logo atrás do piloto do carro #2, na segunda posição, veio Will Power, que liderou grande parte da prova, mas acabou perdendo a ponta do pelotão para o companheiro da Penske. Completando o pódio do dia veio o brasileiro Tony Kanaan, da Ganassi.

Seguindo o top-3, no quarto posto, cruzou a linha final Helio Castroneves, com Simon Pagenaud, também da Penske, na quinta posição. Sebastien Bourdais foi o sexto colocado, com Ryan Hunter-Reay em sétimo.

Jack Hawksworth foi o oitavo colocado na corrida, com o italiano Luca Filippi em nono, e Marco Andretti fechando o top-10 deste domingo.

Esta foi primeira vitória de Montoya em circuito de rua/misto desde 5 de setembro de 1999, quando o colombiano triunfou em Vancouver correndo pela Ganassi. No ano passado, Juan Pablo venceu as 500 Milhas de Pocono.
Juan Pablo Montoya venceu em St. Pete (Foto: IndyCar)
Confira como foi o GP de São Petersburgo:


A largada para a prova de abertura da Indy aconteceu quando os relógios marcavam 16h40 em Brasília. A se destacar a partida de Helio Castroneves, ultrapassando Simon Pagenaud, Takuma Sato passando Juan Pablo Montoya e Tony Kanaan indo para o sexto posto. Na frente, Will Power conseguia manter a ponta.
 
A partida dos pilotos parecia ter sido limpa, sem maiores incidentes, apesar de uma considerável escapada de Ryan Hunter-Reay, mas, logo depois de abrirem a segunda volta, a bandeira amarela foi acionada pela primeira vez. Muitas partes de asas jogadas no meio da reta, entre elas um considerável pedaço da asa dianteira de Jack Hawksworth que teve de ir aos boxes.
 
A relargada aconteceu na volta 6, com Montoya imediatamente recuperando o quarto posto que estava com Sato. Logo atrás, Sébastien Bourdais mergulhou bonito e passou Kanaan.
 
Na abertura do sétimo giro, Stefano Coletti foi para cima de Charlie Kimball e, em uma manobra muito agressiva, tomou o 12º posto do piloto da Ganassi. Na briga doméstica da frente, Power já abria seu primeiro segundo em relação aos demais.
 
Com o grupo da frente um pouco mais comportado, o destaque nas voltas seguintes foi para a luta no pelotão do fundo do grid. James Hinchcliffe, Luca Filippi, Hunter-Reay, Carlos Muñoz, James Jakes, Gabby Chaves e Hawksworth apareciam enfileirados. 
 
Na abertura da décima volta, Power já aparecia com 3s1 de vantagem para Castroneves. Atrás de Josef Newgarden, Marco Andretti, Scott Dixon e Graham Rahal lutavam pelo nono lugar.
 
Na 15ª volta, Jakes já estava fazendo a sua primeira parada, indo para o final do pelotão. Situação pior acontecia com Carlos Huertas, que já tomava seis voltas de atraso com a equipe inspecionando e buscando motivos para os problemas em seu carro.
 
Hunter-Reay, Hinchcliffe e Muñoz seguiram o movimento e também fizeram suas primeiras paradas antes mesmo da volta 20. Filippi parou logo em seguida.
 
Dos que estavam entre os dez melhores, Andretti foi o primeiro a parar, na volta 21. Enquanto Power, Castroneves, Montoya, Sato e Kanaan iam para os boxes, Simona de Silvestro, Muñoz e Hunter-Reay deram um jeito de se complicar. A suíça tocou o americano e foi tocada em seguida pelo colombiano. Sim, um toque-triplo de pilotos Andretti.
 
Dixon teve a vida bastante complicada durante a sua primeira parada. Com o motor desligando nos pits, a Ganassi teve muito trabalho para fazer o neozelandês voltar para a pista.
 
No 25º giro, fim de prova para Huertas. O primeiro abandono da temporada foi do colombiano da Dale Coyne, ainda apresentando problemas aparentemente na suspensão dianteira direita.
Will Power vinha ditando o ritmo da corrida (Foto: AP)
As bandeiras amarelas voltaram a ser acionadas na volta 26. Outra vez mais, vários pedaços de asa estavam no meio da pista da Flórida. Agora, boa parte delas ali estava pelo toque das Andretti.
 
Na segunda parada da prova, assim estava o top-10: Power, Castroneves, Hawksworth, Pagenaud, Montoya, Bourdais, Sato, Kanaan, Newgarden e Kimball. Na Ganassi, Dixon novamente apresentando problemas.
 
Relargada na volta 33 e uma manobra fantástica de Montoya. O colombiano partiu para cima de Pagenaud e Hawksworth e passou ambos na primeira curva. Pouco atrás, Hinchcliffe estava lento e era facilmente superado por Rahal.
 
E nova paralisação. Mais uma vez, pedaços de asa de Honda na pista. Desta vez, Andretti exagerou e acertou Hinchcliffe, deixando parte de sua asa dianteira no meio do circuito.
 
Aproveitando a terceira bandeira amarela da corrida, Andretti foi trocar a asa, enquanto Hawksworth fez uma parada normal.
 
E as asas dianteiras da Honda não paravam de quebrar. Sato, que vinha brigando pelo top-5, teve de parar com um pedaço solto.
 
A relargada veio na volta 38. Mais tranquila que as anteriores, manteve as posições como antes estavam. Montoya mostrava mais ritmo que Castroneves e já atacava pela segunda colocação.
 
Novo toque aconteceu no final da 39ª volta. O colombiano Chaves, outro de Honda, tocou com a parte esquerda da asa dianteira em Hinchcliffe e furou o pneu do canadense da Schmidt. Resultado? Ambos nos boxes.
 
A classificação no 45º giro era: Power, Castroneves, Montoya, Pagenaud, Kanaan, Kimball, Newgarden, Bourdais, Rahal e Hunter-Reay.
 
No momento em que Chaves tomava um drive-through pelo toque em Hinchcliffe, Simona viajava e acertava Jakes no final da reta, causando outra bandeira amarela. Pior para o inglês, que viu o carro parar na barreira de pneus. O carro da suíça também ficou bastante avariado, outra asa quebrada.
 
Aproveitando mais uma paralisação, todos foram para os boxes com exceção de Hawksworth e Karam, que pularam para os dois primeiros lugares.
Jack Hawksworth saltou para a ponta em estratégia diferente (Foto: IndyCar)
A relargada aconteceu no giro 54. Karam pulou para a liderança em boa manobra, mas, preocupado com Hawksworth, foi rapidamente superado por Power. E quem disse que a corrida fluiria? Na mesma volta, Kimball foi acertado por Pagenaud, teve a asa traseira danificada e, um pouco mais para frente, tocado por Rahal foi parar na barreira de pneus. O americano foi recolocado na pista e teve de fazer reparos nos boxes.
 
Power vinha na frente, seguido por Montoya, Karam, Hawksworth, Kanaan, Castroneves, Rahal, Pagenaud, Bourdais e Hunter-Reay.
 
E, como já era esperado, Simona recebeu um drive-through pela barbeiragem em cima do Jakes.
 
A relargada veio na volta 59, com Kanaan rapidamente ultrapassando o companheiro de equipe Karam. Hawsworth então danificava mais uma asa, mas agora já não tinha mais como trocar e ia perdendo um pouco de ritmo. Até a volta 60, a Honda já tinha sete asas danificadas, enquanto a Chevrolet vinha com uma.
 
Com uma parada a menos que os rivais, Karam não apresentava bom rendimento. Em sexto, o jovem americano já causava um pelotão diferente dos líderes.
 
Rahal colocou de lado para passar Karam e mais uma asa lá estava sendo danificada. O piloto da RLL, porém, não parecia perder rendimento, enquanto Karam lutava para segurar os ataques de Pagenaud. No final do 65º giro, finalmente Karam foi aos boxes.
 
Na volta 70, Power vinha na frente com Montoya em sua perseguição. Hawksworth seguia no terceiro posto, Kanaan e Castroneves fechavam o grupo dos cinco melhores. Pagenaud, Bourdais, Hunter-Reay, Coletti e Filippi vinham no top-10.
 
E a chuva de punições seguia. O da vez foi Rahal, ainda por aquele toque com Kimball. Enquanto isto, Hawksworth ia aos boxes e deixava a briga pela ponta.
 
O começo de campeonato da Dale Coyne foi nada menos que lamentável. Na 71ª volta, abandono do fraco italiano Francesco Dracone.
 
Uma nova rodada de paradas começou na volta 78. Newgarden, Kimball e Rahal foram os primeiros. Na pista, Montoya seguia em bom ritmo e apertava Power pela liderança.
 
E foi esta rodada de pits que mexeu com a classificação. Único dos três primeiros da Penske a fazer uma boa parada, Montoya contou com erros do time com Power e Castroneves e saltou para o primeiro lugar.
 
Hawksworth, em estratégia diferente, aparecia em terceiro, com Kanaan, Castroneves, Pagenaud e Bourdais na sequência.
 
Montoya seguia ditando o ritmo da corrida, abrindo cerca de 3s para Power. A briga esquentava pelo sétimo posto com Bourdais, Hunter-Reay, Coletti e Filippi dividindo curvas.
 
A cada volta que passava, a diferença entre os companheiros de Penske caía. Tendo de economizar combustível, Montoya precisava aliviar, enquanto Power seguia em ritmo fortíssimo. A dupla entrou nas 15 voltas finais separada por 0s7.
 
Com 11 voltas para o fim, Power resolveu atacar. O australiano acreditou demais, tentou ultrapassar o colombiano, mas Montoya fechou a porta na cara do companheiro e ambos perderam pedaços das asas.
 
Restando sete giros, Montoya encontrou Simona e Karam e Power cortou ainda mais a diferença. Mas uma hora Power teria de passar a dupla e quem disse que Karam abriria para o atual campeão? Montoya conseguiu estender a diferença, assim, para quase 2s.
 
Esquentava também a briga pelo terceiro lugar. Castroneves apertou o ritmo e foi para cima de Kanaan, ficando a 1s5 com três giros para o fim da prova em St. Pete.
 
Hawksworth seguia subindo. Último a parar, o inglês voltou em 15º, mas rapidamente já aparecia no oitavo posto, na frente de Filippi e Andretti.
 
Volta final e Kimball ainda teve tempo de rodar mais uma vez.
 
Lá na frente, posições mantidas, bandeira quadriculada para o #2 da Penske. Vibrou muito Montoya, grande vitória do colombiano em São Petersburgo. Power, que liderou boa parte da corrida e do final de semana, foi o segundo. Kanaan se meteu na briga das Penske e foi terceiro. Castroneves e Pagenaud ficaram em quarto e quinto.

Indy, GP de São Petersburgo, classificação final:

1 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET 110 voltas 2:16:58.107
2 1 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET +0.993  
3 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +11.169  
4 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +11.438  
5 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +12.391  
6 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET +16.492  
7 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +27.710  
8 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +34.921  
9 20 LUCA FILIPPI ITA CFH CHEVROLET +38.156  
10 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +38.691  
11 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +40.390  
12 67 JOSEF NEWGARDEN EUA CFH CHEVROLET +51.771  
13 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +52.269  
14 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +56.721  
15 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +59.661  
16 5 JAMES HINCHCLIFFE CAN SCHMIDT HONDA +1:02.456  
17 98 GABBY CHAVES COL BRYAN HERTA HONDA +1:03.066  
18 25 SIMONA DE SILVESTRO SUI ANDRETTI HONDA +1:03.142  
19 8 SAGE KARAM EUA GANASSI CHEVROLET +1 volta  
20 4 STEFANO COLETTI MCO KV CHEVROLET +1 volta  
21 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +1 volta  
22 7 JAMES JAKES ING SCHMIDT HONDA +10 voltas  
23 19 FRANCESCO DRACONE ITA DALE COYNE HONDA +40 voltas NC
24 18 CARLOS HUERTAS COL DALE COYNE HONDA +91 voltas NC