Fittipaldi muda foco para Indy 500 e aponta problema da RLL: “Ritmo no ar sujo”

Pietro Fittipaldi destacou potencial para terminar etapa no misto de Indianápolis no top-10. Agora, brasileiro espera alterações no carro para melhorar ritmo de prova no oval

Pietro Fittipaldi encerrou o GP de Indianápolis, realizado no último sábado (11), na 14ª colocação — melhor resultado do brasileiro em corridas válidas pelo campeonato. O piloto da RLL, que esteve entre os dez primeiros no início da prova e chegou a liderar algumas voltas durante as paradas nos boxes, já mudou o foco e pede algumas mudanças no acerto para as 500 Milhas de Indianápolis, principal evento da Indy, que está marcado para o dia 26 de maio.

Fittipaldi destacou que o carro da RLL apresentou potencial para terminar no top-10 no traçado misto do Indianapolis Motor Speedway e a tentativa de chegar entre os dez primeiros foi atrapalhada na última relargada da corrida, com 17 voltas para o final. No entanto, o episódio é página virada: o brasileiro olha para a Indy 500, que inicia os treinos livres nesta terça-feira (14).

Visando a principal prova da categoria, Fittipaldi identificou um fator que a RLL vai precisar trabalhar ao longo da semana, pois o #30 não desempenhou bem no tráfego. Apesar de kit aerodinâmicos diferentes entre o misto e oval, este não deve ser um problema para a classificação — a formação do grid de largada será definida no sábado (18) e domingo (19) —, já que as tentativas são feitas com pista livre. No entanto, para a corrida, ter desempenho com ar sujo é fundamental para encontrar um bom posicionamento para as voltas finais ou mesmo manter o carro na pista.

“Fizemos uma corrida sólida e com bom ritmo. A última relargada não foi limpa e sofremos um pouco. Tentei passar o Pato O’Ward e daí o Kyle Kirkwood colocou por dentro, e espalhamos para fora da zebra. O [Romain] Grosjean me passou na mesma hora e perdi algumas posições. Em todo caso, fico feliz em saber que a gente tinha potencial para um top-10 nesta etapa”, declarou.

Pietro Fittipaldi durante GP de Indianápolis deste sábado (11) (Foto: IndyCar)

“Nosso ritmo no ar limpo era muito bom, o problema era com o ar sujo, andando no tráfego. Vamos trabalhar isso no acerto e com foco total nas 500 Milhas de Indianápolis”, finalizou.

A RLL quer apagar a atuação vexaminosa apresentada em 2023 na Indy 500. Com quatro carros inscritos na prova, apenas Katherine Legge se classificou sem precisar ir ao Bump Day. Christian Lundgaard e Jack Harvey se salvaram na última chance, mas Graham Rahal acabou eliminado — no entanto, com a lesão de Stefan Wilson após acidente no treino livre da segunda-feira pós-classificação, o piloto o substituiu na Dreyer & Reinbold.

Indy retorna nesta terça-feira (14) com o início dos treinos livres para as 500 Milhas de Indianápolis. Entre sábado (18) e domingo (19), acontecerá a classificação da corrida mais importante do calendário, que acontece no próximo dia 26, com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente: Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Indy direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.