Na Garagem: Da Matta colide com cervo durante teste em Elkhart Lake

15 anos atrás, Cristiano da Matta sofreu o acidente mais grave da carreira ao colidir com um cervo durante teste da ChampCar em Elkhart Lake. Piloto ficou 48 dias internado

Os melhores momentos do GP da Hungria (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Há exatos 15 anos, o mineiro Cristiano da Matta sofreu o acidente mais grave de sua carreira no esporte a motor. O piloto brasileiro colidiu o carro da equipe RuSPORT com um cervo durante um teste no circuito de Road America, em Elkhart Lake, nos Estados Unidos.

Campeão da CART em 2002, Cristiano foi credenciado a uma passagem pela Fórmula 1 com a Toyota entre 2003 e 2004. Apesar de alguns pontos altos, como a liderança no GP da Inglaterra, teve problemas com o engenheiro Mike Gascoyne, e claramente insatisfeito com a equipe, foi liberado antes do fim do campeonato.

A partir de 2005, Da Matta retornou aos Estados Unidos para competir na ChampCar, pela equipe PKV Racing, na qual teve temporada mediana, mas com uma vitória em Portland. Para 2006, assinou com a Dale Coyne, mas se transferiu no meio da temporada para assumir o posto de A.J. Allmendinger na RuSPORT, onde subiu ao pódio no GP de San Jose.

Cristiano da Matta nos tempos de F1, pela Toyota (Foto: Getty Images)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Confusão já na largada! Tudo sobre o GP da Hungria

No dia 3 de agosto daquele ano, Cristiano testava o carro da RuSPORT quando se chocou com um cervo na curva 5 de Road America, a aproximadamente 210 km/h. Após atingir o animal com a roda dianteira direita, o viu voar em sua direção, praticamente o nocauteando. Foi resgatado inconsciente pelos médicos e com o pé ainda no acelerador.

Levado de helicóptero a um hospital na cidade de Neenah, onde ficou em coma induzido e foi submetido a uma cirurgia para remover um coágulo do cérebro, precisando até retirar um pedaço do crânio para conter a pressão. Dias depois, o estado do piloto foi evoluindo e ele foi recuperando a consciência, deixando a UTI 17 dias após a batida.

No dia 21 de setembro, recebeu alta do hospital após uma recuperação melhor que a esperada, e uma semana depois retornou ao circuito onde sofreu a batida mais grave da carreira, para dar o comando aos companheiros de pista para “ligarem seus motores”.

Da Matta já tinha ido ao pódio com a RuSPORT (Foto: Getty Images)

Seu retorno oficial às pistas aconteceu dois anos depois, em 2008, junto de Jimmy Vasser em etapa do Grand-Am SportsCar em Laguna Seca. Também passou por Fórmula Truck e American Le Mans Series até se aposentar das pistas.

OCON VENCE, ALONSO E VETTEL BRILHAM E HAMILTON VIRA LÍDER NA F1 2021 | Paddock GP #250

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar