Rahal-Letterman e Sam Schmidt mostram interesse na contratação de Barrichello. KV pede transparência

Depois de demonstrar insatisfação com a KV e vontade de deixar a equipe, Rubens Barrichello tem pelo menos dois times interessados em sua contratação para 2013: Rahal-Letterman e Sam Schmidt. Um diretor da Ganassi disse que “seria ótimo” contar com o brasileiro, mas negou estar em negociações no momento

Rubens Barrichello sabe que, se realmente quiser deixar a KV e ir para outra equipe da Indy, tem lugar garantido, desde que leve consigo bons patrocinadores. Uma reportagem no site do canal norte-americano Speed Channel, publicada no último domingo (12), revela que pelo menos dois times estão interessados no brasileiro, de 40 anos: Rahal-Letterman e Sam Schmidt. A Ganassi, que vai deixar de contar com os serviços de Graham Rahal no carro 38 no fim desta temporada, afirmou que “seria ótimo” ter Barrichello, mas negou estar em negociações no momento.

Em contrapartida, a KV, equipe que abriu as portas da Indy para Rubens depois que o piloto foi dispensado da Williams e perdeu seu espaço na F1, pediu ao piloto uma postura transparente. Em 17º na tabela de classificação da sua primeira temporada da Indy, Barrichello somou 215 pontos. Insatisfeito dentro da equipe de Jimmy Vasser e Kevin Kalkhoven, o brasileiro expressou sua vontade de correr por uma equipe mais competitiva e ganhou até mesmo o apoio do seu amigo Tony Kanaan.

Vasser cobrou transparência de Barrichello, insatisfeito na KV (Foto: IndyCar/LAT USA)

Vasser, contudo, quer seguir com Barrichello na equipe, mas pediu que o piloto seja transparente se estiver de fato negociando com outro time do grid. “Nós investimos em Rubens, queremos mantê-lo conosco e temos pessoas no Brasil buscando patrocínios”, comentou o campeão da Cart em 1996.

“Ele é livre para fazer o que ele quiser, mas eu gostaria de ter alguma transparência, já que eu continuo ouvindo todas essas histórias para onde ele poderia estar indo”, disse o dirigente norte-americano.

Rob Edwards, chefe de equipe de Sam Schmidt, manifestou desejo na vinda de Barrichello para a equipe, que conta com motor Honda e com um dos destaques da temporada, o francês Simon Pagenaud. “Gostaria de perguntar a Rubens se ele está interessado em nossa equipe. Nós definitivamente queremos ter um segundo carro, e Sam e eu temos uma lista de pilotos que estamos interessados”, declarou.

Por sua vez, Bobby Rahal, coproprietário da Rahal-Letterman, equipe que tem atualmente Takuma Sato como piloto e também conta com os motores Honda, abriu as portas para a eventual chegada de Barrichello. “Se Rubens é um cara que estamos de olho? Absolutamente. Ele é um bom piloto, gosto da sua personalidade e ele pode ser um líder para a equipe.”

No entanto, o tricampeão da Indy e atual dirigente, que conhece Barrichello desde os tempos em que trabalhou na Jaguar na F1, no início da década passada, condicionou a ida do brasileiro para sua equipe a patrocínios. “Para nós, encontrar um patrocinador para o segundo carro é a nosso objetivo agora, mas nós certamente esperamos ter dois carros na equipe no ano que vem”, comentou.

Quando Barrichello deu a entender que quer mesmo ir para uma equipe mais competitiva da Indy em 2013, logo a Ganassi apareceu como um dos possíveis destinos do veterano, principalmente porque Graham Rahal deixará a equipe no ano que vem. Mike Hull, diretor da equipe ítalo-americana, se mostrou empolgado com a chance de contar com o piloto mais experiente da história da F1, mas, ao mesmo tempo, negou que esteja negociando com o brasileiro, pelo menos por enquanto.

“Nós queremos manter o carro 38 na programação para a próxima temporada porque ter quatro carros é o melhor para nós. Eu apenas estive uma vez com Rubens, brevemente, no último fim de semana em Mid-Ohio, e se ele estiver disponível e se nós pudermos estar juntos, seria ótimo para nós”, afirmou Hull. “Mas, até o momento, não tivemos nenhuma conversa séria”, garantiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube