Pagenaud se anima com kits universais e espera Indy 500 “mais corrida e menos jogo de xadrez” em 2018

Simon Pagenaud espera uma Indy 500 bem diferente das últimas em 2018. Para o francês, a principal prova do calendário precisa de novas características e os novos kits universais devem ajudar

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Simon Pagenaud espera que a edição 2018 das 500 Milhas de Indianápolis seja bem diferente das últimas. Para o francês, a principal prova do calendário da Indy precisa de mudanças em seu estilo. Segundo Pagenaud, é necessário que a Indy 500 seja mais corrida e menos "jogo de xadrez", com os pilotos e os carros realmente fazendo a diferença o tempo todo.

 
E o campeão da temporada 2016 acha que a categoria encontrou esse caminho com os novos kits aerodinâmicos universais.
 
"Ainda não testei nada, mas tenho a impressão de que vai depender mais do talento de cada piloto, então estou feliz. Se você faz um bom trabalho e se tem um carro bom, você quer poder tirar tudo disso e conseguir um grande resultado", disse.
Simon Pagenaud não quer que a Indy 500 seja um jogo de xadrez (Foto: IndyCar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Pagenaud reclamou da falta de variação que as últimas edições da Indy 500 tiveram. Para o francês, não é legal o pelotão andar junto basicamente o tempo inteiro, independentemente da qualidade de pilotos e carros.

 
"Pessoalmente, torço para que dependa menos do vácuo, que o downforce possa ser definido em cada carro. Afinal, nos últimos tempos, não importava o quão rápido era seu carro, você simplesmente não conseguia descolar do pelotão", seguiu.
 
O piloto da Penske espera, em 2018, mais margem para ataques e quer que a prova beneficie menos aqueles que apenas ficam perto do primeiro grupo durante a maior parte das voltas.
 
"Nos últimos anos era uma coisa mais de defesa e proteção do que de ataque, o que eu acho uma grande pena. Você basicamente precisava ficar se posicionando perto dos primeiros lugares, cercando ele, para ter alguma chance no final. Era muito mais um jogo de xadrez do que de pilotagem, na minha opinião", afirmou.
 
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube