Indy

Pagenaud revela pressão antes de Indy 500, mas diz que agora está “livre para voar”

Simon Pagenaud admitiu que tirou um grande peso das costas na atuação que considera impecável para vencer a Indy 500. O francês, agora, se vê mais livre das amarras de pensar em resultados

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Simon Pagenaud teve uma semana bem movimentada. Dias atrás, teve o rosto estampado no troféu da Indy 500 e, nesta quarta-feira (7), teve a renovação com a Penske confirmada pelo jornal 'IndyStar', algo que deve ser anunciado nos próximos dias. Aos 35 anos, o francês garante que está livre da pressão após triunfar na maior prova do mundo pela primeira vez.
 
De acordo com o veterano, a vitória na Indy 500 abriu a mente, permitindo pensar muito mais nas performances que nos resultados.
 
"Virou um período agradável para mim nas pistas. Ganhei uma carga extra de confiança para seguir em frente, uma energia positiva ao saber que agora posso voar livre. Fiz o que eu queria tanto fazer, agora é hora de focar em mim e não nos resultados. Foi muito, muito legal", disse ao site norte-americano 'Motorsport.com'.
Simon Pagenaud viveu o auge na Indy 500 (Foto: Indycar)
O francês explicou que passou todos os dias do evento pressionado por saber que tinha em mãos o melhor dos equipamentos e ter noção de que ninguém estava tão preparado quanto ele para triunfar.
 
"Senti bastante pressão o mês todo. Sentia que eu tinha o carro, que eu tinha a melhor chance e que estava mais preparado do que nunca. Parecia que tudo estava vindo na minha direção. Na corrida, quando precisei poupar combustível, fiquei atrás do Josef e aí veio a amarela que tirou minha preocupação com isso, ficou só uma questão de planejar meus ataques. Não tive dúvidas, estava mais concentrado do que nunca", seguiu. 
 
De acordo com Pagenaud, a Indy 500 foi sua melhor atuação, não tinha o que mexer, algo que não é muito comum na visão perfeccionista.
 
"Foi um dia muito especial na minha carreira por muitos motivos, mas principalmente pela performance pessoal. O resultado interfere, mas o nível em que estivesse é o que mais conta para mim. Como piloto, é muito difícil ficar plenamente satisfeito com algo, mas me senti assim na Indy 500. Foi minha melhor corrida, seria muito ruim perder", completou.
 
Ainda que diga que não pensa mais nos resultados, Pagenaud segue com chances de título e vem em terceiro, 47 pontos atrás de Newgarden.
 
Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.