Rahal repete estratégia da primeira prova e vence corrida 2 em Detroit. Castroneves fura pneu e chega em 9º

Graham Rahal teve mais um desempenho irretocável e, repetindo a estratégia vitoriosa da primeira corrida, voltou ao lugar mais alto do pódio na segunda prova em Detroit, virando o primeiro piloto a triunfar duas vezes em 2017. Helio Castroneves teve um pneu furado e chegou em nono

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Graham Rahal teve o fim de semana de sua carreira em Detroit. Com um grande carro, uma estratégia sempre certeira e ótimas atuações, o americano repetiu o que havia feito na primeira prova e venceu a corrida 2 na Belle Isle neste domingo (4).

Rahal, o primeiro piloto a vencer duas provas em 2017, foi para a primeira posição ao esticar em uma volta seu primeiro stint, superando Takuma Sato nos boxes. No fim, ainda precisou segurar Josef Newgarden, que acertou em cheio na estratégia, em uma inesperada relargada com duas voltas para o final. 

Will Power, que vive uma temporada repleta de altos e baixos, teve um de seus bons momentos, aproveitando o bom carro da Penske e, seguindo a estratégia de Rahal, completando em terceiro.

Takuma Sato, que vinha da pole, não conseguiu ter o mesmo ritmo de Rahal e Power e chegou em quarto, enquanto Simon Pagenaud cruzou na quinta posição. Scott Dixon, em mais uma atuação muito regular, foi o sexto colocado.

Alexander Rossi e Charlie Kimball também apareceram em um top-10 completado pelos veteranos brasileiros. Com um pneu furado, Helio Castroneves foi o nono, enquanto Tony Kanaan chegou em décimo depois de tomar um drive-through por passar em cima da pistola nos boxes.

Graham Rahal venceu também a corrida 2 em Detroit (Foto: IndyCar)

Confira como foi a corrida 2 em Detroit:

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A largada para a segunda corrida da rodada dupla em Detroit aconteceu às 16h48 (em Brasília), com uma saída bem limpa e os líderes mantendo suas posições. Takuma Sato, Ryan Hunter-Reay, Graham Rahal, Helio Castroneves e James Hinchcliffe seguiam na frente.

Logo na segunda volta, JR Hildebrand já ia para os boxes e colocava os pneus mais duros, compostos que eram usados apenas pela dupla da Foyt e por Alexander Rossi na largada.

O início de prova era de ritmo muito parecido entre os dez primeiros colocados. Logo atrás, Marco Andretti, Alexander Rossi, Josef Newgarden e Tony Kanaan brigavam duro buscando a aproximação.

Helio Castroneves furou um pneu e despencou (Foto: IndyCar)

O primeiro dos líderes a parar foi Hinchcliffe, logo na volta seis e de péssima forma: passando acima do limite de velocidade nos boxes e tomando um drive-through, mesma punição que Oriol Servià recebera segundos antes.

Na volta 10, a corrida mudou completamente nas primeiras colocações. Rahal partiu para cima de Hunter-Reay e, com direito a um pequeno toque, superou o compatriota, subindo para segundo. Castroneves tentou fazer o mesmo na sequência, mas furou o pneu no bico de Hunter-Reay e despencou, precisando ir aos boxes.

As ultrapassagens seguiam acontecendo em cma de Hunter-Reay. Sem perderem tempo, Power, Aleshin, Pagenaud e Rossi deixaram o #28 para trás. Assim, com o bico avariado, Ryan foi mais um a antecipar sua parada.

Enquanto Sato já tinha de lidar com os ataques de Rahal e aproximação de Power, Newgarden começava a pintar como um grande candidato. O americano rapidamente virava o líder dentre os que já tinham parado uma vez e, com bom ritmo, vinha em oitavo.

Tony Kanaan passou em cima da pistola e perdeu posições com drive-though (Foto: IndyCar)

O líderes foram para os boxes a partir da volta 22, com Pagenaud. No giro seguinte, Sato e Power foram juntos, enquanto Rahal esperou mais uma volta e fez o primeiro pit-stop na volta 24.

Reposicionados, Newgarden aparecia na primeira posição, mas vinha em outra estratégia, já com 15 voltas de sua parada inicial. O americano tinha 5s8 para Rahal, que era seguido por Sato, Dixon, Power, Andretti, Hinch, Pagenaud, Ed Jones e Kanaan. Castroneves, totalmente fora de combate pelo furo no pneu, parava de novo e ia para 21º, torcendo por uma amarela.

