Power supera Pagenaud em relargada no fim e desencanta na temporada com vitória na corrida 2 em Detroit

Acabou a seca de vitórias de Will Power. Com boa pilotagem e agressividade para superar o companheiro de Penske Simon Pagenaud na última relargada, o australiano triunfou na corrida 2 em Detroit. Tony Kanaan foi sétimo e Helio Castroneves terminou em 14º

Will Power finalmente venceu na temporada 2016 da Indy. O campeão da temporada 2014 fez uma prova bastante competente em Detroit e, com ultrapassagem decisiva na última relargada em cima de Simon Pagenaud, desencantou no ano.

Para Simon Pagenaud, tudo lindo. O francês novamente não aproveitou a pole-position, mas isso nem de perto foi um grande problema. Superado apenas pelo companheiro australiano que faz péssima temporada, Pagenaud segue abrindo na classificação do campeonato.

Ryan Hunter-Reay fez mais uma ótima prova e foi o melhor da Honda na corrida 2 em Detroit. Pressionando Pagenaud até o fim, o americano do #28 completou o pódio. Boa jornada também para Josef Newgarden. Um dos ponteiros do campeonato, o jovem da Carpenter foi o quarto.

Scott Dixon ficou na quinta colocação, novamente sendo o melhor da Ganassi e não tomando prejuízo imenso de Pagenaud. Inspiradíssimo no fim de semana, Conor Daly cruzou a linha final em sexto. Tony Kanaan fechou na sétima posição.

O oitavo colocado foi Sébastien Bourdais, seguido por Marco Andretti e Takuma Sato, que fecharam o grupo dos dez primeiros colocados. Helio Castroneves viu sua corrida ruir por uma bandeira amarela pouco antes de sua última parada nos boxes e cruzou em 14º.

Will Power venceu a corrida 2 em Detroit (Foto: IndyCar)

Confira como foi a corrida 2 em Detroit:

A largada para a corrida 2 em Detroit aconteceu às 16h49 (em Brasília) e o primeiro incidente já ocorreu logo na primeira curva. Charlie Kimball jogou Carlos Muñoz para o lado e o colombiano empurrou James Hinchcliffe no muro, enquanto Max Chilton e Takuma Sato se envolveram em toque com Alexander Rossi

 
Para piorar e aumentar a quantidade de detritos na pista, Sato tentou voltar e acertou em cheio Marco Andretti, que ficou com o carro bastante avariado. Com bandeira amarela, Spencer Pigot, Gabby Chaves, Graham Rahal e Sato foram aos boxes.
 
Lá na frente, o top-10 estava assim composto: Simon Pagenaud, Ryan Hunter-Reay, Tony Kanaan, Helio Castroneves, Mikhail Aleshin, Scott Dixon, Will Power, Juan Pablo Montoya, Sébastien Bourdais e Jack Hawksworth.

A relargada aconteceu na volta 5, dessa vez bem mais comportada e sem muita ação dos pilotos. As únicas trocas de posição no grupo da frente foram de Bourdais em cima de Montoya e de Muñoz contra Hawksworth. O britânico vinha bem lento e logo foi aos boxes.

Pagenaud vinha mantendo diferença constante de 1s2 para Hunter-Reay na volta 10. Kanaan aparecia 3s atrás, com 1s1 de frente para o compatriota Castroneves. Atacado por Dixon, Aleshin completava o grupo dos cinco primeiros com 5s7 de desvantagem para Pagenaud.

Rahal e Bourdais iam aos boxes para pit-stops e, lá na frente, Montoya mergulhava para passar o companheiro de time Power com muito estilo, assumindo o sétimo posto, logo atrás de Dixon.

Helio Castroneves deu azar com bandeiras amarelas em Detroit (Foto: IndyCar)

Lento, Aleshin foi facilmente superado por Dixon e Montoya e rapidamente foi para os boxes. Muñoz deixava o top-10 para também fazer a sua primeira parada.

Kimball executava uma senhora ultrapassagem em cima de Newgarden enquanto Kanaan ia aos boxes pela primeira vez. O brasileiro retornava em 12º.

Montoya e Dixon estavam tão próximos, mas tão próximos que chegaram a se tocar. O colombiano subiu na zebra, tentou mergulhar e acabou acertando o neozelandês. Ambos imediatamente tiveram de ir aos boxes. Pagenaud e Hunter-Reay foram também logo depois.

Reposicionados, Kanaan surgiu na segunda colocação, próximo de Pagenaud. Novamente aparecendo do nada, Bourdais já era terceiro, seguido por Castroneves, Hunter-Reay, Muñoz, Power, Kimball, Aleshin e Montoya.

O ritmo de Kanaan era excelente e o baiano não demorou até alcançar Pagenaud e esquentar de vez a briga pela dianteira. Com a corrida na metade, a dupla tinha 3s2 de frente para Castroneves.

Com o carro todo esquisito, Montoya foi direto no muro e lá foi se arrastando, até parar atravessado no meio da pista. Mais uma bandeira amarela. Kanaan puxou a fila nos boxes.

A relargada aconteceu na volta 40, com Castroneves pressionando e quase passando Pagenaud. Hunter-Reay, Power e Newgarden também apareciam no top-5, enquanto Kanaan era o 17º.

Tony Kanaan foi sétimo na corrida 2 em Detroit (Foto: IndyCar)

Castroneves seguiu insistindo e executou uma linda manobra na volta 41, driblando Pagenaud e mergulhando por dentro, tomando a ponta.

Enquanto Kimball aparecia como um dos grandes destaques da corrida enfileirando ultrapassagens e subindo para oitavo, Pigot dava fim à sua boa exibição, ficando parado nos boxes.

Castroneves começava a abrir pequena margem na frente, enquanto o outro brasileiro do grid, Kanaan, em outra estratégia, sofria para tentar deixar Chaves para trás.

A rodada de paradas começava com Daly e Hawksworth e chegava até os ponteiros, com Newgarden indo aos boxes. O americano da Carpenter retornou em 14º, 11s8 atrás de Kanaan.

No momento em que Hunter-Reay, Pagenaud e Kanaan passaram pelos boxes, Hawksworth apareceu parado no meio da pista e, com 20 giros para o fim, a bandeira amarela voltava a ser acionada.

Castroneves foi para os boxes na bandeira amarela. Dentre os que ficaram na pista, assim ficou a ordem: Bourdais, Kimball, Rahal, Rossi, Pagenaud, Power, Hunter-Reay, Dixon, Newgarden e Daly. Kanaan era 12º e Castroneves vinha em 15º.

A relargada aconteceu na volta 53, com Power partindo com tudo para cima e deixando Pagenaud para trás. Bourdais, Kimball, Rahal, Rossi e Power era o top-5.

Os líderes seguiam na mesma tocada, enquanto Newgarden apertava o ritmo para virar oitavo colocado. Kanaan vinha em 11º e colava em Daly. O ponteiro Bourdais parava na volta 60, promovendo Rahal para o primeiro lugar.

Como Kimball, Rahal e Rossi seguiam a mesma tática, o novo top-10 tinha: Power, Pagenaud, Hunter-Reay, Newgarden, Dixon, Daly, Kanaan, Bourdais, Andretti e Sato.

Dali para frente, nada aconteceu no grupo dos ponteiros e Power finalmente tirou a zica em 2016, vencendo a corrida 2 de Detroit. Pagenaud, cada vez mais líder do campeonato, foi segundo.

Indy, GP de Detroit, Corrida 2, Classificação Final:

1 12 WILL POWER AUS PENSKE CHEVROLET 70 voltas  
2 22 SIMON PAGENAUD FRA PENSKE CHEVROLET +0.920  
3 28 RYAN HUNTER-REAY EUA ANDRETTI HONDA +1.471  
4 21 JOSEF NEWGARDEN EUA CARPENTER CHEVROLET +2.460  
5 9 SCOTT DIXON NZL GANASSI CHEVROLET +3.158  
6 18 CONOR DALY EUA DALE COYNE HONDA +7.126  
7 10 TONY KANAAN BRA GANASSI CHEVROLET +11.301  
8 11 SÉBASTIEN BOURDAIS FRA KV CHEVROLET +12.936  
9 27 MARCO ANDRETTI EUA ANDRETTI HONDA +26.420  
10 14 TAKUMA SATO JAP FOYT HONDA +27.711  
11 15 GRAHAM RAHAL EUA RLL HONDA +28.041  
12 98 ALEXANDER ROSSI EUA ANDRETTI HONDA +28.551  
13 19 GABBY CHAVES COL DALE COYNE HONDA +29.253  
14 3 HELIO CASTRONEVES BRA PENSKE CHEVROLET +29.663  
15 26 CARLOS MUÑOZ COL ANDRETTI HONDA +30.488  
16 42 CHARLIE KIMBALL EUA GANASSI CHEVROLET +30.692  
17 7 MIKHAIL ALESHIN RUS SCHMIDT PETERSON HONDA +1:10.523  
18 16 SPENCER PIGOT EUA CARPENTER CHEVROLET +3 voltas  
19 41 JACK HAWKSWORTH ING FOYT HONDA +18 voltas NC
20 2 JUAN PABLO MONTOYA COL PENSKE CHEVROLET +37 voltas NC
21 5 JAMES HINCHCLIFFE CAN SCHMIDT PETERSON HONDA +70 voltas NC
22 8 MAX CHILTON ING GANASSI CHEVROLET +70 voltas NC
 
PADDOCK GP #31 DEBATE F1, INDY E NASCAR

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;

google_ad_slot = “8352893793”;

google_ad_width = 300;

google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth

document.MAX_ct0 = '';

var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');

var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);

document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube