Indy

Rahal foca em evolução nas posições de largada e garante: “Seremos uma pedra no sapato de todo mundo”

Graham Rahal acredita que a RLL tem totais condições de incomodar o resto do grid, mas, para isso, sabe que o time precisa corrigir os problemas nas classificações

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Graham Rahal e a RLL seguem atrás de uma grande temporada na Indy. Com bom investimento e, agora, dois carros, o time de Bobby Rahal ainda peca em alguns aspectos e não consegue se colocar entre as grandes do grid. Para Graham, 2019 é o ano para isso, corrigindo o desempenho nas classificações.
 
O piloto americano começou destacando o fato do time já ter, sim, um bom retrospecto na categoria, mas completou admitindo que, por performance, a RLL deveria ter bem mais do que apenas seis vitórias, sendo cinco dele e uma de Takuma Sato em Portland.
 
"Nós conseguimos seis vitórias, enquanto muita gente entra na categoria e não consegue uma única vitória. Mesmo assim, acho que a gente deveria ter bem mais vitórias. Não ligo para o que escrevem ou para o que pensam, mas eu realmente acho que, nos dias de corrida, nós temos uma performance melhor que a de 99% do grid", disse.
Graham Rahal (Foto: IndyCar)
Rahal identificou a performance nas classificações como Calcanhar de Aquiles da equipe e prometeu que, em 2019, isso vai mudar.
 
"Só que, enquanto equipe e mesmo da minha parte, precisamos ter melhores posições de grid. Nós vamos ser uma pedra no sapato de todo mundo, isso é um fato. Precisamos melhorar, sabemos em que. Na classificão, é fazer ajustes principalmente na traseira, os carros ficam meio perdidos e aí deixamos coisa de 0s2 pra trás. Vamos corrigir", seguiu.
 
A RLL teve o primeiro ano com dois carros em 2018, mas o resultado não foi tão bom quanto os anteriores. Graham foi oitavo e Sato ficou em 12º.