Indy

Primeiro vencedor japonês da Indy, Sato atribui mérito da vitória à equipe: “Simplesmente fantástico”

Após escrever seu nome na história da categoria, piloto da Foyt disse que time fez “super trabalho” e se mostrou feliz por poder levar boas notícias ao povo de seu país, que enfrenta as consequências de um terremoto em Hokkaido, sul da ilha
Warm Up / Redação GP, de Guarulhos
 (Foto: Getty Images)
A vez de Takuma Sato, enfim, chegou. E ao melhor estilo do japonês: com arrojo, partindo para o ataque e dando tudo de si nas ultrapassagens.
 
Largando na quarta posição no GP de Long Beach, disputado neste domingo (21), o piloto da Foyt  que ganhou o terceiro lugar após brilhante largada , imprimiu um ritmo de corrida muito forte desde as primeiras voltas, e não teve dificuldades para se aproximar de Ryan Hunter-Reay e superá-lo, alcançando assim o segundo posto.
O grande momento de Sato (Foto: Chris Jones/IndyCar)
As imagens do domingo da Indy em Long Beach
A classificação do campeonato da Indy
Vettel passeia e vence fácil GP do Bahrein de F1

O grande golpe de sorte veio na primeira rodada de pit-stops: então líder da prova, Dario Franchitti teve problemas na troca dos pneus e perdeu tempo nos boxes. Segundos preciosos para Sato, que assumiu a liderança para não mais perdê-la.
 
O resultado por si só já é histórico: além de ser a primeira vitória do simpático nipônico, é, também, a primeira vitória de um japonês em toda a história da Indy.
 
Impactado, o piloto não poupou elogios à equipe: "Foi simplesmente um fim de semana perfeito, para ser honesto", celebrou. "A equipe fez um tremendo trabalho. A potência [do carro] estava ótima, eu estive confortável para tirar o máximo".
 
"Foi um super trabalho. Tivemos problemas com os pit-stops nas últimas duas corridas, mas hoje foi simplesmente fantástico. Toda a equipe fez um trabalho incrível."
 
Sato também reconheceu a importância de seu feito para o povo de seu país. Ídolo em sua terra natal, o vencedor da etapa de Long Beach ficou se mostrou feliz por poder levar notícias positivas aos seus compatriotas, que ainda enfrentam as consequências de um terremoto de magnitude de 7,2 graus na ilha de Hokkaido, ao sul da ilha oriental. 
 
"É uma grande notícia para os japoneses. O Japão passou por um momento muito difícil após o terremoto", disse. "Estou realmente feliz por dar a todos eles algumas boas notícias quando eles acordarem, porque [agora] ainda é muito cedo por lá".
 
Com 53 largadas na Indy, Sato, que estreou na categoria em 2010, tem mais dois pódios  - ambos conquistados na temporada de 2012, com o terceiro lugar no GP de São Paulo e um segundo posto na etapa de Edmonton - e já esteve perto de vencer em pelo menos mais duas oportunidades. 
 
A chance mais conhecida ocorreu na edição de 2012 das 500 Milhas de Indianápolis. O japonês vinha na segunda posição e, nas últimas voltas, se aproximou muito de Dario Franchitti, líder, que havia diminuído seu ritmo para poupar combustível. Empolgado, Takuma tentou de forma estabanada a ultrapassagem no giro final, mas perdeu o controle do carro e estampou o muro do lendário circuito. 
 
Curiosamente, no entanto, a segunda maior quase-vitória de Sato foi justamente em Long Beach, também no ano passado.
 
Na ocasião, Sato liderava e se encaminhava para a vitória, quando na penúltima volta, Hunter-Reay tentou ultrapassá-lo e acabou tirando o japonês da prova.

Como a vida tem lá suas muitas ironias, hoje foi o japonês quem triunfou, enquanto o macambúzio piloto da Andretti teve atuação irregular, errou sozinho e estampou seu carro na barreira de pneus, deixando a prova.