Newgarden e Dixon pararam pela segunda vez na volta 29. Rahal foi para a ponta, seguido por Sato, Power e Pagenaud. Newgarden voltava em um promissor quinto lugar, enquanto Dixon era décimo.

A corrida chegava na metade com Rahal folgado na frente e uma briga intensa pelo segundo lugar entre Sato, Power, Pagenaud e Newgarden, que precisava superar o grupo para sua estratégia funcionar.

Na volta 41, Castroneves tinha basicamente uma repetição do acidente em que furou seu pneu. Dessa vez, porém, a briga era com outro piloto da Andretti: Marco. Por sorte, nenhum dos dois teve grandes danos no carro.

Josef Newgarden fez um corridão em Detroit (Foto: IndyCar)

A segunda rodada de paradas dos líderes chegou e, dessa vez, Rahal parou junto com os concorrentes, voltando com quase 16s de folga para Power, que superava Sato. Newgarden parava pela terceira vez no 49º giro e dava o pulo do gato, retornando em segundo.

Com 20 voltas para o fim, Rahal dominava tudo com 18s para Newgarden. Power, Sato e Pagenaud ainda sonhavam com a segunda colocação, com Dixon, Rossi, Hinch, Kimball e Kanaan fechando o top-10. Castroneves era o 12º.

Por passar em cima da pistola na segunda parada, Kanaan acabou recebendo um drive-through, caindo para 12º e promovendo Daly ao top-10.

Nos giros finais, Newgarden começou a apertar bastante o ritmo e, aproveitando que parou depois de Rahal, foi tirando a vantagem para o líder. Depois de Jones abandonar, mas recolher para fora do traçado, a bandeira amarela surgiu com cinco voltas pela frente.

Hinchcliffe apareceu muito lento com problema mecânico e simplesmente parou no meio da pista, com a direção de prova tendo de acionar a amarela.

Quase que ao mesmo tempo, o motor de Pigot estourou, piorando ainda mais a situação e causando a bandeira vermelha. Rahal ficou revoltado. Também pudera, teria três voltas para segurar Newgarden e os demais quando a bandeira verde voltasse.

Os pilotos voltaram para a pista minutos mais tarde, com a antepenúltima volta ainda em bandeira amarela. Depois, nos dois giros para valer, Rahal foi extremamente seguro e não deu qualquer chance para Newgarden, se tornando, assim, o primeiro a triunfar duas vezes na temporada 2017 da Indy.

Indy, GP de Detroit, Corrida 2, Classificação Final:

1 15 Graham RAHAL EUA RLL Honda 70 voltas  
2 2 Josef NEWGARDEN EUA Penske Chevrolet +1.177  
3 12 Will POWER AUS Penske Chevrolet +2.623  
4 26 Takuma SATO JAP Andretti Honda +3.854  
5 1 Simon PAGENAUD FRA Penske Chevrolet +4.081  
6 9 Scott DIXON NZL Ganassi Honda +4.601  
7 98 Alexander ROSSI EUA Andretti Honda +6.198  
8 83 Charlie KIMBALL EUA Ganassi Honda +6.682  
9 3 Helio CASTRONEVES BRA Penske Chevrolet +6.844  
10 10 Tony KANAAN BRA Ganassi Honda +7.720  
11 14 Carlos MUÑOZ COL Foyt Chevrolet +8.116  
12 4 Conor DALY EUA Foyt Chevrolet +8.785  
13 27 Marco ANDRETTI EUA Andretti Honda +9.610  
14 18 Esteban GUTIÉRREZ MEX Dale Coyne Honda +13.133  
15 8 Max CHILTON ING Ganassi Honda +1 volta  
16 7 Mikhail ALESHIN RUS Schmidt Peterson Honda +1 volta  
17 28 Ryan HUNTER-REAY EUA Andretti Honda +1 volta  
18 21 JR HILDEBRAND EUA Carpenter Chevrolet +1 volta  
19 16 Oriol SERVIÀ ESP RLL Honda +1 volta  
20 5 James HINCHCLIFFE CAN Schmidt Peterson Honda +5 voltas NC
21 20 Spencer PIGOT EUA Carpenter Chevolet +5 voltas NC
22 19 Ed JONES ING Dale Coyne Honda +10 voltas NC
 

ALONSO ATINGE NOVO PATAMAR NA HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO NA ESPETACULAR INDY 500

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube