VeeKay passa Grosjean e vence primeira na Indy no GP de Indianápolis 1. Dixon é 9º

Rinus VeeKay passou Romain Grosjean na metade final do GP de Indianápolis 1 e, assim, levou sua primeira vitória na Indy. Romain foi segundo, com Álex Palou fechando o pódio, na frente de Josef Newgarden. Scott Dixon foi nono

Rinus VeeKay é mais um nome no rol de vencedores da Indy. Neste sábado (15), o holandês estragou a festa de Romain Grosjean, superou o francês e levou o GP de Indianápolis 1, conquistando seu primeiro triunfo na categoria. Foi, ainda, a primeira vez da Carpenter no topo do pódio desde 2016, com Josef Newgarden no GP de Iowa.

Apesar de ter sido batido por Rinus, Grosjean ainda tem muito a comemorar. O francês da Dale Coyne liderou boa parte da corrida e chegou em segundo, fazendo seu primeiro pódio na Indy e interrompendo um jejum de quase seis anos sem um troféu.

Álex Palou, em excelente início de ano, foi a mais um pódio, chegando em terceiro ao segurar firme os ataques de Newgarden, que teve um quarto lugar bom para a briga pelo título. Graham Rahal, em atuação não menos do que heroica, fez stints enormes e descontou no braço os problemas da largada para cruzar em quinto.

Mais agressivo que nos últimos tempos, Simon Pagenaud foi sexto, na frente de Alexander Rossi. Scott McLaughlin somou mais um top-10 em seu ano de novato, seguido pelas Ganassi de Scott Dixon e Marcus Ericsson. O atual campeão, aliás, deve estar aliviado de ao menos ter sido nono após cair para 19º na primeira curva.

A Indy agora foca totalmente nas 500 Milhas de Indianápolis. As atividades começam terça-feira, com treinos livres. No próximo fim de semana, a definição do grid e dos 33 participantes da prova.

Rinus VeeKay venceu a primeira dele na Indy (Foto: IndyCar)

Confira como foi o GP de Indianápolis 1

A largada do GP de Indianápolis aconteceu, pontualmente, às 15h45 (em Brasília). Romain Grosjean reagiu muito bem na primeira pole na Indy e desgarrou de Josef Newgarden, que acabou superado por Jack Harvey na primeira curva.

Mas quem se deu mal de verdade foi Conor Daly. Largando em sexto, o americano tomou um toque de Simon Pagenaud e atolou na grama. Graham Rahal, Scott Dixon e Pato O’Ward foram alguns dos pilotos que escaparam do enrosco, mas todos perdendo posição.

A bandeira amarela já saía pela primeira vez, com o pelotão da frente tendo Grosjean, Harvey, Newgarden, Álex Palou, Scott McLaughlin, Rinus VeeKay, Colton Herta, Pagenaud, Ed Jones e Will Power. Aí foi Rahal para os boxes, com cara de quem tinha sofrido alguns danos pelo toque que fez Daly perder voltas.

Conor Daly foi acertado logo na primeira volta (Foto: IndyCar)

Dixon e O’Ward também faziam paradas, mas já com estratégias ousadas, visando darem o pulo do gato lá na frente. A relargada aconteceu na volta 5, com Grosjean saindo bem de novo e Harvey trancando a porta em cima de Newgarden, que já recebia a pressão de Palou.

De pneus macios, Dixon e Pato começavam a escalar o pelotão, deixando as Foyt de Sébastien Bourdais e Charlie Kimball para trás com bastante facilidade. Os dois já se aproximavam do top-15 e eram os mais velozes na pista tirando Grosjean, que voava na frente.

Enquanto o abandono de Daly era confirmado, Rahal se desesperava na última colocação, 15s atrás de Juan Pablo Montoya e Jimmie Johnson, sem ter conseguido reagrupar com o pelotão quando voltou do problemático pit-stop.

Simon Pagenaud escapou do abandono apesar de toque na largada (Foto: IndyCar)

A primeira janela de paradas era oficialmente aberta ali pela volta 13, com pilotos como Harvey e VeeKay indo aos boxes. Newgarden fazia seu pit-stop inicial no 15º giro, junto com Herta e Pagenaud. No reposicionamento, lá estava Josef na frente de Harvey, além de VeeKay adiante em relação a McLaughlin, também em briga perto do pódio.

Na pista, porém, a Meyer Shank continuava rendendo mais que a Penske e Jack retomava a posição em cima de Josef, que representava um oitavo lugar, mas virtualmente era o segundo, já que o pessoal da frente não havia parado. Newgarden seguia sem rendimento, melhor para VeeKay, que passava o americano na volta 19.

Jones, companheiro de Grosjean, fazia o primeiro pit-stop na volta 22, voltando em 12º, entre Herta e Pagenaud, mas em boa posição na estratégia. Kimball fazia sua parada na 23, deixando Grosjean, Palou, Ryan Hunter-Reay, Dixon e Rahal como os maratonistas no stint.

Scott Dixon, daquele jeito dele, foi para a liderança (Foto: IndyCar)

Grosjean e Palou finalmente paravam na volta 25, deixando Dixon na liderança, esticando o stint. O neozelandês tinha 12s5 para Romain, que vinha 2s5 na frente de Harvey. Palou e VeeKay apareciam logo na sequência, na briga ferrenha dos primeiros lugares.

Dixon fazia sua segunda parada no 28º giro e retornava em 18º, atrás de O’Ward e Hunter Reay, mas certamente teria um ritmo mais forte que os demais. No reposicionamento, ficou claro que Newgarden sofria bastante: Grosjean liderava, com 2s5 para Harvey, 6s4 para Palou, 8s1 para VeeKay e 13s6 para Josef.

Sato e Bourdais já abriam a segunda janela de paradas na volta 35, enquanto Pagenaud se jogava para passar Herta e assumir a sétima colocação. VeeKay ia aos boxes na sequência, fazendo o francês subir mais um degrau. Aí quase todo mundo resolveu ir aos boxes a mesmo tempo e Harvey foi quem mais se deu mal, com a Meyer Shank vendo o carro morrer. Jack até conseguiu voltar à pista, mas aí teve um pneu furado e foi ficando, ficando e ficando até perder volta tendo de fazer novo pit-stop.

Newgarden e Palou esticavam um pouco mais o stint e o resultado disso era VeeKay na frente dos dois. No caso do catalão, o holandês deu um passão absurdo, no meio de Palou e do retardatário Johnson. Grosjean, por sua vez, se enroscava não uma, mas duas vezes com o retardatário Sato, que queria ficar na volta do líder de qualquer jeito.

Jack Harvey parecia ter um pódio certo. Parecia (Foto: IndyCar)

Romain parava na volta 43 e o impacto do incidente com Sato ficava evidente logo de cara no retorno à pista. O francês virou alvo fácil de VeeKay e finalmente perdia a liderança virtual. Hunter-Reay e Dixon puxavam a fila, em estratégias diferentes, mas Rinus, de macios, já andava na frente de Grosjean, de duros.

Sem o mesmo ritmo com os duros, Grosjean ainda se complicava mais ao passear na grama e perder não apenas contato com o líder VeeKay, mas ser bem apertado por Palou, menos de 0s5 atrás. Dixon e Hunter-Reay iam aos boxes e voltavam, respectivamente, em 11º e 13º.

O rendimento de VeeKay ia caindo consideravelmente no fim do stint e Grosjean começava a tirar cerca de 0s4 por volta. Quem impressionava mesmo era Rahal, que conseguia esticar heroicamente todos os stints e já entrava praticamente na janela dos demais, ocupando a quinta posição.

Graham, que havia feito um stint gigantesco, parava com 28 voltas para o fim, possivelmente na última parada dele na corrida, com chances reais de pontuar dignamente mesmo após ter tantos problemas nas voltas iniciais. Rossi ia aos boxes na sequência. VeeKay, na liderança, fazia o pit-stop e calçava os macios para os últimos 25 giros.

Scott McLaughlin andou o tempo todo ali perto do top-5 (Foto: IndyCar)

Foi aí que o improvável aconteceu: uma chuva fina começou a cair com 24 voltas para o final e, de acordo com a previsão, a chance da água aumentar era considerável. No entanto, todo mundo praticamente ia colocando os pneus de pista seca.

Grosjean voltava dos boxes com 22 giros pela frente e 4s3 atrás de VeeKay, tendo uma tarefa dura caso quisesse ainda vencer. Na liderança, Dixon, mas ainda devendo, teoricamente, uma parada. A amarela esperada por Scott quase veio com Herta e Power se tocando, mas nada relacionado à chuva, que seguia bem fraquinha.

O reposicionamento, com todo mundo já pronto para ir até o final, tinha VeeKay na dianteira, com 5s5 para Grosjean, 11s7 para Palou e 16s5 para Newgarden, que dava um passeio na grama. Rahal, em corrida espetacular, Pagenaud, Rossi, McLaughlin, Dixon e Herta fechavam o top-10.

Colton, porém, começava a aprontar. Travava e via Dixon passar, tocava com Ericsson e passeava na grama e despencava para 13º, com o próprio sueco entrando no grupo dos dez primeiros. Sato, que tanto atrapalhou Grosjean lá atrás, era só 16º.

Colton Herta despencou no fim (Foto: IndyCar)

Apesar de ter parado mais cedo, VeeKay não parecia ficar sem ritmo nas voltas finais. O holandês já ampliava a distância para Grosjean em 9s, enquanto Newgarden colava de vez em Palou, tendo apenas 1s de desvantagem para o catalão e 8s para Romain.

As voltas finais viram Grosjean até se aproximar um pouco mais, mas nada que fosse exatamente perigoso para VeeKay. Ainda, Palou fez de tudo para segurar Newgarden e se deu bem, salvando um pódio fundamental na disputa direta pelo título.

VeeKay levou o carro firme até o fim e venceu, quebrando uma fila de cinco anos sem vitórias da Carpenter e conseguindo ser o quarto astro da nova geração da Indy a ter triunfado em 2021.

Indy 2021, GP de Indianápolis 1, IMS, Final:

1R VEEKAYCarpenter Chevrolet1:47:08.57785 voltas
2R GROSJEANDale Coyne Honda+4.951 
3A PALOUGanassi Honda+15.073 
4J NEWGARDENPenske Chevrolet+18.447 
5G RAHALRLL Honda+26.981 
6S PAGENAUDPenske Chevrolet+27.870 
7A ROSSIAndretti Honda+33.270 
8S McLAUGHLINPenske Chevrolet+36.186 
9S DIXONGanassi Honda+36.836 
10M ERICSSONGanassi Honda+37.197 
11W POWERPenske Chevrolet+39.802 
12R HUNTER-REAYAndretti Honda+40.389 
13C HERTAAndretti Honda+43.115 
14E JONESDale Coyne Honda+43.811 
15P O’WARDMcLaren Chevrolet+44.545 
16T SATORLL Honda+44.997 
17F ROSENQVISTMcLaren Chevrolet+45.421 
18J HINCHCLIFFEAndretti Honda+1:05.199 
19S BOURDAISFoyt Chevrolet+1 volta 
20D KELLETTFoyt Chevrolet+1 volta 
21J MONTOYAMcLaren Chevrolet+1 volta 
22C KIMBALLFoyt Chevrolet+1 volta 
23J HARVEYMeyer Shank Honda+1 volta 
24J JOHNSONGanassi Honda+1 volta 
25C DALYCarpenter Chevrolet+35 voltasNC

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar