Indy
24/05/2015 19:39

Montoya protagoniza batalha épica com Power e volta a ganhar em Indianápolis 15 anos após primeira vitória

Juan Pablo Montoya venceu em grande estilo as 500 Milhas de Indianápolis. Em prova de domínio da Penske e da Ganassi, o colombiano conseguiu o segundo triunfo na tradicional corrida. Helio Castroneves teve atuação apagada e ficou em sétimo. Tony Kanaan bateu
Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
 "Momento Montoya" em Indianápolis (Foto: AP)

Emoção não faltou na 99ª edição das 500 Milhas de Indianápolis. Em corrida cheia de trocas de lideranças e um grande duelo entre Penske e Ganassi, Juan Pablo Montoya venceu de forma categórica após chegar a despencar para 28º em toque com Simona de Silvestro.

Este foi o segundo triunfo do colombiano na principal prova da categoria. 15 anos atrás, Montoya havia vencido com as cores da Ganassi. Desta forma, o veterano se tornou o primeiro a ganhar as 500 Milhas pelas duas gigantes da Indy.

"Foi incrível. A Indy é assim, você sempre precisa estar no limite. O carro estava bom e foi tudo apertado até o fim. Simplesmente incrível”, declarou o vencedor. “A luta no final foi muito dura. Eu ainda estou esperando descobrir as palavras certas para descrever isso. Foi algo grandioso. Os caras da Penske fizeram um ótimo carro. Eu sabia que tinha um ótimo carro. Meu Deus, isso é demais. Eu não sei nem o que dizer, isso é demais”, completou.

Will Power teve, provavelmente, sua melhor apresentação nas 500 Milhas e, após ótima batalha com Montoya e Scott Dixon, chegou em segundo. Charlie Kimball foi outro grande nome da prova. Sempre entre os primeiros, o americano foi esperto e ainda espetou Dixon para ser o terceiro. O neozelandês, que liderou a maioria das voltas da prova, foi quarto.

Graham Rahal foi o melhor do resto e colocou a RLL em quinto. Marco Andretti manteve a tradição de boas performances em Indy e foi sexto. JR Hildebrand foi o oitavo, Josef Newgarden chegou em nono e Simon Pagenaud foi décimo.


Confira como foi a Indy 500 deste domingo

Os pilotos partiram para a primeira volta de apresentação quando os relógios marcavam 13h24 em Brasília. Logo de cara, Alex Tagliani já ficou parado, sequer conseguindo partir. Após algumas tentativas, o canadense da Foyt seguiu o grupo na segunda volta de apresentação.
 
Os problemas seguiam aparecendo antes mesmo da largada. O #43 de Conor Daly passou cheio de fumaça e o bólido azul teve de encostar abandonando. 
 
A largada veio às 13h29, e com ela, os primeiros incidentes. Takuma Sato encostou no muro e tocou Sage Karam. Após o enrosco, abandono imediato do jovem americano e o japonês nos boxes. Um pouco mais atrás, James Davison relou em Ryan Briscoe, e o australiano que substitui James Hinchcliffe rodou.
 
Lá na frente, destaque para Justin Wilson. O inglês fez excelente largada e superou os dois brasileiros, subindo para a quarta colocação.
 
Ainda sob amarelas, Juan Pablo Montoya e Simona de Silvestro se acharam na pista e ambos tiveram de ir para os boxes para repararem seus carros. Mas teve um problema: os pits estavam fechados e a dupla precisou passar batido para, apenas na volta seguinte, realizarem suas paradas. Por sorte, nenhum dos dois perdeu volta.
 
Depois de duas refugadas, a relargada veio na volta 13. Kanaan conseguiu superar Wilson e foi para quarto. Alguns metros depois, Simon Pagenaud manteve a pressão e passou Will Power. Tony aproveitou e também tirou o australiano do caminho.
 
A prova de recuperação de Montoya e Simona já começava cedo. Três giros depois da relargada, o colombiano vinha em 25º e a suíça, em 28º.
 
O começo da Ganassi era bem promissor. Dixon abria um pouco na ponta, com Kanaan superando Pagenaud para ser o segundo.
 
A primeira troca de liderança veio na volta 19, com Kanaan passando Dixon. A resposta aconteceu na 21, com o neozelandês retomando a dianteira.
 
Briscoe, Montoya e Simona vinham se destacando no pelotão do fundo. Três que foram para o fim do pelotão, eram 21º, 24º e 26º, respectivamente, após 23 voltas.
 
As Ganassi seguiam trocando liderança, com Pagenaud cercando de perto. Power vinha mais de 1s atrás e tinha a mesma distância para Wilson e Castroneves que brigavam pelo quinto lugar.
 
Passadas as primeiras 30 voltas, 30 eram os pilotos no mesmo giro. Sato tinha dois de atraso, e Karam e Daly já haviam abandonado. O top-10 tinha, nquele momento, Dixon, Kanaan, Pagenaud, Power, Castroneves, Wilson, Marco Andretti, Carlos Muñoz, Josef Newgarden e JR Hildebrand.
 
Dixon então abriu a janela de paradas na volta 35. Kanaan não tardou e entrou no giro seguinte. Na 37, foi a vez de Pagenaud e Castroneves. Por fim, Power parou na 38.
Dixon faz sua primeira parada. O neozelandês vinha com grande performance (Foto: AP)
Após a primeira rodada de paradas, Dixon, Pagenaud, Kanaan, Castroneves, Power, Wilson, Hildebrand, Andretti, Charlie Kimball e Newgarden formavam o grupo dos dez primeiros. Montoya já era 17º. 
 
Dixon fechava o primeiro quarto de prova na liderança. Kimball vinha crescendo bastante atrás e já aparecia em sexto. Os líderes então encontraram um grande grupo de retardatários. Com Tristan Vautier nada disposto a deixar os líderes passarem, Dixon escapou e Kanaan e Pagenaud ficaram se digladiando pelo segundo posto.
 
Wilson já abria a segunda janela de paradas na volta 61. Ryan Hunter-Reay também parava no mesmo giro.
 
A bandeira amarela voltou na volta 64, com Clauson perdendo o controle e acertando o muro, deixando a disputa. Como resultado, todos nos boxes.
 
A relargada veio na 70ª volta com Pagenaud puxando a fila. Dixon, Kanaan, Power, Castroneves, Kimball, Andretti, Montoya, Graham Rahal e Newgarden também vinham no top-10.
 
Kanaan tornou a assumir a liderança na volta 73. Enquanto isso, Montoya seguia muito rápido e já encostava em Castroneves para ser sexto. 
 
A dupla da Ganassi e a dupla da Penske trocavam frequentemente de posição entre os quatro primeiros lugares. Kimball, Castroneves e Montoya apareciam logo atrás em um top-7 todo dominado pelos dois principais times.
A disputa pela vitória ficou entre Montoya e seu companheiro de Penske, Will Power (Foto: AP)
Graham Rahal puxava o segundo pelotão já 8s atrás do líder. Com ele vinham as Andretti de Marco e Muñoz e as CFH de Ed Carpenter, Hildebrand e Newgarden.
 
Bourdais e Hunter-Reay puxaram nova rodada de paradas na volta 97. Kanaan entrou no giro seguinte, deixando a liderança para Pagenaud.
 
Reposicionados após as paradas e já com metade da prova concluída, Pagenaud era líder. Kanaan vinha em segundo com um incrível Montoya em terceiro. Power era quarto e Dixon, o quinto.
 
Na volta 112, a bandeira amarela voltou a tremular e os pilotos novamente foram aos boxes. Desta vez, Oriol Servià foi otimista demais, forçou por onde não dava e levou Carpenter junto para o muro. Fim de prova para ambos.
 
E um novo incidente aconteceu nos boxes. Incrivelmente, todos os carros da Dale Coyne se envolveram em um enrosco que acabou com um atropelamento de mecânicos de Vautier. Um deles teve de ser retirado de ambulância, aparentemente com uma perna quebrada.
 

A relargada veio no 123º giro. Apagado no começo da corrida, Power já surgia assumindo a liderança. Pagenaud, Dixon, Montoya, Kanaan, Kimball, Rahal, Castroneves, Muñoz e Andretti fechavam o top-10. 14º, Chaves vencia a disputa com Coletti – 19º colocado – para ser o melhor novato até o momento.
 
As trocas de liderança seguiam acontecendo com 70 voltas para o fim. Dixon, Kanaan, Pagenaud, Power e Montoya se revezavam. 24 pilotos apareciam na mesma volta.
 
Com os sete primeiros colocados sendo de Penske e Ganassi, a briga no restante esquentava. Com 140 voltas, Muñoz passava Rahal e tomava o oitavo lugar.
 
Quem aparecia com relevância pela primeira vez no dia era Townsend Bell. Com menos de 60 giros para o fim, o americano era décimo.
 
Hunter-Reay apareceu para abrir a penúltima janela de paradas na volta 148. Dixon foi o primeiro dos líderes, indo para os boxes na 149. 
 
E foi a vez de Kanaan dar adeus à prova. O brasileiro perdeu o controle do carro, escapou de traseira e bateu no muro. Em sua corrida 300, Kanaan deixou o bólido claramente abatido, mas, mesmo assim, saudou o público que o aplaudia. 


A rodada de paradas mexeu bastante com as posições no grupo da frente. Kimball surgiu na liderança, com Pagenaud, Dixon, Montoya, Power, Castroneves, Andretti, Hildebrand, Rahal e Bell no top-10.
 
Na volta 160, nova relargada e um grande trabalho de Kimball para segurar a ponta. Quem não saiu bem foi Castroneves, que despencou para nono. 
 
Pagenaud bem que tentou, mas quem tirou o #83 da liderança foi Dixon. Logo depois, Montoya assumiu a segunda colocação.
 
Kimball foi perdendo rendimento e já era sexto na volta 167. Andretti era quem conseguia se meter na briga entre Penske e Ganassi, sendo o quinto.
 
Por causa de alguns pedaços de asa na pista, a direção de prova acionou novamente a bandeira amarela. Com 30 voltas para o fim, os pilotos foram para as paradas finais.

E foi Dixon quem mais perdeu nos boxes. O neozelandês caiu da liderança para o quinto lugar, enquanto Castroneves foi o grande vencedor e assumiu o sétimo posto. Contudo, na frente apareciam as Andretti de Muñoz e Wilson, dois pilotos em estratégias de tudo ou nada em relação ao consumo de combustível.
 
Com 28 voltas para o fim, Wilson relargou passando o companheiro colombiano, mas logo ambos foram engolidos por Penske e Ganassi. Power, Montoya, Dixon, Pagenaud e Castroneves puxavam o pelotão.
 
A maior pancada do dia ainda estava por vir. Jack Hawksworth escorregou, tocou Sebastián Saavedra e foi, junto do colombiano, com força no muro. Coletti acertou o #17 do sul-americano e também bateu forte.
 
Quem se deu pior foi Saavedra. Com muitas dores e chorando, o colombiano foi retirado com muito esforço dos fiscais de seu carro e saiu carregado.

Pouco antes da batida, Pagenaud perdeu muito rendimento por um enrosco com Castroneves e despencou para 21º. O francês teve de parar mais uma vez para trocar o bico e aproveitou para colocar compostos novos.
 
O brasileiro tomou uma advertência da direção de prova por bloquear o companheiro de equipe.
 
A prova recomeçou com 15 voltas para o final. Power disparou na frente e largou Dixon para uma briga com Montora e Muñoz. Contudo, o colombiano da Andretti foi ficando e perdeu a posição para Kimball.
 
Dixon se livrou de Montoya e, de quebra, ainda passou Power para ser o novo líder. A resposta do australiano veio na volta seguinte.
 
A briga entre os três primeiros estava simplesmente sensacional. Power, Montoya e Dixon trocaram de liderança por inúmeras vezes e Kimball, escoltando o trio, acabou aparecendo no fim ainda para se intrometer.

Dixon perdeu um pouco de rendimento e, nos três giros decisivos, a parada estava entre os companheiros de Penske.
 
No fim, vitória incrível de Montoya. Power, que tanto pressionou o companheiro, chegou em segundo tomando sufoco de Kimball. Dixon foi o quarto e Rahal beliscou um grande quinto lugar.
INDY 500 030
Indy, 500 Milhas de Indianápolis, classificação final:

1 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET 3:05:05.528 200 voltas
2 1 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET +0.105  
3 83 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +0.795  
4 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +1.029  
5 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +2.312  
6 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +2.539  
7 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +2.782  
8 6 JR HILDEBRAND EUA CFH CHEVROLET +3.563  
9 21 JOSEF NEWGARDEN EUA CFH CHEVROLET +4.028  
10 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +4.215  
11 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET +5.307  
12 5 RYAN BRISCOE AUS SCHMIDT PETERSON HONDA +5.669  
13 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +6.168  
14 24 TOWNSEND BELL EUA DRR KINGDOM CHEVROLET +8.501  
15 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +9.648  
16 98 GABBY CHAVES COL BRYAN HERTA HONDA +10.102  
17 48 ALEX TAGLIANI CAN FOYT HONDA +11.215  
18 7 JAMES JAKES ING SCHMIDT PETERSON HONDA +12.043  
19 29 SIMONA DE SILVESTRO SUI ANDRETTI HONDA +12.733  
20 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +39.835  
21 25 JUSTIN WILSON ING ANDRETTI HONDA +1 volta  
22 63 PIPPA MANN ING DALE COYNE HONDA +3 voltas  
23 17 SEBASTIÁN SAAVEDRA COL GANASSI CHEVROLET +25 voltas NC
24 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +25 voltas NC
25 4 STEFANO COLETTI MCO KV CHEVROLET +25 voltas NC
26 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +49 voltas NC
27 19 JAMES DAVISON AUS DALE COYNE HONDA +84 voltas NC
28 18 TRISTAN VAUTIER FRA DALE COYNE HONDA +84 voltas NC
29 32 ORIOL SERVIÀ ESP RLL HONDA +88 voltas NC
30 20 ED CARPENTER EUA CFH CHEVROLET +88 voltas NC
31 88 BRYAN CLAUSON EUA JONATHAN BYRD CHEVROLET +139 voltas NC
32 8 SAGE KARAM EUA GANASSI CHEVROLET +200 voltas NC
33 43 CONOR DALY EUA SCHMIDT PETERSON HONDA +200 voltas NC