Reforçadas, Ganassi e Penske já despontam como favoritas absolutas ao título 2014 da Indy

A Ganassi e a Penske, as duas maiores equipes da Indy, apostaram alto para 2014, trouxeram nomes de força e já largam em São Petersburgo como favoritas absolutas ao título da Indy. A Andretti corre por fora e ainda precisa vencer times do bloco intermediário

Indy 500 inova para melhor e altera regras importantes para 2014
Castroneves e Kanaan figuram de novo entre favoritos ao título de 2014
Montoya causa expectativa em retorno à Indy 14 anos depois
Indy prioriza segurança dos carros e novo formato de pontuação
Indy encontra rumo, modifica regulamento e traz novos protagonistas

Por tudo que fizeram na pré-temporada e pelos nomes que trouxeram para suas garagens, Ganassi e Penske vão largar neste domingo (30), em São Petersburgo, como favoritas absolutas ao título 2014 da Indy. É quase impossível imaginar que o campeão não saia daí.

As duas maiores equipes da categoria norte-americana promoveram mudanças importantes e vem com reforços de peso para o novo campeonato. Pelo lado de Chip Ganassi, o dono do carro #9, o atual campeão Scott Dixon, é quem puxa a fila dos favoritos.

Experiente e um dos pilotos com melhor currículo da série, o determinado neozelandês será o grande entrave da temporada para quem busca a taça. Dixon tem a seu favor a velocidade e a maturidade que as pistas ovais exigem e um desempenho bem acima da média nos circuitos mistos e de rua. Um equilíbrio fundamental dentro do excêntrico calendário da Indy.

Scott Dixon é o favorito de 2014 (Foto: IndyCar)

Scott agora também deve ocupar o posto de líder da Ganassi, especialmente depois da aposentadoria forçada de Dario Franchitti. Não apenas pelo título, mas principalmente pelas horas de casa, o tricampeão de 33 anos já sai credenciado para a função de comandar a esquadra vermelha ao sucesso em 2014.

Só que Dixon terá de dividir a garagem com um rival difícil. Tony Kanaan, vencedor das 500 Milhas de Indianápolis no ano passado, é a experiência que também reforça a posição de favoritismo da Ganassi. Campeão em 2004, Kanaan deixou a Andretti no fim de 2010 e passou os últimos três anos no difícil trabalho de colocar a KV no mapa da Indy. A recompensa veio em 2013, com o triunfo na mais importante prova do calendário.

O desempenho certamente contribuiu para o contrato com Chip, mas foi um capricho do destino que o colocou no cockpit do DW12 #10. Em 2014, Tony terá uma nova chance de buscar o bicampeonato, uma chance real. Mas também terá a complicada missão de vencer com o carro que foi do amigo Franchitti, um dos pilotos mais bem-sucedidos da história da categoria norte-americana.

O rápido Ryan Briscoe e o impetuoso Charlie Kimball compõem o forte quarteto da Ganassi para a nova temporada. Os dois representam um reforço de luxo na briga da equipe com a sempre rival Penske. Além do elenco altamente competitivo, a esquadra também promoveu outra importante alteração. A Ganassi desfez a longa parceria com a Honda e agora vai de Chevrolet, a mesma fornecedora de Roger Penske.

Falando na equipe da Carolina do Norte, o time foi o responsável pela contratação mais badalada da temporada. Depois de deixar a Ganassi na Nascar, Juan Pablo Montoya decidiu fazer o caminho de volta à categoria que o revelou ao mundo.

Após alguns rumores que apontavam para uma negociação mais sólida com a Andretti, o colombiano acertou mesmo com a Penske e vai integrar a esquadra que tem Helio Castroneves e Will Power nos outros dois carros.

A lista de inscritos para o GP de São Petersburgo

Montoya voltou, emagreceu, reaprendeu e quer voltar a vencer. Quem duvida? (Foto: Getty Images)

Montoya levou a sério o acordo, se preparou muito bem fisicamente para a Indy e já nos primeiros testes mostrou que vai ser um duro adversário em 2014. A integração com a nova equipe parece ter sido instantânea, assim como a adaptação ao carro. Juan Pablo já pode ser colocado entre os favoritos, sem dúvida.

Porém, a dupla Helio/Power deve dominar neste início de temporada. Castroneves vem de um forte campeonato em 2013, em que chegou até a última etapa disputando o título com Dixon. A regularidade foi o grande ponto a favor do brasileiro, que deve repetir a tática neste ano.

Power, por sua vez, não viveu um ano consistente na temporada passada e ficou longe da briga pelo campeonato. Não conseguiu repetir nem mesmo as belas atuações em pistas mistas e de rua de outrora, mas este ano vem à procura de redenção, contando, mais uma vez, com a boa estrutura de Roger Penske e um carro muito bem acertado. O australiano ainda liderou os dois dias de testes coletivos em Barber, na semana passada.

Ainda um pouco atrás das duas favoritas, a Andretti corre por fora. A equipe chefiada por Michael Andretti tem dois grandes trunfos em uma primeira olhada: Ryan Hunter-Reay, o campeão de 2012, e James Hinchcliffe, veloz canadense dono de três vitórias em 2013.

O norte-americano tem a consistência a seu lado e já provou que anda bem tanto no misto quanto no oval. Já Hinchcliffe é arrojado e impetuoso, uma bela combinação para as provas em pistas de rua. Marco Andretti é o terceiro da lista aí, mas ainda precisa mostrar maior regularidade. Para 2014, o time ainda chamou o Carlos Muñoz, que teve uma apresentação de gala na Indy 500 no ano passado.

Trata-se, portanto, de uma formação muito forte. Mas Andretti, assim como a Ganassi, terá de lidar uma séria mudança nos motores. A esquadra deixou a Chevrolet e agora vai competir com a Honda. A alteração pode vir a ser um fator fundamental para o retorno do time à luta pelo título.

James Hinchcliffe é um dos trunfos da Andretti (Foto: IndyCar)

Quem mais?

Alguns nomes também podem ser colocados entre os favoritos. Pilotos que possuem total condição de interferir regularmente na briga dos favoritos e quem sabe beliscar uma vitória aqui e outra ali. Um deles se chama Justin Wilson. O inglês não conta com uma grande estrutura na Dale Coyne, mas é rápido e constante, tanto nos traçados mistos e rua quanto em ovais.

O mesmo se pode falar de Simon Pagenaud. O francês da Schmidt já provou que sabe tirar tudo de carros apenas medianos e anda bem em todo tipo de pista. Graham Rahal é outro nessa lista, assim como Sébastien Bourdais, agora na KV, e o espanhol Oriol Servià.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube